Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lewis Hamilton vence GP da China

21 de Abril, 2014

Lewis Hamilton está muito próximo de assumir a liderança do campeonato mundial de pilotos depois da vitória no circuito de Xangai

Fotografia: Reuters

Em nova dobradinha da Mercedes, o britânico Lewis Hamilton levou a melhor no Grande Prémio da China e venceu ontem no Circuito de Xangai a terceira corrida consecutiva da época 2014. O colega de equipa, o alemão Nico Rosberg, e o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, completaram o pódio.

A equipa alemã continua sem rivais nesta época e já soma a quarta vitória em quatro corridas. Nico Rosberg tinha triunfado na estreia, no GP da Austrália. Lewis Hamilton, que largou na pole position, liderou de ponta a ponta e conquistou a 25ª vitória da sua carreira, a terceira na China. O britânico iguala, assim, o escocês Jim Clark e o austríaco Niki Lauda na lista de pilotos com mais vitórias. Agora, Hamilton é o oitavo no selecto ranking.

Nico Rosberg, que ainda não terminou abaixo da segunda posição, continua a liderar o campeonato de pilotos, agora com 79 pontos, mas viu a sua vantagem cair para apenas quatro pontos sobre o inglês.

O surpreendente australiano Daniel Ricciardo chegou em quarto e superou novamente o actual tetracampeão Sebastian Vettel, o seu companheiro de equipa na Red Bull. Vettel ainda não conseguiu engrenar nesta época. No meio da corrida, o alemão chegou até a receber pelo rádio ordens da equipa austríaca para deixar passar o jovem companheiro de 24 anos.

O também alemão Nico Hulkenberg, da Force India, voltou a mostrar muita regularidade ao chegar em sexto e repetiu o desempenho do GP da Austrália, depois de terminar em quinto na Malásia e no Bahrein.

Companheiro de equipa de Massa na Williams, o finlandês Valterri Bottas ficou em sétimo, à frente do compatriota Kimi Raikkonen, da Ferrari.
Sergio Pérez, da Force India, foi o nono classificado e o jovem russo Daniil Kvyat, da Toro Rosso, fechou a zona de pontuação.
Felipe Massa, da Williams, foi atingido logo na primeira curva por Fernando Alonso, o seu ex-companheiro de equipa da Ferrari. O brasileiro foi obrigado a parar nas boxes na 12ª volta.

A equipa demorou a trocar a roda traseira e o piloto, que ocupava a quinta posição, não conseguiu voltar à zona de pontuação e terminou em 15º lugar. No seu melhor resultado na época, o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, foi o terceiro colocado no Grande Prémio da China, realizado ontem. Satisfeito, o bicampeão mundial não escondeu a surpresa pelo resultado alcançado em Xangai.

“Foi um bom fim-de-semana. Melhorámos o carro e agora é mais competitivo. Por isso, estamos no pódio. Terminar em terceiro lugar foi uma grata surpresa para todos. É um passinho adiante, mas ainda falta muito a percorrer se quisermos aproximar-nos dos vencedores”, disse.

Fernando Alonso dividiu o pódio na China com Lewis Hamilton, vencedor, e Nico Rosberg, ambos da Mercedes. Com 79 pontos ganhos em quatro etapas, o alemão lidera o Mundial, seguido justamente pelo britânico, que tem 75 pontos. O espanhol, 41 pontos, é o terceiro.
“É uma honra estar atrás desses dois e continuamos a lutar. Hoje, fizemos uma corrida praticamente perfeita e é para isso que estamos aqui: para fazer corridas perfeitas domingo a domingo”, disse.

Convidado a comentar a corrida, Alonso assegurou que uma das principais dificuldades no GP da China foi administrar os compostos.
“Aqui a parte dos pneus é sempre complicada. Tanto na primeira paragem quanto na segunda era necessário ajustar bem os tempos para não perder a luta com Daniel Ricciardo. Nico Rosberg, da Mercedes, ultrapassou-nos com muita facilidade e o segundo lugar era inalcançável”, declarou.
Fernando Alonso augura fazer um bom resultado em Barcelona, no Grande Prémio de Espanha, no  dia 11 de Maio.

