Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Liberty salva Grã-Bretanha

13 de Janeiro, 2017

Empresa de media vai investir na prova

Fotografia: AFP

O contrato de Silverstone para o GP da Grã-Bretanha é válido até 2026, mas uma cláusula de ruptura pode terminar o acordo mais cedo, embora precise ser activada antes da corrida deste ano, em Julho.

John Grant , presidente do British Racing Drivers' Club (BRDC), acredita que o crescente envolvimento da Liberty Media nos direitos comerciais da F1 pode ser um passo na direcção certa.

"Algumas coisas estão a ir a nosso favor. A mudança iminente de propriedade da F1 deve ser útil a médio prazo", disse ao Autosport, site que faz parte do Grupo Motorsport.

John Grant reiterou que "a Liberty parece simpática" aos seus "olhos".

"Precisamos de um reequilíbrio da equação económica. Estamos a explorar muitas maneiras e a conversar com várias partes", esclareceu.

DINHEIRO PÚBLICO
Outra área possível que poderia fornecer a assistência é o sector público, embora tradicionalmente o governo não disponibilize ajuda financeira a Silverstone.

"Existem argumentos convincentes que o dinheiro público seja usado, mas entendemos que a F1 é vista como um desporto rico. Não acho que o dinheiro seria politicamente possível, mas alguma outra forma de apoio público possa ser", disse.

Grant acrescentou que, mesmo se o BRDC activar a cláusula de ruptura, isso não significaria necessariamente o fim do GP da Grã-Bretanha.

"Se fizermos isso, não vai ser o fim, seria uma base para as novas negociações.  Não veríamos isso como irrevogável", disse.

E A VENDA?
O BRDC falou com várias partes diferentes no último ano sobre uma possível venda de Silverstone para ajudar o clube financeiramente. Grant acredita que a posição do BRDC está mais forte, graças a alguns acordos, como o de sediar uma etapa do mundial de Rallycross a partir de 2018.

"Temos um óptimo apoio da Heritage Lottery Fund e agora os conselhos locais e as parcerias empresariais uniram-se para fornecer grande parte do saldo do financiamento necessário", disse

Grant asseverou que "esse é um grande passo à frente, porque deve atrair meio milhão de novos visitantes a Silverstone todos os anos".

"Com todas essas coisas a acontecer, então, estamos a sentir menos pressão para ter de fazer um acordo imediatamente (para vender Silverstone)".