Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lubango aguarda o “gong”

Gaud?ncio Hamelay , No Lubango - 31 de Março, 2017

Mofu Makhaya Andile (à direita) vistoriou o pavilhão Nossa Senhora do Monte

Fotografia: Arão Martins | Lubango

As condições disponíveis para albergar o Campeonato de Boxe da Zona IV da Confederação Africana, de 25 de Abril a 1 de Maio, na cidade de Lubango, província da Huíla, agradam ao presidente da instituição regional da SADC, Mofu Makhaya Andile. O sul-africano inspeccionou em dois dias (terça-feira e quarta-feira) os pavilhões Multiusos da Nossa Senhora do Monte e anexo nº 1, bem como os locais de acomodação de atletas e de dirigentes.

Durante a estada na capital da Huíla, Mofu Makhaya Andile trabalhou com o Comité Local e a Federação Angolana de Boxe na verificação das condições dos locais de competição e de treino, bem como dos hotéis Serra da Chela e Gasper Lodge, que vão acolher as delegações participantes e membros da Confederação Africana de Boxe.

No final das visitas efectuadas, Mofu Makhaya Andile manifestou que as condições disponíveis \"ultrapassam as exigências impostas pela Associação Internacional de Boxe (AIBA) para a organização de eventos dessa magnitude\".

Mofu Makhaya Andile, também membro do Comité Executivo da Confederação Africana de Boxe (AFBC), convida os pugilistas dos 12 países integrantes da zona austral a participarem do evento que se espera ser um dos melhores alguma vez organizada em África.

\"A província da Huila reúne as condições de acomodação, locais de competição, transporte, asseguramento policial e médico, entre outras garantias, que nos satisfaz de todo. O comité organizador local fez um bom trabalho. O campeonato vai ser realizado com total sucesso. É uma garantia. A nossa Associação Internacional de Boxe (AIBA) exige o mínimo de condições para a realização de um evento desta natureza. O que constatei, ultrapassaram as exigências da nossa instituição em África\", disse.

Para Mofu Makhaya Andile, \"o comité local de organização e o presidente da Faboxe fizeram um trabalho preliminar excelente que passou os limites\". Diante da realidade, \"os pugilistas participantes estão convidados a competir no Lubango”.

Mofu Makhaya Andile destacou a importância da realização do Zonal IV da Confederação Africana no início do ano.

\"É importante por ser a base de sustentação de outras competições da nossa zona. Espero que trabalhem mais na criação de condições para acolherem o campeonato africano. Aceitaram que o elefante venha a vossa casa. É uma grande responsabilidade. Com paixão e vontade, que vejo em vós, este elefante (zonal IV) não vai ser nada. Fiquei muito satisfeito com o que vi até agora\", encorajou.

Mofu Makhaya Andile revelou que a realização do Campeonato Africano de Boxe da Zona IV no Lubango já foi aceite e autorizada pela Confederação Africana de Boxe e pela Associação Internacional de Boxe (AIBA).

A competição vai ser organizada de acordo com os regulamentos e regras da AIBA. Por essa razão, a delegação veio ao Lubango verificar o cumprimento dessas regras, segundo Mofu Makhaya Andile

O sul-africano agradeceu a Federação Angolana de Boxe, liderada por Carlos Luís, o governo provincial da Huíla e a Associação local pelas condições de preparação já existentes.

O presidente da Zona IV da Confederação Africana de Boxe, Mofu Makhaya Andile, foi igualmente recebido em audiência pela vice-governadora da Huíla para área Política e Social, Maria João Tchipalavela, a quem agradeceu o apoio que as autoridades locais prestam para o êxito da competição regional.


PREPARAÇÃO
Selecção Nacional
estagia no Huambo


A Selecção Nacional de Boxe vai estagiar na província do Huambo com vista a participação no campeonato africano da zona IV da Confederação Africana a realizar-se de 25 de Abril a 1 de Maio na cidade de Lubango.

“Está assegurado o estágio e contamos, mais uma vez, com a colaboração do Ministério do Interior, especialmente, o Comando Provincial da Policia do Huambo. Adicionalmente, vem outras instituições para melhorar as condições dos nossos jovens pugilistas que começam a fazer história para os Jogos Olímpicos de Tóquio\'2020”, assegurou Carlos Luís.

O presidente da Faboxe garantiu que a preocupação manifestada por Mofu Makhaya Andile vai ter a resposta na hora. O pavilhão multiuso da Nossa Senhora do Monte dispõe de condições para acolher a realização de testes antidoping. Há muitas salas que podem beneficiar de reabilitação num curto espaço de tempo para acolher as pessoas e as amostras.

Para salvaguardar a verdade desportiva, Carlos Luís afirmou que a Federação Angolana vai notificar as associações participantes sobre a realização de exames antidoping, quando estiverem no país. O objectivo é que se faça o acompanhamento devido para dar dignidade ao campeonato regional.


ORGANIZAÇÃO
Carlos Luís assegura prova exemplar


O presidente da Federação Angolana de Boxe (FABOXE), Carlos Luís, sublinhou que o país tem a competência e a capacidade de organizar um dos campeonatos exemplares na história do boxe africano. As participações nos eventos continentais fazem com que Angola conheça bem a realidade de cada país organizador.

