Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Luísa Kiala agradece pelo reconhecimento

Silva Cacuti - 16 de Julho, 2016

Luísa Kiala tem no palmarés conquistas nos campeonatos de juniores e de seniores além da participação em mundiais de seniores

Fotografia: José Cola

Na sua primeira reacção, à indicação para ser a porta-bandeira da missão olímpica aos Jogos do Rio2016, a meia -distância da Selecção Nacional sénior feminina de andebol e do 1º de Agosto, Luísa Kiala, agradeceu ao país a honra da distinção.

"Na verdade, é uma responsabilidade grande, estou feliz por isso, uma vez que vou ser o rosto da missão olímpica angolana, não é fácil, quero agradecer a Angola, a Deus, ao clube e à minha família, por este reconhecimento".Luísa Kiala, 34 anos, representou a selecção nacional de andebol nas olimpíadas de Atenas 2004, onde a selecção obteve o 9º lugar; jogou em Beijing 2008, onde a selecção foi a 12ª, ainda em Londres 2012, em que a selecção ficou na 10ª posição.

A jogadora começou a praticar andebol aos 12 anos, na Textil, actual Maculusso, e rumou para o Petro de Luanda, clube em que se notabilizou e obteve conquistas nacionais e continentais. Actualmente, representa o 1º de Agosto. Luísa Kiala tem no seu palmarés conquistas africanas, nos campeonatos de juniores e de seniores, além da participação em vários campeonatos mundiais de seniores.    


ROSTOS OLÍMPICOS
Azenaide Carlos “Zizica”


A meia -distância, 26 anos,  1.75 m, natural de Luanda, começou a praticar andebol aos 15 anos, no 1º de Agosto. Actualmente, joga no Petro de Luanda, começou um pouco tarde, que fez com que Azenaide quase não representasse as selecções jovens. Cedo,  transformou-se num activo, da selecção sénior feminina. Tem vários campeonatos africanos e mundiais com a equipa sénior. O Rio de Janeiro  testemunhara sua terceira presença e a grande ambição de Zizica é trabalhar. "É uma ocasião única, qualquer atleta sonha, com isso. Na última presença, ficamos em décimo lugar, tenho a ambição de trabalhar, para ver se melhoramos esse lugar".


Liliana
Venâncio

Fruto do desporto escolar, Liliana, 21 anos, 1,86m, notabilizou-se na escola do Ekuikui II, aos 12 anos. Descoberta pelo 1º de Agosto, a pivot fez  no clube militar, a sua formação. Natural de Luanda, tem um percurso marcado por presenças nas selecções de cadetes e juniores, com as quais obteve várias conquistas. Ao serviço da equipa sénior,  esteve num campeonato mundial e vai estreitar-se em jogos olímpicos. "Para mim, estar nos jogos olímpicos é boa coisa, representa uma vitória".


Amistoso
Sete nacional mantém ciclo vitorioso


A Selecção Nacional sénior feminina de andebol, venceu na quinta-feira, em Luanda, a equipa júnior masculina do Grupo Desportivo da Banca, por 36-33, no segundo jogo de preparação para os os Jogos Olímpicos, de 5 a 21 de Agosto, no Rio de Janeiro.

O treino realizado no Pavilhão Principal da Cidadela, contou com a integração de Albertina Cassoma, que falhou o primeiro particular com o Ferroviário de Angola, em que o sete nacional venceu por 32-27.

Tal como no primeiro jogo, a selecção voltou a evidenciar debilidades no sector defensivo e ofensivo, face ao sistema táctico defensivo (seis -zero), utilizado pelo Grupo Desportivo da Banca, durante maior parte da partida.

Até aos 25 minutos, a defesa angolana mostrou-se incapaz de parar o ímpeto ofensivo da equipa contrária, cujos ataques terminavam, maioritariamente, em golo. Esta situação levou as jogadoras a correrem mais,  optarem por contra-ataques, facto que ditou a vantagem ao intervalo, por 19-18.

No reatamento, o combinado nacional demonstrou falta de entrosamento, o que permitiu o empate no minuto 36 (21-21).

Insatisfeito, com a postura das “pupilas”, o técnico Filipe Cruz obrigou-as a correrem mais, proporcionar maior dinamismo quanto às recuperações defensivas e saídas para o ataque. Aos 45 minutos as hendeca-campeãs venciam por 28-23, com o resultado final fixado em 36-33.