Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lewis Hamilton o melhor britnico

04 de Novembro, 2014

Lewis Hamilton revelou que sente fome do ttulo depois da vitria no circuito de Austin no ltimo fim de semana nos E U A

Fotografia: AFP

A vitória de Lewis Hamilton no Grande Prémio dos Estados Unidos, disputado no último domingo, foi histórica. Além de se aproximar do bicampeonato mundial, o piloto superou o número de triunfos de Nigel Mansell na Fórmula 1 e assumiu a liderança entre os britânicos.

Em Austin, Lewis Hamilton venceu pela quinta vez consecutiva, a décima na época e a 32.ª na carreira. Desta forma, ultrapassou Nigel Mansell, campeão mundial em 1992, e igualou o espanhol Fernando Alonso. Apenas Michael Schumacher (91), Alain Prost (51), Ayrton Senna (41) e Sebastian Vettel (39) têm mais triunfos.

"É gratificante estar à frente; é um grande privilégio representar o meu país e estar no topo da lista de vitórias é muito especial. Essa equipa é incrível e tenho um carro incrível", comemorou Hamilton após o triunfo no Grande Prémio das Américas. O piloto britânico ainda estabeleceu outras marcas em Austin.

É o primeiro não-alemão a ganhar dez corridas na mesma época, feito conseguido anteriormente apenas por Vettel e Schumacher, e o sétimo a vencer pelo menos cinco provas consecutivas: Alberto Ascari, Sebastian Vettel, Micahel Schumacher, Jack Brabham, Jim Clark e Nigel Mansell também o fizeram.

Em grande forma, Lewis Hamilton, campeão mundial em 2008, está cada vez mais perto do "bi". A duas etapas do final do calendário da Fórmula 1,  contabiliza 316 pontos na liderança, 24 a mais que o alemão Nico Rosberg, o seu companheiro de equipa e segundo classificado nos Estados Unidos.

"Esta época tem sido incrível, com um trabalho inacreditável da equipa. Nunca se sabe o que vai acontecer numa corrida, mas forcei o ritmo na primeira parte e fui ainda mais rápido na segunda. Estava com a mesma determinação e fome de vencer de sempre ", afirmou.

O Grande Prémio do Brasil, marcado para o próximo domingo, é a etapa seguinte do campeonato. O calendário termina em Abu Dhabi, no dia 23 de Novembro. Como a última corrida vale a dobrar, como determina o novo regulamento, restam 75 pontos em jogo.

TROCA DE EMPRESÁRIOS
Lewis Hamilton anunciou em Austin que vai trocar de empresários após o fim da actual época. Desde 2011, a empresa XIX Management é a responsável pela gestão da carreira do piloto britânico e foi fundamental na transferência do piloto da McLaren para a Mercedes no início de 2013. A intenção é que as discussões referentes ao prolongamento do seu contrato com a Mercedes para a época de 2015 passem a ser feitas por outras pessoas, de acordo com o piloto. "Não há realmente muito para dizer.

O contrato expirou e vou fazer algo diferente. Não sei o quê, mas vou decidir no final do ano", afirmou Lewis Hamilton. Antes de a XIX Management cuidar da carreira do britânico, o responsável pelos negócios do piloto era o seu próprio pai, Anthony.

NO GP DO BRASIL
Rosberg procura manter esperanças


O alemão Nico Rosberg largou na pole position, mas foi superado pelo britânico Lewis Hamilton no Grande Prémio dos Estados Unidos. A duas etapas do final do campeonato, o piloto germânico procura manter as esperanças de título. Após uma sequência de cinco vitórias consecutivas, Lewis Hamilton contabiliza 316 pontos ganhos. Nico Rosberg soma 292.

Com mais duas corridas no calendário (Brasil e Abu Dhabi), há 75 pontos em jogo, já que a prova derradeira vale a dobrar."Há muitos pontos a serem disputados e muita coisa pode acontecer, como sempre", disse Nico Rosberg, já a pensar na prova de São Paulo, no próximo domingo. "Vou com a mesma filosofia, tentar largar na pole position e vencer em Interlagos", completou o piloto alemão.

A estratégia de Nico Rosberg funcionou no treino classificativo em Austin e largou na pole position. O piloto defendeu a sua posição com sucesso no início, mas foi ultrapassado por Lewis Hamilton numa manobra arrojada do britânico, na 24ª volta da corrida. "É muito simples: demorei muito a encontrar o ritmo ideal. Sabia que Lewis podia tentar a ultrapassagem. Tentei defender-me, mas  Lewis fez um bom trabalho. Cinco ou dez voltas depois, comecei a sentir-me bem no carro, mas infelizmente já era muito tarde", explicou o alemão.

Com olho na vitória para impedir que Lewis Hamilton se distanciasse mais na liderança do campeonato, Nico Rosberg procurou aproximar-se do companheiro de equipa após a última ronda de pit-stops, mas não conseguiu nem sequer assustar o competidor da Inglaterra. "Esse foi o período em que comecei a sentir-me mais confortável na corrida. Nunca desisti, estava determinado a chegar um pouco mais perto e pressionar Lewis, mas isso não foi possível", afirmou Nico Rosberg, resignado.

PÉREZ COM PERDA
DE SETE POSIÇÕES

Sergio Pérez não está impune do incidente em que se envolveu com Kimi Raikkonen e Adrian Sutil no Grande Prémio dos Estados Unidos. Após analisar a batida do mexicano no finlandês e no alemão, a FIA decidiu puni-lo com a perda de sete posições na grelha da próxima prova, no circuito de Interlagos, no Grande Prémio do Brasil.

O episódio aconteceu momentos após a largada. Quando o piloto da Force India foi disputar a nona posição, errou na travagem na curva 12, colidiu com a traseira do Ferrari de Raikkonen e acertou em cheio no carro de Sutil, que foi parar fora da pista. Devido ao acidente, foi necessária a intervenção de um safety-car, que permaneceu até à retirada do carro do alemão. O mexicano não voltou à pista e o finlandês conseguiu continuar.