Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lotus encerra homenagem em memória de Senna

05 de Maio, 2014

Admiradores do piloto brasileiro assinalaram as duas décadas da partida do piloto

Fotografia: Reuters

Sob chuva e depois de quase 30 anos, a Lotus 97t de 1985 com a qual Ayrton Senna conseguiu duas vitórias e sete pole positions voltou à pista em Ímola no sábado. A homenagem à memória de  Ayrton Senna, 20 anos depois da sua morte, terminou com este evento pela manhã e foi uma chance única de reviver a memória do tricampeão.

Nestes quatro dias de tributo, de certa forma, Ayrton esteve presente. Seja por meio de seus F1 originais expostos nos boxes do autódromo Enzo e Dino Ferrari - onde Senna ganhou três corridas - como na memória do público que compareceu em peso ao local onde  o ídolo morreu de forma trágica. A grande estrela do tributo, a Mclaren do primeiro título mundial, não saiu dos boxes.

Entretanto, dezenas de fãs do piloto brasileiro rumaram, na última quinta-feira,  à campa do Ayrton Senna, em São Paulo, para homenageá-lo no 20º aniversário da sua morte, no Grande Prémio de São Marino, no circuito de Ímola. No dia um de Maio de 1994, na sétima volta, o carro de Senna saiu da pista e chocou contra um muro a 320 quilómetros/hora, na curva Tamburello, uma das mais rápidas e perigosas do Mundial de Fórmula 1. Foi transportado ao hospital Maggiore, em Bolonha, com forte traumatismo craniano e faleceu horas depois.