Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lubango cria condies para o Zonal IV

Gaud?ncio Hamelay , No Lubango - 18 de Março, 2017

cidade do Lubango, provncia da Hula, acolhe nos dias 25 de Abril a 1 de Maio, o Campeonato Africano de Boxe da Zona IV

Fotografia: Jornal dos Desportos

A cidade do Lubango, província da Huíla, acolhe nos dias 25 de Abril a 1 de Maio, o Campeonato Africano de Boxe da Zona IV com a presença confirmada de pugilistas de 13 países integrantes da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC). Para o efeito, o presidente da Federação Angolana de Boxe (FABOXE), Carlos Luís, trabalhou quarta-feira, no Lubango, com as autoridades governamentais da província para a preparação do certame.

Durante a sua estada nas terras altas da Chela, Carlos Luís e o seu elenco mantiveram um encontro de concertação com o Governador da província, João Marcelino Tyipinge, que agradeceu a Federação Angolana de Boxe por ter escolhido a província da Huíla para albergar a competição continental regional.

O presidente da instituição reitora do boxe em Angola, Carlos Luís, confirmou que se deslocou à cidade de Lubango para concluir o trabalho iniciado em Outubro de 2016 concernente à realização do Campeonato Africano de Boxe da Zona IV. A realização do processo eleitoral havia interrompido os contactos exploratórios que se circunscreve na concertação com as mais variadas unidades hoteleiras, organismos de apoio e, principalmente, o governo provincial da Huíla.

“Mantivemos uma reunião com o Governador da província da Huíla, João Marcelino Tyipinge, na qual nos agradeceu por termos escolhido a cidade de Lubango para acolher este grandioso evento. Por outro lado, encorajou-nos a trabalhar no sentido de atingirmos os objectivos traçados pelo governo: a massificação do desporto\", esclareceu.

Carlos Luís enalteceu o préstimo de João Marcelino Tyipinge para o sucesso do evento regional continental.  

\"O desenvolvimento das modalidades desportivas é fundamental para a economia do país, porém, o Governo está atento. É nesse pensamento que o Governador da Huíla nos concedeu os apoios solicitados. Estamos também satisfeitos e muito agradecidos por isso”, exaltou.

A delegação da federação chefiada por Carlos Luís foi igualmente recebida pelos vice-governadores provinciais, Sérgio da Cunha Velho e Maria João Tchipalavela.

“Os governantes encorajaram-nos e deram-nos também a certeza de que vão trabalhar connosco na organização do evento. Por isso, saímos daqui encorajados e confiantes de que este pode ser um dos melhores eventos internacionais alguma vez organizado na cidade do Lubango”, realçou. 

Sob a orientação do Governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, foi criada uma comissão organizadora local para o êxito do Campeonato Africano de Boxe da Zona IV.

Carlos Luís esclareceu as razões que o levaram a aceitar a proposta da Confederação Africana de Boxe para acolher a competição. O desejo de aceitar o desafio ficou plasmado quando o seu elenco se apercebeu ser a \"única candidatura\" a concorrer às eleições de renovação.

“Recorremos ao Ministério da Juventude e Desportos, como é da praxe, para apresentar a proposta de realização e com o apoio recebido das entidades governamentais e empresariais da Huíla, concluímos que é possível a organização desse evento grandioso na cidade de Lubango\", disse.

A competição vai ser disputada por 15 países da região da SADC, nomeadamente, Angola, África do Sul, Botswana, República Democrática do Congo, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, Suazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe.

Para albergar os combates, a organização tem disponíveis os pavilhões Gimnodesportivo do Benfica Petróleos do Lubango e o Multiuso da Nossa Senhora do Monte. A avaliação dos recintos acontece na próxima semana, período previsto para o desembarque dos inspectores internacionais da Confederação Africana de Boxe.

A equipa de inspectores vão trabalhar durante dois dias na constatação das condições dos hotéis disponíveis, transportes e pavilhões.  O relatório  final vai definir a realização do evento.


PROVA REGIONAL
Angola almeja o primeiro título


A conquista pela primeira vez do título de campeão africano de boxe da zona IV constitui um dos propósitos manifestados pelo presidente da Federação Angolana da modalidade, Carlos Luís, com a organização do evento continental em Angola.

Para sustentar a decisão, Carlos descreveu que desde 2013, na sua primeira participação como gestor da Federação Angolana, o país ocupou o quinto lugar e no ano seguinte, o terceiro.

\"Desde então, somos aspirantes ao título e estamos confiantes na conquista pela primeira vez desse título continental\", assegurou.

Carlos Luís realçou os objectivos por que realiza a competição regional na cidade do Lubango.

\"Queremos estar no ranking africano entre os cinco melhores do continente e, a nível do mundo, estar entre os 50 países mais bem posicionados”, apontou. 

Para além da ambição de conquistar o título continental regional, o dirigente desportivo avançou outros factores que se associam à organização do evento. Angola entra na lista, por direito, das nações com poderes e capacidades de organização de certames desportivos, segundo Carlos Luís.