ORDENS DE ULTRAPASSAGEM
Vettel justifica demora
para ceder a posição


O tetracampeão mundial, o alemão Sebastian Vettel, hesitou ao receber a ordem da Red Bull para ceder a posição ao australiano Daniel Ricciardo durante o Grand Prémio da China. Quarto colocado em Xangai, o piloto da Oceania terminou uma posição à frente do companheiro.
“Abri para o Daniel assim que soube que estávamos em estratégias diferentes”, disse Vettel, que questionou a equipa pelo rádio antes de ceder a posição.

“Com o desenrolar da corrida, percebi que não tinha ritmo suficiente para segurar o Daniel Ricciardo”, afirmou.
Escolhido pela Red Bull para substituir o compatriota Mark Webber a partir desta época, Daniel Ricciardo, com passagem pela Toro Rosso, está a dar trabalho a Sebastian Vettel tanto nos treinos classificativos quanto nas corridas. Por enquanto, o alemão soma 33 pontos contra 24 do australiano.

“O carro ainda não está no nível que desejo, mas o processo está em curso. Espero que, nas próximas corridas, possamos dar mais alguns passos na direcção certa. A nossa fraqueza não são as curvas, mas sim as rectas. A primeira parte da corrida foi boa, mas depois não tenho a certeza do que aconteceu”, afirmou.

REVELAÇÃO 
Convite de Stefano
era “brincadeira”


Stefano Domenicali renunciou ao cargo de chefe da Ferrari há oito dias e anunciou a chegada de Marco Mattiacci para substituí-lo. Há menos de uma semana na nova função, o novo chefe da equipa Ferrari confessou que, inicialmente, ao receber a ligação de Luca di Montezemolo, presidente da equipa, achou que o convite se tratava de uma brincadeira.Eu moro em Nova Iorque e recebi um telefonema na sexta-feira, às 5h58. O presidente Montezemolo estava ao telefone e falou-me sobre a ideia. Disse-lhe que o dia da mentira já havia passado há mais de 15 dias, mas após dois ou três minutos percebi que era a sério”, afirmou Mattiacci.

Chefe executivo da Ferrari na América do Norte, o italiano viajou às pressas para Itália e desembarcou em Maranello na manhã de sábado. Ao chegar ao local, reuniu-se com Domenicali antes de viajar a Xangai, palco do quarto Grande Prémio da China.“Stefano Domenicali é uma grande pessoa; é um amigo. Passei algumas horas com ele no último sábado e na última segunda-feira passámos o dia inteiro juntos. Stefano é uma pessoa por quem tenho o maior respeito como ser humano e como profissional. Por isso, foi natural essa conversa para discutir sobre as funções”, completou.

Mattiacci acompanhou os treinos livres das boxes da Ferrari e viu Fernando Alonso liderar a primeira sessão e encerrar o dia como o segundo mais rápido. Ao ser questionado sobre o uso de óculos escuros nas boxes, o dirigente citou a rotina cansativa dos últimos dias.“Se fizer em menos de quatro dias quase 40 horas de voo e não dormir nos últimos quatro dias, provavelmente vai precisar de óculos de sol”, afirmou.

CLASSIFICAÇÃO
Grande Prémio da China

      |Piloto                 |Equipa         |Tempo


1. Lewis Hamilton (GBR/Mercedes) – 1h35min09s751
2. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 18s945
3. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 25s019
4. Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) – a 27s559
5. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) – a 49s962
6. Nico Hulkenberg (ALE/Force India) – a 56s177
7.  Valtteri Bottas (FIN/Williams) – a 56s703
8. Kimi Räikkönen (FIN/Ferrari) – a 1min19s385
9. Sergio Pérez (MEX/Force India) – a 1min24s795
10. Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso) – a 1 volta
11. Jenson Button (GBR/McLaren) - a 1 volta
12. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso) - a 1 volta
13. Kevin Magnussen (DIN/McLaren) - a 1 volta
14. Pastor Maldonado (VEN/Lotus) - a 1 volta
15. Felipe Massa (BRA/Williams) - a 1 volta
16. Esteban Gutiérrez  (MEX/Sauber) - a 1 volta
17. Kamui Kobayashi (JAP/Caterham) - a 1 volta
18. Jules Bianchi (FRA/Marussia)  - a 1 volta
19.  Max Chilton (GBR/Marussia) - a 2 voltas
20. Marcus Ericsson (SUE/Caterham) - a 2 voltas
21. Romain Grosjean (FRA/Lotus) - Abandonou
22. Adrian Sutil (ALE/Sauber) - Abandonou