Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Manuel Garrido exalta angolanos

Rosa Napole?o - 20 de Dezembro, 2016

Seleccionador nacional felicitou os treinadores do 1º de Agosto e do Clube Náutico da Ilha de Luanda

Fotografia: Santos Pedro

O técnico da selecção nacional de natação, Manuel Garrido, manifestou ontem a sua satisfação pela prestação dos nadadores nacionais no torneio da zona 5 do Conselho de Desportos da União Africana, que o país albergou até domingo último.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Manuel Garrido referiu que o resultado alcançado nesses jogos é largamente positivo pelo facto de não termos obtido medalha na competição de 2014, em Bulawayo. “Se fecharmos os olhos e olharmos para trás, vamos ver que a natação deu um salto não apenas quantitativo como qualitativo também. Angola esteve presente na edição passada e não conseguiu nenhuma medalha.

Desta vez, conquistámos seis medalhas (uma de prata e cinco de bronze) e terminou a competição na quarta posição. Este é um resultado que nos deixa felizes e com a sensação do dever cumprido”, disse.

Manuel Garrido disse ainda que esta prova lançou novos valores que vão revolucionar a natação nas próximas competições.  “Se tivermos de pormenorizar as coisas, diria que lançámos novos valores. No princípio da prova, não tínhamos muitas opções. Tivemos de arriscar, fomos bastantes corajosos e apostamos em jovens que não nos davam garantias de obter medalhas. Felizmente, no desenrolar da competição, conseguiram superar-se e obter as medalhas”, esclareceu.

O técnico realçou que a prestação do atleta mais jovem da competição, Henrique Mascarenhas, foi uma surpresa e superação que pode valer a natação nacional nos próximos eventos.

“Ficamos surpreendidos com a prestação do Henriques Mascarenhas. Elevou a natação nacional com mais uma medalha. Evolui na África do Sul e as condições de treino são diferentes. Contudo, revelou ser a próxima promessa. Tem um forte potencial e superou os obstáculos para conseguir a medalha de bronze na prova dos 400 metros livres”. disse.

O treinador estendeu o mérito para os nadadores do Clube 1º de Agosto e do Clube Náutico da Ilha de Luanda por competirem com classe e nunca desistiram. “Tenho a agradecer os treinadores desses clubes que fizeram um excelente trabalho com os atletas Alberto Henriques e o Cláudio Esteves. São nadadores que ajudaram a selecção e têm futuro promissor”, disse.

ELEIÇÕES
Mário Fernandes vai hoje às urnas


O pleito eleitoral para a renovação de mandato dos novos corpos gerentes da Federação Angolana de Natação (FAN) para o ciclo olímpico 2016-2020 realiza-se hoje entre às 9h00 e às 12h00, na sala de reuniões da sede da instituição, localizado no Complexo da piscina do Alvalade, em Luanda.

Mário Fernandes, único candidato ao escrutínio eleitoral, conta com os votos dos associados das províncias da Lunda-Sul e Luanda. Na capital do país, o Clube Náutico da Ilha de Luanda e o 1º de Agosto são as equipas autorizadas a votar. Para o próximo ciclo olímpico, Mário Fernandes tem como prioridade no seu plano de acção continuar a trabalhar com os clubes e as escolas de natação, aprofundar a massificação e reforços institucionais.

O candidato pretende trabalhar em parceria com o Ministério da Educação na formação de professores de Educação Física para implementar o projecto da natação nas escolas públicas e a criação do pólo aquático em Luanda e no Saurimo. A comissão eleitoral, presidida por Domingos Torres, coordena o pleito eleitoral e é supervisionado pela Direcção Nacional dos Desportos.

Mário Fernandes encerrou as actividades de calendário desportivo de 2016 com a participação da selecção nacional na categoria de sub-20 nos Jogos da SADC, em que obteve seis medalhas, das quais uma de prata e cinco de bronze. Por intermédio dos nadadores Mário Everdosa, Maria Cipcic e Henriques Mascarenhas, Angola conquistou a medalhas de prata e de bronze.

A conquista do segundo lugar na 13ª edição do Zonal IV de natação, que Angola acolheu em Maio de 2015, continua a ser um dos pontos mais altos da instituição sob a liderança de Mário Fernandes. O país conquistou o somatório de 62 medalhas, das quais 22 de ouro, 21 de prata e 19 de bronze.                       
RP

CONQUISTA
Mascarenhas
valoriza bronze

O nadador Henriques Mascarenhas, que conseguiu uma medalha de bronze nos Jogos da Região 5 do Conselho de Desportos da União Africana, referiu que a conquista o deixou surpreendido e pensa trabalhar mais para melhorar a marca nos próximos eventos internacionais.

O atleta angolano de apenas 15 anos de idade evolui na África do Sul. Em declarações ao Jornal dos Desportos, disse que não foi fácil chagar a este patamar.  “Estou muito contente por ter obtido a medalha, Nunca tinha conseguido uma medalha em provas como essas. Dei o meu máximo e consegui ultrapassar os outros. Nos últimos cinco metros da prova, fechei os olhos e acelerei.

Nas outras provas em que terminei com uma má prestação, não sei o que se passou de facto. Penso que sou mais um nadador fundista e não levo velocidade. Tenho mais hipóteses nas provas de fundo”, disse.

Questionado sobre o que pode advir dele nos próximos tempos, Henrique Mascarenhas disse que vai procurar melhorar a marca pessoal nos próximos tempos.  “Com esta prestação, estou muito motivado para continuar a trabalhar. Espero melhorar os meus tempos e daqui a dois anos conquistar mais medalhas na SADC.                                        
RP

FORMAÇÂO
Jovem brasileiro
estuda a natação


A relação de Gustavo Borges e Luís Gustavo vai ter um novo capítulo, depois de longos anos de convivência. O progenitor brasileiro sempre ensinou o filho que o desporto e a educação deveriam seguir sempre lado a lado. Após 17 anos de partilha, o nadador brasileiro de 17 anos de idade troca o Brasil por Estados Unidos da América para dar continuidade aos estudos.

O campeão universitário dos 100 metros livre diz que desde cedo os seus pais ensinaram-no em casa para abraçar o desporto e a educação “em nível avançado” de forma que pudesse ter “alto rendimento”. “A faculdade e desporto é uma combinação que funciona de uma maneira espectacular nos Estados Unidos para jovens que têm interesse e oportunidade. Com certeza é uma experiência única.

Fico feliz pela decisão do meu filho e o caminho que está a seguir”, comentou Gustavo Borges, membro do hall da fama da Universidade de Michigan. Luiz Gustavo garante que o pai não o influenciou na escolha. O medalhista olímpico sugeriu também North Carolina, Texas e Stanford, locais com nível académico e desportivo alto.