“Angola tem de ser referência nas organizações internacionais; deve mostrar que é capaz e faz bem. Por outro lado, é sempre um privilégio organizar um evento dessa magnitude. A imagem do país é publicitada e as receitas de divisas entram nos cofres do país\", disse.

Com a experiência da competição regional, Carlos Luís assegura que o país deve começar a pensar em organizar eventos desportivos de maior dimensão, independentemente da situação económica actual.

\"Devemos recordar que nos momentos mais difíceis da nossa história ou seja no período da guerra, fomos capazes de fazer muita coisa. Agora, por uma pequena crise económica, não vamos cruzar os braços; temos de mostrar que o povo angolano é forte e sempre venceu”, destacou.

Carlos Luís destacou que a Federação Angolana de Boxe se associa ao público huilano com o espírito de camaradagem e de missão, promovendo momentos de lazer e de muita alegria para a juventude local. Por outro lado, a vinda de pessoas de culturas diferenciadas ajuda no fortalecimento da amizade entre os povos da SADC.

“Com esse evento, queremos que os jovens estudantes tenham a oportunidade de contactar os visitantes e trocarem as experiências para enriquecer os conhecimentos sobre as histórias desses povos. Os alunos estudam Geografia, Ciências Sociais, Relações Internacionais e outras, então, têm a legítima oportunidade para abordar os estrangeiros que vêm ao nosso país”, disse.

Carlos Luís afirmou que a organização de um evento desportivo tem vários ganhos e a Huíla sabe como se ganha.


PROGNÓSTICO
Competição relança boxe huilano


O presidente de direcção da Associação Provincial de Boxe da Huíla, Daniel Cabango “Lussa”, destacou que a realização do campeonato africano da Zona IV no Lubango vai relançar a modalidade no país, em particular, na sua circunscrição.

“Esperemos que a modalidade dê avanços significativos, tanto mais que no encontro com o Governador Provincial da Huíla se falou também da vinda de um técnico cubano para reforçar ou aguentar o boxe na província. Isso satisfaz os nossos intentos para o bem do boxe”, salientou.

O dirigente huilano manifestou a satisfação por ser o anfitrião do evento.

“Estamos satisfeitos com a realização da actividade na nossa província. Com a presença do presidente da Faboxe e do seu elenco no Lubango para a concertação com as autoridades, estamos mais confiantes que a competição regional vai ser uma realidade”, enalteceu. 

Daniel Cabango “Lussa” afiançou que a Associação provincial, em parceria com as autoridades governamentais locais, estão a trabalhar para acolher com êxito o evento continental. Confirmou que as condições estão garantidas e acauteladas para que o evento seja enaltecido. 

Prometeu trabalhar para que os pugilistas huilanos também possam ter a oportunidade de integrar a selecção nacional de boxe com vista o africano que a cidade do Lubango alberga no próximo mês.

“Estamos a trabalhar para colocar um ou dois atletas da Huíla ao serviço da Selecção Nacional. Para o efeito, o coordenador técnico também vai trabalhar com os pugilistas huilanos”, garantiu.

A Huíla é um dos pólos de desenvolvimento de boxe há muitos anos. Nos tempos áureos, vários pugilistas integraram as selecções nacionais que levaram a bandeira de Angola em diferentes competições internacionais, como campeonatos africanos.

PRIMEIRA VEZ
Selecção feminina disputa africano


Angola vai participar pela primeira vez, selecção feminina, no campeonato africana da zona IV, a decorrer de 25 de Abril a 1 de Maio, na cidade do Lubango, anunciou o presidente da Federação Angolano de Boxe, Carlos Luís.

O dirigente angolano justificou, que chegou o momento para o país lançar o boxe feminino, nas competições internacionais. E, o evento da zona IV, no Lubango, é o ideal por oferecer as melhores condições psicológicas.

“Pela primeira vez, Angola vai entrar com o boxe feminino, nas competições internacionais. Não é uma grande aposta, mas há a necessidade de lançar o boxe feminino”, defendeu.

Carlos Luís reconheceu não esperar resultados positivos da participação feminina, no campeonato africano, espera que as pugilistas dêem o melhor de si.

“Não acreditamos em grandes resultados, mas vamos esperar que as nossas meninas se portem bem. E, se tiverem uma oportunidade de ganhar qualquer combate, vamos ficar satisfeitos. Senão, não vamos ficar tristes. Sabemos, que ainda somos jovens, nessa especialidade de boxe ,no género”, preveniu.

O dirigente federativo confirmou, que os atletas integrantes da selecção nacional vão ser apurados, num evento a realizar nos próximos dias. A qualidade de técnica exibida vai ser a mesma para a prova continental.

O presidente da Federação Angolana de Boxe assegurou, que Angola vai competir no campeonato africano regional, nas 10 categorias de peso entre os 49 kg e +91kg.
GAUDÊNCIO HAMELAY |- LUBANGO