Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lubango fervilha com campeões

Gaud?ncio Hamelay, no Lubango - 17 de Janeiro, 2017

Campeões nacionais travam despique a partir de amanhã na cidade do Lubango

Fotografia: José Cola

Depois da bola rolar nas cestas, Lubango volta a vibrar com as emoções do desporto. O pavilhão do Complexo Desportivo da Nossa Senhora do Monte acolhe a partir de amanhã até o dia 22 do corrente a XXVII edição dos campeonatos nacionais de ténis de mesa das categorias de iniciados, cadetes, juniores e seniores. Em busca do título de campeão estão na corrida 80 participantes em representação de seis províncias.

A defesa do título vai custar sacrifício a Elizandro André, bicampeão nacional de seniores, assim como ao campeão nacional de júnior, José Mayone, e a campeã nacional de cadetes Carla Ferreira. A missão é também espinhosa aos campeões nacionais de Pares Mistos, Edvânio Neto e Ruth Tavares; Pares Masculinos Edvânio Neto e ELizandro André; campeã de cadetes masculino, Osvaldo Rocha; campeã júnior feminina, Isabel Albino e à campeã sénior feminina, Ruth Tavares...

A Escola de Ténis de Mesa de Luanda não está isenta na luta pela preservação do título. A campeã nacional por equipa enfrenta pretendentes da Huíla (anfitriã), Luanda, Cabinda, Moxico, Namíbe e Huambo que vão expelir a experiência para conseguir o feito.
As crianças e adolescentes de Lubango estão ávidas para ver desfilar as estrelas nacionais do ténis de mesa. Todas as manhãs "visitam" o local da competição para se inteirar do arranque.

Para a competição da Federação Angolana de Ténis de Mesa, as condições técnicas e administrativas estão criadas, segundo Juka Fernandes. O presidente da Associação Provincial dos Desportos Individuais da Huíla assegurou que as delegações participantes estão alojadas no Lar do clube Ferroviário da Huíla e acautelou-se a alimentação, asseguramento, os treinos e os aspectos médico-medicamentosa através do Instituto de Emergências Médicas de Angola.

Para conferir boa qualidade à competição nacional, seis equipas huilanas estão prontas para fazer as honras de casa. As restantes províncias fazem presentes com uma equipa cada, com excepção de Luanda, que está presente com cinco. Pelo número de equipas, Luanda e Huíla podem discutir os primeiros lugares de cada categoria. A Escola de Ténis de Mesa e os Escorpiões da Boa Fé, ambas de Luanda, são as potenciais candidatas ao titulo na prova por equipas.

A qualidade dos seus executantes dá garantias de erguer os troféus. Juka Fernandes assegurou que, na qualidade de anfitriã, a Huíla vai procurar superar Luanda por disputar a prova nacional "em casa". O apoio de algumas individualidades colectivas e singulares e de outros patrocínios reforça a motivação dos atletas.

"Tudo indica que vamos fazer um dos campeonatos mais bonitos alguma vez realizado no país", disse com satisfação. Depois de anos colado à secretária, Manuel Morais está no Lubango na vestes de secretário-geral da Federação Angolana de Ténis de Mesa. O executivo afirmou que a Huíla "é uma província acolhedora que gosta de desporto". Por esse facto, espera que o evento decorra sem sobressaltos.

A reunião técnica para definir os moldes de disputa dos campeonatos nacionais acontece hoje às 18h00, numa das unidades hoteleiras a indicar pelo comité organizador.

OBJECTIVO
Huilanos ambicionam subir ao pódio


Os mesatenistas da província da Huíla possuem uma base sólida bem requintada, para discutir os títulos em todos os escalões em disputa nos campeonatos nacionais que a cidade do Lubango alberga a partir de amanhã, no pavilhão de Nossa Senhora do Monte. A garantia é do presidente da Associação Provincial dos Desportos Individuais da Huíla, Juka Fernandes.

A Huíla vai competir com 30 atletas, em representação de seis agremiações. Trata-se do Sporting Clube do Lubango, Clube Desportivo da Huíla (CDH), Águias do Calumbiro, Benfica Petróleos do Lubango, Clube Desportivo da Saúde e Clube da Palanca. Este último, tem a sua sede social localizada na comuna com o mesmo, no município da Humpata, a 22 quilómetros do Lubango.