“Estamos conscientes de que Angola pode fazer o melhor dentro daquilo que são os requisitos da Associação Internacional de Boxe e da Confederação Africana de Boxe”, argumentou Carlos Luís.

O caderno de encargos das duas instituições internacionais de boxe contemplam afazeres que a Federação Angolana de Boxe e as autoridades governamentais locais fazem com competência elevada. Por esse facto, pode-se aferir com segurança que \"Lubango vai acolher um campeonato regional jamais organizado na história do boxe em África\".

Carlos Luís tranquilizou as entidades internacionais pela vistoria que a segurança, acomodação, saúde e transporte, focados por Mofu Makhaya Andile, vão merecer o melhor tratamento.

\"A satisfação de Mofu Makhaya Andile e as declarações da vice-governadora provincial da Huíla, Maria João Tchipalavela, comprovam que as exigências não vão ser problemas nem sequer uma necessidade. É facto que existem as condições criadas. O presidente da zona IV fez a referência sobre a nota máxima; temos elogios da própria AIBA, porque reportámos um relatório inicial da nossa inspecção, enquanto Federação, e também na qualidade de vice-presidente da Confederação Africana de Boxe\", disse.

Carlos Luís sustentou que com a vinda ao Lubango de Mofu Makhaya Andile está confirmado que tudo aquilo “que se informou no relatório da Faboxe foi corrigido na íntegra com a nota máxima”.

Até a altura da realização do evento regional, nada mais vai ser aprimorado.

“Só temos é de executar; não temos de melhorar absolutamente nada. A disposição dos meios estão a olhos de todos: o Instituto de Emergências Médicas (IMENA), Serviço de Protecção Civil e Bombeiros e as garantias do governo. São meios físicos existentes. Não temos de recorrer a meios financeiros”, assegurou.

O dirigente federativo apontou que todo o apoio que vier, vai servir para contribuir na melhoria da selecção nacional, que deve apresentar-se melhor, na qualidade de anfitriã.

\"Estamos consciente que, com maior ou menor dificuldade, vamos encontrar os apoios necessários para que a nossa selecção esteja a cem por cento, tal como a organização, para corresponder a ansiedade de todos os angolanos”, disse.


CONTROLO
Pugilistas fazem
testes antidoping


Os pugilistas participantes no Campeonato Africana de Boxe da região IV, nos dias 25 de Abril a 1 de Maio, vão ser submetidos a testes antidoping antes, durante e depois dos combates, anunciou o presidente da instituição regional, Mofu Makhaya Andile.

“Estamos a falar de uma competição que deve respeitar as regras da AIBA. Por isso, na questão médica, deve estar presente no local da competição quatro ambulâncias nas portas de emergências, uma sala antidoping e outra de recuperação. Por outro lado, deve estar disponível um hospital para receber a qualquer momento eventuais pugilistas com ferimentos graves\", disse.

O dirigente sul-africano acrescentou que os pugilistas devem ser informados sobre as condições disponíveis e os regulamentos da competição. Os testes antidoping \"trazem credibilidade ao campeonato da zona IV\" perante a Associação Internacional de Boxe. Cada uma da equipa vai fazer-se acompanhar de \"um árbitro estrela\".

Mofu Makhaya Andile assegurou que participam do evento um total de 180 atletas entre masculino e feminino de 13 países da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), nomeadamente, Angola, África do Sul, Botswana, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, Suazilândia, Tanzânia e Zimbabwe.

Os atletas masculinos vão competir nas 10 categorias de peso, enquanto as femininos em cinco.

A realização das competições da Zonas são obrigatórias, segundo Mofu Makhaya Andile. O dirigente destacou que as provas dão maior rodagem competitiva aos atletas de cada região. Por isso é intenção do órgão reitor na SADC introduzir os escalões de júnior nos campeonatos africanos.

“Também vamos tentar introduzir a categoria de júnior nesta competição. Estamos a envidar esforços para que seja um campeonato que qualifique atletas para o campeonato africano”, prometeu.


COMPROMETIMENTO
Governo da Huíla garante apoio


A vice-governadora provincial da Huíla para o sector Político e Social, Maria João Tchipalavela, garantiu continuar a dar apoio necessário para a realização com êxito do Campeonato Africano de Boxe da Zona IV, na cidade de Lubango, durante a audiência concedida ao presidente da região, Mofu Makhaya Andile.

Maria João Tchipalavela destacou que a província da Huila possui muitos recantos turísticos, estruturas desportivas e muita juventude amante do desporto, para além de ter bom clima para a prática do desporto.

A governante espera que a realização do Campeonato Africano de Boxe da Zona IV, na cidade de Lubango. seja uma atracção desportiva, económica e cultural entre os povos da região da SADC.

“Esperamos que os jogos da SADC no Lubango possam trazer os sul-africanos a fim de conhecerem um pouco mais sobre a realidade da província e lembrarmos de uma figura muito importante para o povo sul-africano e angolano que foi Nelson Mandela. Vamos continuar a dar o nosso apoio para o êxito da competição. Sejam bem-vindos!”, salientou.
GAUDÊNCIO HAMELAY | LUBANGO