Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Manuel António contraiu lesão

16 de Agosto, 2013

Fundista angolano que está em bolsa de estudo no Brasil disputou o Campeonato do Mundo que decorre em Moscovo

Fotografia: Jornal dos Desportos

O fundista do Grupo Desportivo Interclube, Manuel António, único representante de Angola no Campeonato do Mundo de atletismo que decorre em Moscovo, não conseguiu melhorar a sua marca pessoal devido a lesão contraída quando faltavam poucos dias do inicio da prova.

Manuel António esclareceu que mesmo depois de ter contraído a lesão no tornozelo do pé esquerdo durante os treinos já no local da competição, foi obrigado a competir para representar as cores do país na prova dos 800 metros masculinos. Disse que por esse motivou a sua prestação neste campeonato mundial de atletismo não considerou positiva.

“A minha participação não foi positiva porque contraí uma lesão no tornozelo do pé esquerdo quando faltava poucos dias para o arranque da competição. Depois de estar já no local da competição tive de deixar de fazer esforços nos treinos para que as dores sarassem e pudesse ainda representar Angola nos 800 metros que era o meu principal objectivo que me levou a Moscovo. Contudo, consegui correr mas muito longe das expectativas de melhoria da minha marca pessoal”, lamentou.

 O corredor do Interclube que beneficia de uma bolsa de estudo no Brasil avançou em entrevista ao Jornal dos Desportos que competiu nos mundiais de atletismo na segunda prova eliminatória dos 800 metros em masculinos no dia 10 do mês em curso.

Manuel António contou que durante a primeira volta da prova estava bem colocado, mas quando restavam 200 metros para o término da mesma, foi obrigado a reduzir a passada por ter ressentido de muitas dores.

“Sendo assim, na minha série fiquei em sétimo lugar e sem qualquer hipóteses de passar para outra fase. Também devido a esse fracasso não consegui melhorar a minha melhor marca do ano que está fixada em 1 minuto 50 segundos e 44 décimas. Mas os objectivos continuam e agora vamos nos recuperar muito bem para começar a pensar em outros compromissos nacionais e internacionais”, frisou.

Em relação a lesão, Manuel António, referiu estar actualmente sob cuidados médios. Acrescentou ter efectuado já o RX para poder diagnosticar a gravidade da lesão. “Segundo os médicos pode ser uma tendenite de tornozelo que é a mais frequente para os atletas. E para sua recuperação tem de passar em sessões de fisioterapia e ressonância para uma rápida melhoria”, realçou.

 Adiantou que Angola esteve presente apenas com um atleta nestes mundiais de atletismo por ter sido o único mais próximo dos mínimos exigidos pela IAAF.


Meia maratona do Rio
marcada para domingo


A cidade do Rio de Janeiro acolhe domingo a 17ª edição da meia maratona internacional, uma das mais tradicionais provas do género no Brasil.
A expectativa é que cerca de 19 mil corredores participem do evento, que tem largada na Praia de São Conrado e chegada no Aterro do Flamengo após 21.097 metros.

Para atender os participantes, a organização da meia maratona montou uma estrutura que se compara às das grandes provas internacionais.
Cerca de 800 pessoas vão trabalhar no staff, além de 120 monitores de trânsito e 150 profissionais de saúde. Ao longo do trajecto vão estar 22 ambulâncias com UTI e nove postos de hidratação, assistência médica e vários WC.

Os atletas da categoria Elite têm ainda dois postos especiais de hidratação, um no km13 e outro à chegada. Ao todo, vão estar disponibilizadas 260 mil garrafas de água, 40 mil maçãs, 80 mil barras de cereais e 40 mil barras de “torrone”. O kit de participação e o chip descartável para marcação de tempo começam a ser entregues a partir de hoje até ao dia 17 deste mês, no Monumento aos Pracinhas, no Parque do Flamengo.