Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Líder do Mundial elogia equipa

18 de Maio, 2015

Valentino Rossi conquistou ontem, o segundo lugar no Grande Prémio de França de MotoGP

Fotografia: AFP

Valentino Rossi conquistou ontem, o segundo lugar no Grande Prémio de França de MotoGP, depois de largar na sétima posição. O italiano fez uma boa saída. Depois de passar Andrea Dovizioso, instalou-se no segundo lugar para completar a dobradinha da Yamaha com 3s820 de atraso para Jorge Lorenzo, que conquistou a sua segunda vitória em 2015.

Após a corrida, o italiano elogiou os seus mecânicos e engenheiros e avaliou que a equipa fez a aposta certa, ao modificar o acerto da YZR-M1 após o sétimo tempo no warm-up da manhã.

“Estou muito feliz, porque tivemos muita dificuldade durante os treinos. Esta manhã, fizemos uma modificação na moto e deu-me um ritmo melhor, mas no warm-up não era rápido, não era rápido o bastante, estava mais de 0s5 atrás de Marc Márquez e de Jorge. Portanto, comecei a ficar preocupado, pois achei que também podia ser difícil um pódio, pois também Andrea Dovizioso era mais rápido do que eu. Mas tenho uma óptima equipa e trabalhámos de uma boa forma”, explicou.

Valentino Rossi revelou “o grupo decidiu apostar, arriscar um pouco e foi o movimento certo, a decisão certa”. “A minha moto estava fantástica na corrida”, disse.

Rossi destacou que se divertiu bastante no circuito de Bugatti. Quando assumiu a segunda posição, disse que tentou aproximar-se de Lorenzo. Mas avaliou, que quando o espanhol “desce o martelo”, expressão usada pelo número 99, é muito difícil acompanhá-lo.

“Gostei  de me divertir, fiz uma boa largada e pude ultrapassar com a aceleração ao máximo. Na metade da corrida, cheguei atrás de Lorenzo a 2s. Não estava longe, porque podia vê-lo”, disse.

Valentino Rossi disse que obter os 20 pontos “são muito importantes para o campeonato” e “fazer uma volta rápida é sempre o ponto fraco”.

Contudo, a “moto foi fantástica e sempre muito equilibrada”. Ir a Mugello nessa condição deixa-lhe “muito feliz” e espera que se repita o resultado.