Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Luís Sá Silva corre no GP Monza

Hélder Jeremias - 01 de Setembro, 2014

Piloto angolano participa na sétima jornada do campeonato Euro Séries de GP3 decorre sábado e domingo no circuito de Monza na Italia

Fotografia: Jornal dos Desportos

O piloto angolano Luís Sá Silva começa hoje em Portugal a derradeira fase de preparação física e técnica, tendo em vista a sua presença na disputa da sétima jornada do campeonato Euro Séries de GP3, a ter lugar sábado e domingo próximos no circuito de Monza, Itália.

Depois das férias que passou em Angola junto de familiares e amigos, o piloto regressou à Europa, tendo o seu regresso sido marcado por uma pálida prestação no decorrer da sexta jornada, com palco em  Spa-Francorchamps, Bélgica, nos dias 23 e 24 do transacto mês de Agosto, em que teve uma das piores prestações de sempre, na sequência do aparatoso acidente que o afastou da prova na segunda corrida.

Com a viagem de Portugal para a Itália marcada para as próximas 48 horas, o angolano assume a conquista de pontos como o objectivo principal da nova empreitada, de forma a redimir-se do insucesso e projectar a fase derradeira com mais eficiência, o que passa pela melhor coordenação dos integrantes da equipa.
"O mau resultado anterior deveu-se ao facto da má estratégia no jogo de pneus, quando as condições climáticas exigiam maior prudência, em função do pavimento escorregadio", lê-se no relatório. Por isso advoga a "necessidade dos técnicos fazerem um estudo minucioso sobre a probabilidade de ocorrência de chuvas no local da competição".

A sexta jornada começou mal ainda durante as qualificações, em virtude da equipa fazer uma escolha errada no tipo de pneumáticos, tendo utilizado pneus de chuva no princípio, para optar por slicks a 15 minutos do final, estratégia que se revelou contraproducente ao obter o 20º melhor tempo.
Na primeira prova, Luís Sá Silva procurou jogar ao ataque, não obstante ainda estar refém do imprevisível clima em Spa-Francorchamps, tendo efectuado três ultrapassagens e obtido a 16ª posição. Luís Sá Silva entrou para a segunda corrida decidido em virar o resultado a seu favor, mas teve pouca cautela numa altura em que rolava a 200 km, tendo provocado o despiste do seu carro e batido com grande impacto na barreira de pneus da Eau Rouge e ficado fora de competição.

"Foi uma prova muito difícil, em função das condições climatéricas, mas a estratégia de pneus usados pela equipa foi fundamental para que o resultado fosse negativo. É um facto que temos de repensar para melhorar a nossa prestação nas próximas jornadas", disse Luís Sá Silva.