Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lewis Hamilton vence grande prmio de Itlia

03 de Setembro, 2018

Piloto da Mercedes no deixou os seus crditos em mos alheias e justificou o porqu que a sua equipa fez um rduo trabalho

Fotografia: DR

O périplo pela Europa chegou ao fim e o piloto inglês Lewis Hamilton venceu o Grande Prémio da Itália, realizado ontem no autódromo de Monza,  perante uma plateia hostil, que chegou mesmo a vaiá-lo no pódio.
O piloto da Mercedes não deixou os seus créditos em mãos alheias e justificou ‘o porquê’ que a sua equipa fez um árduo trabalho, para reduzir a diferença com a Ferrari e mostrou que em Monza ainda é a Mercedes que manda, mesmo com carro inferior.
A largada foi boa entre os pilotos da linha da frente, Raikkonen e Vettel, que partiram bem e mantiveram as posições. Raikkonen arrancou bem e fechou a porta a Vettel e este, aos pilotos da Mercedes.
Mas Hamilton e Vettel tocaram-se na segunda contra-curva e este último desceu para o 17º lugar;  Verstappen roubou o quarto lugar a Bottas, logo no  início da corrida.
Raikkonen foi ultrapassado por Hamilton na quarta volta, mas Kimi deu a mesma resposta a Hamilton. A Mercedes fez um “blef” à Ferrari nas boxes e esta (Ferrari) simulou ter caído, no “bleff”, e chamou Raikkonen. Fruto desta simulação da Ferrari,   quando Hamilton foi às boxes, acabou por sair na mesma atrás de Raikkonen. A Mercedes fez um excelente trabalho com Bottas, pois este meteu Raikkonen nas “garras” de Hamilton, que ultrapassou Raikkonen na 43ª volta.
Na parte de trás da corrida, Vettel fez uma recuperação incrível e já na 28ª volta estava  como 4º classificado, devido à entrada de Verstappen nas boxes. No sábado, já era sabido que as equipas  Red Bull e a Renault dariam uma estratégia diferente aos seus pilotos, Daniel Ricciardo e Nico Hulkemberg, respectivamente,  já que os mesmos partiriam de trás, mas rapidamente chegariam aos lugares dos pontos. Mas Ricciardo desistiu na 26ª volta com o propulsor a entregar a “alma ao criador”. Segundo os adeptos da teoria da conspiração, algo pode estar a passar-se na Red Bull, pois desde que o piloto assumiu a sua transferência para a escuderia Renault, tem sido mal sucedido nas corridas. Já Hulkemberg não conseguiu chegar à zona dos pontos. O GP de Monza foi muito emocionante do princípio ao fim, os pontos mais críticos desta corrida foram os toques entre Hamilton e Vettel e o de Bottas e Verstappen. Este último foi penalizado e perdeu a oportunidade de ir ao pódio que ficou da seguinte forma: 1º Hamilton, 2º Raikkonen e 3ºBottas.
RAIKKONEN OU LECLERC
NA FERRARI EM 2019?
A escuderia Ferrari está prestes a cometer mais um erro para o próximo ano, pois existem rumores de que Kimi vai renovar com a Ferrari até 2019 ou 2020. Para muitos amantes da modalidade, este será o pior erro que a Ferrari vai cometer a nível de pilotos para o próximo ano. Eles (Ferrari) precisam de uma dupla de pilotos como as de Alain Prost e Ayrton Senna, na McLaren, e Lewis Hamilton e Nico Rosberg, na Mercedes. Muitos acreditam que se Daniel Ricciardo fosse piloto da Ferrari na presente temporada, dificilmente seria batido por Lewis Hamilton, já que apenas Vettel consegue travar o piloto britânico, quando ambos estão em condições idênticas. Raikkonen, em condições normais, dificilmente consegue travar o ímpeto de Hamilton, se olharmos para as estatísticas (2017 e 2018) dos pilotos das equipas de top.  A Ferrari é a que está em piores condições. Na Mercedes e na Red Bull, já todos os pilotos venceram corridas.    
Depois do Grande Prémio de Itália, realizado no circuito de Monza, os motores voltam a roncar no Grande Prémio de Singapura no circuito de Marina Bay, que foi a primeira corrida nocturna na história da Fórmula 1. O último vencedor do Marina Bay foi Lewis Hamilton, mas Sebastian Vettel é o maior vencedor deste circuito, com 4 vitórias em 2011, 2012 e 2013 pela Red Bull, e 2015 pela Ferrari.
O nome do vencedor do Grande Prémio de Singapura, que se disputa no próximo dia 16 de Setembro, é ainda uma incógnita, mas já está a mexer com o coração dos amantes  da alta velocidade do asfalto. Serão a Mercedes e a Red Bull capazes de inverter o quadro do favoritismo da Ferrari? Olha  que a conquista da \"pole\" é fundamental, mas não é necessário ter a velocidade de ponta da Ferrari, já que é um circuito citadino com as mesmas características do de Mónaco.