Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lewis Hamilton lamenta falta de apoio

20 de Junho, 2016

Hamilton lamentou por não tiver meios para lutar mais.

Fotografia: AFP

Lewis Hamilton teve um final de semana não tão positivo. Ontem, para o Grande Prémio da Europa, no circuito de Baku, após largar em décimo e tentar uma prova de recuperação, o inglês apresentou problemas no motor e recebeu a bandeira apenas em quinto lugar.

Depois de brilhar nas sessões de treinos livres, o inglês mostrou que o traçado inaugural de Azerbaijão não seria o melhor para ele. Nas classificativas, perto do Q3, sofreu um acidente que lhe deu o 10º lugar na grelha de partida.

Pouco tempo após o pit-stop dos líderes, durante a prova, o titular de Mercedes teve uma conversa integrante com os mecânicos. Uma falha no seu carro fê-lo perder potência, segundo Hamilton.

Ao comentar sobre o problema, o tricampeão admitiu que ainda não sabe o motivo.
"Não tenho a ideia do que aconteceu. Existem 16 diferentes modos de motor. Não fazia a ideia qual era o problema que tive. Apenas, perdi a potência. Não fiz nada. Resolveu-se sozinho", disse.

“Diminuí o propulsor mais para o final. Estava a 14s atrás dos meus adversários a sete, oito voltas para o fim. Apenas poupei o motor. Não tenho mais tantos propulsores quanto alguns pilotos até o final do ano. Talvez ainda consiga extrair mais desse", relembrou.

Sobre a proibição da comunicação pelo rádio, o tricampeão lamentou o facto. “Não vejo benefícios. A FIA fez a F1 tão técnica. Existem centenas de posições para se colocar o motor e isso é impossível para eu saber, não importe o quanto estude”, avaliou.

A terminar, Lewis Hamilton lamentou por não tiver meios para lutar mais.
“É uma pena que não pude batalhar; queria. Se fosse capaz de resolver essa falha, talvez poderia fazer parte do show e talvez alcançar os pilotos à minha frente. Mas não pude. É dessa maneira que foi”, encerrou.

MANUAL
DE INSTRUÇÃO


Foi um Grande Prémio da Europa "sem graça" e que representou um "turning point" para Nico Rosberg. Esta foi a avaliação inicial de Flavio Gomes, que não gostou do "city tour" em Baku, como a grande maioria.

No vídeo que fez ao vivo no Facebook, Gomes relatou o respiro que o alemão da Mercedes teve. "Vinha de uma sangria desatada e conseguiu aumentar de novo de 9 para 24".
O jornalista criticou Lewis Hamilton e disse que o actual campeão teve uma prestação desagradável e indicou que o inglês "precisa sair menos à noite e estudar o manual de instruções de seu carro". "O quinto lugar foi medíocre", disse.

O tricampeão mundial atravessa um mau arranque de época na história da sua carreira.
Lewis Hamilton teve um final de semana não tão positivo. Ontem, para o Grande Prémio da Europa, no circuito de Baku, após largar em décimo e tentar uma prova de recuperação, o inglês apresentou problemas no motor e recebeu a bandeira apenas em quinto lugar.

Depois de brilhar nas sessões de treinos livres, o inglês mostrou que o traçado inaugural de Azerbaijão não seria o melhor para ele. Nas classificativas, perto do Q3, sofreu um acidente que lhe deu o 10º lugar na grelha de partida.

Pouco tempo após o pit-stop dos líderes, durante a prova, o titular de Mercedes teve uma conversa integrante com os mecânicos. Uma falha no seu carro fê-lo perder potência, segundo Hamilton.

Ao comentar sobre o problema, o tricampeão admitiu que ainda não sabe o motivo.
"Não tenho a ideia do que aconteceu. Existem 16 diferentes modos de motor. Não fazia a ideia qual era o problema que tive. Apenas, perdi a potência. Não fiz nada. Resolveu-se sozinho", disse.

“Diminuí o propulsor mais para o final. Estava a 14s atrás dos meus adversários a sete, oito voltas para o fim. Apenas poupei o motor. Não tenho mais tantos propulsores quanto alguns pilotos até o final do ano. Talvez ainda consiga extrair mais desse", relembrou.

Sobre a proibição da comunicação pelo rádio, o tricampeão lamentou o facto. “Não vejo benefícios. A FIA fez a F1 tão técnica. Existem centenas de posições para se colocar o motor e isso é impossível para eu saber, não importe o quanto estude”, avaliou.

A terminar, Lewis Hamilton lamentou por não tiver meios para lutar mais.
“É uma pena que não pude batalhar; queria. Se fosse capaz de resolver essa falha, talvez poderia fazer parte do show e talvez alcançar os pilotos à minha frente. Mas não pude. É dessa maneira que foi”, encerrou.