Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lista C caa votos no Bi

Srgio V.Dias, no Cuito - 24 de Outubro, 2016

Recordista nacional de lanamento de dardo (ao centro) tem na organizao interna da direco da federao uma das metas para o quadrinio 2016/2020

Fotografia: Jose Cola

Depois de oficializar a sua candidatura ao pleito eleitoral da Federação Angolana de Atletismo (FAA), Bernardo João desdobra-se agora em campanha para convencer a população votante das principais praças a elegerem como presidente do organismo. Candidato pela Lista C, o ex-atleta procura nesta segunda-feira, dia 24, “caçar votos” no Bié, uma das províncias apontadas como dos principais viveiros da modalidade no país.O ainda recordista nacional de lançamento de dardo apresenta no Bié as principais linhas de força da sua candidatura, que tem como lema “olhar o atletismo por dentro”.

Porém, para cortar a meta em primeiro lugar no pleito eleitoral de 8 de Novembro, Bernardo João aponta como uma das prioridades do seu mandato a organização interna do órgão reitor do atletismo no país, assim como das associações provinciais.A criação do “Programa Tóquio 2020”, que tem como pano de fundo o alicerçar de condições para a selecção de atletas e de premissas para que estes cheguem aos Jogos Olímpicos com as marcas mínimas para esta montra do desporto é outra das prioridades.

O candidato da Lista C tem ainda em carteira a regularização, modernização e aposta na formação de treinadores, juízes e de cronometristas, nos mais diferentes níveis, caso seja eleito presidente da Federação Angolana de Atletismo a 8 de Novembro próximo.
Bernardo João propõe-se, também, a desenvolver um trabalho árduo juntos dos principais clubes, realizar regularmente assembleias-gerais de aprovação de relatórios e contas de forma a dignificar o atletismo nacional.

Se for eleito presidente da FAA, o cabeça da Lista C deverá contar com antigo fundista João Ntyamba e Gertudes Sepúlveda nos cargos de vice-presidentes.João Dombaxi, que no consulado do presidente cessante, Carlos Rosa, exerceu as funções de secretário-geral pode manter-se na toada.

A José Almeida estará reservada a presidência da Mesa de Assembleia-Geral, em que terá como vice-presidente Francisco Xavier e como secretária Carla Carvalho.Enquanto isso, a presidência do Conselho Fiscal estará reservada a Delfina Machado e do Jurisdicional a Adalberto Fernandes. Margarida Carvalho, por seu turno, tem o seu nome proposto para a presidência do Conselho Fiscal na candidatura da Lista C.É de recordar que Bernardo João tem como opositor à corrida ao cadeirão principal da Federação Angolana de Atletismo Carlos Rosa, presidente cessante do organismo, que corre para um terceiro mandato.

CAMPANHA
Carlos Rosa está nas terras do progresso


Candidato à sua sucessão, Carlos Rosa, procura convencer os eleitores das diferentes praças a votar no seu programa de acção. Cabeça da Lista A ao pleito eleitoral da Federação Angolana de Atletismo, o presidente cessante do organismo trabalhou domingo último no Cuando Cubango e na quarta-feira, dia 26, vai a província mais ao Norte do país, Cabinda.

Tal como fez no último fim-de-semana nas chamadas “Terras do Progresso”, o presidente cessante da FAA segue à Cabinda, com o claro propósito de convencer a população votante para o seu “reassalto ao cadeirão principal” do organismo.Carlos Rosa promete acima de tudo, caso venha a ser reeleito para o terceiro mandato, dar início à formação de treinadores de nível II e IV, para o que já estão na segunda fase do nível I. A formação de juízes e de cronometristas afiguram-se também como tarefas prioritárias do seu plano de acção para o mandato para o ciclo 2017-2020.

O presidente cessante da Federação Angolana de Atletismo que deu o pontapé de saída da sua campanha nas cidades de Moçâmedes e da Huíla trabalhou igualmente no Uíge, Bié, Huambo e Lunda-Norte, respectivamente.Aquando da sua passagem pelo Bié, a 18 deste mês, Carlos Rosa manteve encontros com os responsáveis da Associação Provincial de Atletismo e de alguns clubes, no sentido de dar a conhecer os seus planos para o mandato do ciclo que se avizinha.

Depois de Cuando Cubango e Cabinda, o candidato da Lista C vai tentar convencer os eleitores das províncias de Benguela e Bengo, nos dias 27 e 29 do corrente mês.Para já a estratégia de Carlos Rosa passa por trabalhar numa perspectiva de médio e longo prazos, com pessoas que se comprometem como o atletismo no país e assumam a responsabilidade de ajudar a inverter o actual quadro da modalidade.O Bié terá votos do Sporting e da Associação da modalidade.

FACTO
Disciplina
sobressa
i

No horizonte das diferentes modalidades, cujo movimento conhece algumas realizações aqui e acolá no Bié, o atletismo tem sido das disciplinas que mais sobressai.Para esse efeito, deve-se destacar a realização da corrida “Cuito cidade invicta”, que nos últimos anos está a ser caracterizada como uma marca do atletismo na província do Bié.

A referida prova tem sido realizada em vésperas dos festejos do Bié, que a partir de 2013 ganharam formato provincial, face à aproximação das datas de aniversário dos municípios do Cuito, Nharea e Cunhinga, respectivamente.A capital biena, a cidade do Cuito, com superfície de 4.814 quilómetros quadrados, assinalou a 31 de Agosto último 91 anos desde a sua elevação à categoria de cidade.
Nharea, por seu turno foi elevada à categoria de Conselho Administrativo e a sua sede à de vila através da Reforma Administrativa Ultramarina do então regime colonial a 15 de Agosto de 1965.

O município, que dista a cerca de 175 quilómetros a Norte do Cuito, tem uma extensão territorial de 7.560 quilómetros quadrados.Já o município do Chinguar, a 75 quilómetros a Sudoeste do Cuito, assinala este ano 45 anos de existência, após ascender à categoria de Vila, a 8 de Setembro de 1971.Com uma extensão territorial de 70.314, o Bié conta além do Cuito, com os municípios do Andulo, Cunhinga, Catabola, Camacupa, Cuemba, Chinguar, Chitembo e Nharea, revelando-se porém como dos grandes viveiros do atletismo no país.