Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Loeb faz despedida em casa

04 de Outubro, 2013

Piloto francês ganhou nove vezes consecutivas o campeonato mundial de rali e vai ser substituído por outro francês

Fotografia: AFP

Uma “powerstage” com 4,5 quilómetros na região de Estrasburgo assinalou ontem o início do Rali de França/Alsácia, 11ª prova do Mundial de Ralis (WRC) e serviu de palco à despedida oficial de Sébastien Loeb. O piloto francês, nove vezes consecutivas campeão do Mundo, escolheu o rali disputado na zona onde nasceu para dizer oficialmente adeus a esta disciplina da competição automóvel.

“Vou sentir a falta das sensações provocadas pelo deslizar do carro na terra ou na neve. É algo que não temos nas corridas em pista”, disse o francês que, aos 39 anos, prepara a estreia em 2014 no WTCC – mundial FIA de carros de turismo.

Quando faltam apenas três ralis para o final da actual época, a incursão pelas estradas asfaltadas da Alsácia serve para confirmar o título de campeão do Mundo de outro francês, Sébastien Ogier. O piloto do VW Polo WRC tem 83 pontos de vantagem sobre o belga Thierry Neuville (Ford Fiesta RS WRC) e basta-lhe pontuar para fazer a festa. Algo que, curiosamente, Ogier entende como pouco aliciante.

E isto porque o título, a acontecer, vai ser “ofuscado” pela presença de Loeb e consequente despedida do campeoníssimo. O francês é apenas o 7º a sair para a estrada e esse facto pode complicar-lhe o ritmo, mas Loeb não lhe dá grande importância. E todos sabem que o piloto da Citröen há-de querer despedir-se com um triunfo.

O duelo entre Ogier e o seu “delfim” Neuville pode estender-se às estradas da Alsácia.

Caso o belga não ganhe a primeira classificativa em Estrasburgo, que também é a Powerstage (e por isso distribui 3,2 e 1 pontos aos três mais rápidos), Ogier - que tem neste momento 83 pontos de vantagem - é imediatamente campeão, a duas provas do final.

Nesta época, o campeão disse que só ia participar em quatro ralis. Até agora, correu três, mas desses ganhou dois (Mónaco e Argentina) e fez um segundo lugar na Suécia. Loeb ganhou as últimas sete edições do Rali de França e venceu todas desde que decorre na Alsácia (2010). Foi aqui que conquistou o seu sétimo título de campeão do Mundo, na especial que passou pela sua cidade natal de Haguenau e que este ano também encerra o rali.

A prova decorre até domingo, em 20 classificativas em estradas de floresta e montanha, com asfalto irregular, secções estreitas e rápidas, sob temperaturas baixas e muito provavelmente chuva, num total de mais de 310 quilómetros cronometrados.