Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lewis Hamilton reprova novo circuito no Brasil

14 de Novembro, 2019

Lewis Hamilton não gostou da ideia de desmatar a área do Camboatá, para a construção de um autódromo para a Fórmula 1 no Rio de Janeiro. Em colectiva antes do GP do Brasil, em São Paulo, o hexacampeão disse que é preciso preservar o meio ambiente e ponderou que uma nova pista brasileira para a F1 é desnecessária, já que Interlagos cumpre bem o seu papel. "Me lembro de Senna e tudo mais, então é uma honra correr em São Paulo e espero que o GP fique aqui", disse o britânico.
Questionado pelo Motorsport.com sobre a possibilidade da extinção de espécies nativas na região de Deodoro, destinada à construção do Rio Motorpark, Hamilton respondeu: "Não sou fã desta possibilidade. Vocês têm um país muito bonito. A questão ambiental e climática é muito importante e deve ser um foco, então não dou meu aval".
"Eu amo o Rio, é um lugar lindo, e quero passar mais tempo lá. E não quero correr num circuito que tenha devastado terras nativas. A questão ambiental está a ficar pior a cada dia. Acho que muitas áreas devem ser priorizadas, e o meio ambiente é uma delas. Então não acho que a F1 ir para o Rio seja o caminho certo", ponderou o britânico.
"É a primeira vez que ouvi sobre a corrida no Rio. Acho que se gasta muito dinheiro com circuitos e já há um aqui no Brasil, então não precisamos mais cortar árvores para isso. Esse dinheiro pode ir para outras coisas. Se fosse meu dinheiro, colocaria em educação e coisas assim", afirmou.
O piloto da Mercedes ainda elogiou o autódromo de Interlagos: "Sou da velha guarda e amo Interlagos. Com os carros que temos hoje, ele está curto, gostaria que tivéssemos a versão antiga, de há anos atrás. Acho que temos que defender os clássicos, e Interlagos é um deles. Também dá emprego a muito gente e não sou muito a favor de mudar, mas o Rio também é espectacular".
Por sua vez o ex-presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo está a assistir uma sequência de anos de derrotas para a equipa de Maranello, que não consagra um piloto como campeão mundial desde 2007, e não vence entre os construtores desde 2008.
 Nos últimos anos, Lewis Hamilton emendou títulos e está próximo de igualar a marca de Michael Schumacher, mas o desejo de Luca é que a sequência do inglês acabe, e a Ferrari consiga regressar ao topo. "Eu espero que o sexto título seja o último para Lewis Hamilton, e que um ciclo para a Ferrari comece novamente", disse em entrevista à RAI. "Ver a Ferrari a lutar até a última corrida do ano seria a coisa mais importante. Existem problemas de confiabilidade, mas entendo que pode acontecer quando se procura por respostas", completou.
Em 2019, a Mercedes conquistou os dois títulos por antecipação. Caso o campeonato não venha em 2020, Di Montezemolo quer a Ferrari lutando até o fim. "Como fã, eu espero que vençamos no próximo ano, e se não acontecer, que perca o campeonato na última corrida com uma equipa bem competitiva", comentou.
 Luca também falou sobre Charles Leclerc, que ocupa a terceira posição na classificação e com duas vitórias em seu primeiro ano de Ferrari. Para o ex-presidente, o monegasco superou expectativas, mas precisa de um freio na empolgação. "Ele é certamente rápido e ultrapassou as expectativas, mas isso tem que ser construído em base de crescimento. Por exemplo, nas últimas corridas, falou menos no rádio. Acho que isso é uma melhoria", completou.