Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lewis Hamilton recusa amigo

25 de Dezembro, 2015

Hamilton nega guerra com Nico Rosberg

Fotografia: AFP

O assunto que tem encontrado mais notícias neste final de ano é o clima complicado dentro da Mercedes, sobretudo, a relação entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg. Os dois pilotos já falaram coisas mais e menos tensas sobre como lidam um com o outro. Lewis Hamilton já falou que não sai com Rosberg, mas que um dia no futuro os dois vão ser amigos. Dessa vez, disse que os dois se encontraram agora no final do ano e que não há problema.

 Em entrevista à rede de TV norte-americana CNN, Hamilton falou como se tudo dito antes ficasse esquecido e culpou a imprensa pela sensação de que a relação deles não é boa.  Hamilton assegurou que os dois sempre se encontram no fim do ano para falar sobre o ano e os dois divertem-se com as disputas que tiveram durante o ano. É o que ambos gostariam de fazer, de acordo com o tricampeão, desde que eram crianças.

"O piloto no outro carro não pode ser o seu amigo. Precisamos ser cuidadosos para não estragar dos dois lados da garagem. Vimos em equipas no passado que havia uma competição criada e não é boa para a dinâmica dentro da equipa. Isso é o que tentamos reafirmar. Vou dar uma olhada mais próxima a isso", disse.

"Conversei com Nico ontem à noite. Dá para imaginar que em qualquer organização há um ponto fraco na equipa que precisa ser trabalhado para ser resolvido ou substituído. Mas não estamos nessa posição; temos uma equipa funcional e óptima, fazemos dar certo e Nico e eu terminamos em primeiro e segundo nos dois últimos anos. Fizemos o necessário", seguiu.

Sobre algumas desavenças, o tricampeão avaliou: "Tivemos algumas questões durante esse tempo, mas geralmente tem sido tranquila e vai continuar dessa forma. Vamos continuar a aprender um com outro e a crescer em termos de respeito mútuo. O futuro é brilhante, há apenas coisas positivas à frente para a Mercedes e para nós". Quanto ao impacto da relação, Hamiltom disse que é coisa da media.

"Creio que a imprensa tem tentado tirar muito de nada, como normalmente. Nico e eu, como fazemos geralmente no final do ano, sentamos e conversamos. O respeito está ali. Divertimo-nos, rimos e fazemos piadas sobre a competição que temos na pista. Vamos para o inverno, aproveitaremo-lo e vamos voltar querendo bater um ao outro de novo. É isso que sempre quisemos desde os 13 anos. E vamos fazer", falou.

Os dois entram em 2016 sob as ameaças de Toto Wolff e com bons momentos. Lewis, porque foi campeão mundial pela segunda vez; Nico, por sua vez, ganhou as últimas três corridas do ano.