Para a materialização dos objectivos definidos ( pódio), as esperanças recaem nos campeões provinciais Agostinho Victorino (cadetes), Alberto Chiongo (júnior) e Roberto Fabiano (sénior), segundo Juka Fernandes. Na classe feminina, Margarida Bernardo, campeã provincial, é "uma menina que está a sobressair muito bem" no escalão de cadetes, e "a Maria Samalinha, que esteve na China, é a referência principal que pode estar no pódio”.

Juka Fernandes revelou que o técnico Waldemar Cassanga, responsável pela preparação das atletas huilanas, deu garantias "do bom nível técnico" e podem surpreender na prova. O dirigente destacou que as sessões de trabalho decorreram no pavilhão do Sporting de Lubango com imensas dificuldades. Os atletas tiveram a falta de apoio no que concerne aos lanches depois de treinos. Apesar das carências logísticas, os atletas empenharam-se na técnica de movimento de serviço, e resposta ao serviço do adversário. Superaram gradualmente o golpe de esquerda, ou o chamado top spine.

“No top spine da direita, melhoramos muito. Agora, o da esquerda, os atletas encontram dificuldades. Há muita velocidade no movimento do ténis. Aquele movimento é ágil de um lado para o outro. Por isso, não podemos apertar muito os nossos atletas, para não criar outras situações graves como anemia. No fim de cada sessão de treinos, não conseguimos dar lanches condignos aos atletas”, reiterou.

Juka Fernandes apontou que o grande problema foi ver os atletas chegar para os treinos sem ter tomado o pequeno-almoço nas residências dos seus familiares. A situação preocupante fez com que se reduzisse o doseamento de carga.  Louvou a iniciativa de apoio, particularmente, da Direcção provincial da Saúde através do seu director, Altino Matias, que contribui com lanches para os atletas.

FORMAÇÂO
Técnicos superam
debilidades na Huíla 


Para colmatar as dificuldades técnicas dos atletas huilanos e de outras províncias participantes nos campeonatos nacionais, os técnicos da Federação Angolana de Ténis de Mesa procederam a sessões de aperfeiçoamento na cidade de Lubango. Waldemar Cassanga e António Cipriano, da área de arbitragem, estão engajados na superação dos antigos atletas.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Juka Fernandes, assegurou que Waldemar Cassanga e António Cipriano procuram transmitir conhecimentos para que os antigos atletas da Huíla e do Namibe estejam num bom nível técnico para exercerem boa arbitragem. O responsável da Associação dos Desportos Individuais da Huíla explicou que o treino de campo tem sido feito em competições internacionais. Daí comentou que nesta prova “não se fugiu à regra”.

Afirmou ser um período pré-desportivo em que os atletas de outras províncias com disponibilidades são submetidos a um refrescamento.  Argumentou que a província da Huíla tem falta de técnicos. Actualmente, possui apenas um com a formação de nível um. Por essa razão, salientou, às vezes, o único técnico existente na província não está disponível para fazer um trabalho a 100 por cento. 

Avançou que o acréscimo dos técnicos de Luanda vem engrandecer as bases dos atletas. “Os técnicos da federação estão satisfeitos e disseram-nos ter encontrado uma base bem-feita, assim como existe atletas que podem discutir o título em todos os escalões a par aos de Luanda”, rematou.

DESEMBARQUE
Namibe e Huambo chegam hoje na Chela


Os representantes do Namibe e Huambo são aguardados hoje, na cidade do Lubango, para participar na disputa da XXVII edição do Campeonato Nacional por equipas, pares, cadetes, juniores e seniores, a decorrer de 18 a 22 do corrente, no Complexo Desportivo  Nossa Senhora do Monte. O coordenador geral da prova, Juca Fernandes, confirmou que os namibenses chegam no período da manhã e os atletas do planalto central no período da tarde.

“A presença do Namibe e do Huambo é uma certeza. A qualquer altura, fazemos a recepção  das delegações. As formações masculinas vão ser hospedados no Lar do Desportivo do Ferroviário da Huíla, enquanto a classe feminina tem o "quartel general" na Hospedaria Flony Lda”.
 
Os atributos desportivos dos atletas dos Persistentes, em que se destaca António Lemos, e de José Mayone, do Clube Desportivo Escorpiões da Boa Fé, fazem com que as atenções fiquem  centralizadas nos dois conjuntos. O título nacional por equipas tem como pretendentes os Persistentes e os Escorpiões. Para além dos anfitriões, encontram-se no Lubango as formações de Luanda, com o Misto da capital, Os Persistentes, Anglodente, Escola de Ténis de Mesa de Luanda e Clube Desportivo Escorpiões da Boa Fé.
ÁLVARO ALEXANDRE | NO LUBANGO