Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Manuela Schar bate recorde mundial em cadeira de rodas

18 de Março, 2014

Manuela Schar bateu domingo o recorde do Mundo

Fotografia: AFP

A suíça Manuela Schar bateu domingo o recorde do Mundo da meia maratona em cadeira de rodas, ao vencer a prova de Lisboa, com um tempo de 50.06 m. O recorde anterior pertencia à compatriota Sandra Graf, terceira (50.07), desde o ano de 2008 com 50.11 m.

“Confesso que não estava à espera deste resultado. Dediquei-me desde 2012 à distância de fundo. Desde então, tenho vindo a conseguir muito bons resultados, como o recorde do Mundo na maratona”, disse a atleta suíça, que venceu a frente da britânica Shelly Woods (50.07) e de Graf.

A prova masculina foi ganha pelo japonês Kota Hokinoue, com um tempo de 42.43 m, tendo o segundo posto sido conquistado pelo suíço Marcel Hug, medalha de prata na maratona dos Jogos Paralímpicos Londres2012. Campeão paralímpico na maratona em Londres, o britânico David Weir ficou em terceiro lugar, com um tempo de 43.54 m.

TAÇA CHALLENGE
 Santas perdem e  continuam na luta


O Águas Santas foi ontem derrotado na Roménia pelo HC Odorhei, por 31-28, na primieira mão dos quartos-de-final da Taça Challenge de andebol sénior masculino.

Um desaire que não compromete as aspirações da equipa Águas Santas em chegar às «meias» da prova, que precisa para isso, de anular os três golos de desvantagem no encontro da segunda mão, agendado para o próximo sábado.

A formação comandada por Paulo Faria chegou ao intervalo a perder por 17-14 e, apesar da boa reacção na etapa complementar, não conseguiu evitar a derrota. Nuno Roque, com nove golos, e Bosko Bjelanovic, com seis, foram as referências atacantes da equipa.
Em caso de qualificação, o Águas Santas vai defrontar o Cocks (Finlândia) ou o Sabac (Sérvia).

CASO OSCAR PISTORIUS
Vendedor de armas
ouvido em tribunal


Sean Rens, proprietário de um centro de armas em Joanesburgo, revelou ontem, que Oscar Pistorius sabia perfeitamente que não podia “disparar a torto e a direito”. Sean Rens conheceu o atleta em Março de 2010 e vendeu-lhe seis armas. A factura de compra chegou a casa de Pistorius poucas horas depois da morte da namorada Reeva Steenkamp, assassinada a 14 de Fevereiro de 2013. O negócio foi anulado um mês depois.
Rens contou, no início da terceira semana do julgamento, que Pistorius “tinha um grande amor e entusiasmo por armas”.