Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marc Márquez confirma superioridade no GP da Alemanha

13 de Julho, 2015

Marc Márquez domina Grande Prémio da Alemanha

Fotografia: AFP

Marc Márquez confirmou a expectativa, disparou na ponta, para vencer, ontem, com tranquilidade. Dani Pedrosa superou Valentino Rossi e conquistou o segundo posto. Quarto, Jorge Lorenzo viu o 46 aumentar a vantagem na liderança do Mundial.Depois de ver a Yamaha abrir 7 x 1 em relação à Honda, na temporada 2015 da MotoGP, Marc Márquez afastou a má fase, ontem. Depois de exibir uma performance dominante ao longo dos treinos, o espanhol voltou a mostrar um ritmo impressionante e disparou na ponta, ignorou qualquer tentativa dos rivais.

 Na Pole -position, em Sachsenring, Márquez fez uma boa saída, assim como Dani Pedrosa, mas a dupla foi surpreendida por um agressivo Jorge Lorenzo, que saltou para a ponta, na curva um, depois de escolher uma linha diferente.Mesmo ciente, de que não tinha ritmo para encarar a Honda de Márquez, Lorenzo fez o que pôde para  manter-se na frente, mas não demorou a ser batido por Marc, que passou a  afastar-se mais e mais da concorrência.

Sexto na grelha de partida, Valentino Rossi, não tardou em deixar para trás os rivais mais lentos, depois de passar por Pedrosa, tomou o segundo lugar de Lorenzo, sem maiores dificuldades. O número 99, logo se tornou presa de Dani,  não mostrou muita capacidade de reacção. Mais rápido, Pedrosa chegou-se a Rossi e conseguiu passar. O italiano trabalhou duro para acompanhar, mas nas voltas finais viu Dani elevar muito o ritmo, ao ponto inclusive, de recortar parte da vantagem de Márquez.

 Pensando no título, Rossi acalmou-se e encerrou a perseguição, permitiu que Pedrosa escapasse para receber a bandeirada com uma boa vantagem.O campeão vigente, então, recebeu a bandeirada cm 2s226 de vantagem para Pedrosa e conquistou sua sexta vitória em Sachsenring — a terceira na classe rainha. O #26, por sua vez, completou a disputa com 3s382 de diferença para Rossi.

 Quando viu Rossi perder o segundo posto para Pedrosa, Lorenzo ainda tentou elevar o ritmo para chegar, mas acabou por sucumbir e afastar-se mais e mais. Assim, o #99 cruzou a linha na Saxónia com 4s320 de atraso para o companheiro de Yamaha. Andrea Iannone ficou isolado na maior parte da corrida, recebeu a bandeirada em quinto, à frente de Bradley Smith, que também correu sozinho. Cal Crutchlow surge na sequência, com Pol Espargaró e Danilo Petrucci a aparecerem logo atrás.

 Aleix Espargaró teve de vencer um duelo com Maverick Viñales, mas acabou na décima colocação, 0s021 à frente do companheiro de Suzuki.Com o resultado de ontem, Rossi chegou aos 179 pontos, leva a vantagem em relação a Lorenzo por 13 pontos. Iannone segue em terceiro, agora com quatro pontos de diferença para Márquez. Iannone completa o top-5. Para os supersticiosos, vale ressaltar,  desde 1998, o piloto que saiu de Sachsenring com a liderança do Mundial, conquistou o título ao fim do ano. A profecia foi cumprida em todos os títulos de Rossi, na classe rainha e também nas conquistas de Márquez e Lorenzo.

Emoções
Despique na pista de Sachsenring



O sol decidiu fechar com chave de ouro, a primeira parte, da temporada 2015 da MotoGP. Assim, como aconteceu ao longo de todo o fim de semana, o clima neste domingo estava firme, com a temperatura a rondar os 27°C e o asfalto a chegar aos 42°C. A velocidade dos ventos estava em 11 km/h. Um cenário para lá de diferente da prova do ano passado, quando mais de metade do grid largou do pit-lane por conta de uma virada no tempo.

 Assim, como aconteceu nas classes menores, a MotoGP também  teve punição por conta de pilotos, reduziram a velocidade na linha de corrida para tentar usar o vácuo de um piloto na classificação. Desde a etapa de Assen, a direcção de prova exige que os pilotos completem todos, os seus giros dentro do limite de 107 por cento da média das suas voltas.

Assim, Héctor Barberá e Mike di Meglio foram sancionados. O francês recebeu um ponto de punição, com o espanhol a ser agraciado com dois. A diferença na pena tem relação à reincidência do piloto da Avintia. Pela sexta vez consecutiva, Marc Márquez, tinha a pole em Sachsenring, à frente de Dani Pedrosa, a primeira dobradinha da Honda desde o GP da Malásia do ano passado. Jorge Lorenzo vinha em terceiro, com Valentino Rossi, líder do Mundial, a largar apenas em sexto.

 O 23º no grid, Eugene Laverty, vai correr com um capacete especial neste fim de semana, em homenagem a John Hinds. O médico, que era uma lenda no motociclismo da Irlanda do Norte, por seu trabalho como socorrista, em provas de rua, faleceu no último dia quatro, depois de sofrer um acidente enquanto trabalhava na Skerries 100.

Na prova deste fim de semana, os pilotos podiam escolher entre os pneus dianteiros macios, assimétricos e médios, os traseiros macios e médios para os que seguem o regulamento aberto e médios e duros para os pilotos de Yamaha e Honda e suas equipas satélites. O pneu assimétrico dianteiro surge pela primeira vez em 2015 em Sachsenring para atender às exigências da pista, que tem dez curvas para a esquerda e apenas três para a direita.

 No grid da Saxônia, Márquez e Pedrosa apareceram com pneus duros — os únicos com essa opção —, enquanto Rossi, Lorenzo e Iannone tinham os compostos assimétricos. Na traseira, o composto médico ocupava as duas primeiras filas. Quando as luzes se apagarem na recta de Sachsenring, os 92.122 espectadores viram Pedrosa passar na frente, mas Lorenzo surpreendeu a dupla da Honda com uma linha diferente e saltou para a ponta, na curva um, à frente de Márquez e Pedrosa. Iannone vinha em quarto, seguido por Rossi e Lorenzo.  Sem demora, Rossi passou Iannone por dentro, instalou-se logo atrás de Pedrosa. Na ponta, Márquez seguia colado em Lorenzo.

Desistência
Scott Redding cai e abandona


A correr atrás de Pedrosa, Rossi cravou a melhor volta da corrida, estabeleceu um novo recorde — 1min21s810 —, mas não estava em posição de atacar o #26. Ao menos por enquanto. O italiano deu uma balançada na curva seis, perdeu ligeiramente o contacto com Dani. Na ponta, Lorenzo seguia firme, mas acompanhado de perto por Márquez. Pedrosa permanecia em terceiro, mas com Rossi colado. O italiano, aliás, tinha baixado ainda mais o recorde da pista — 1min21s641.

No quarto giro, Rossi conseguiu passar por Pedrosa na entrada da curva 13, subiu para terceiro. No mesmo ponto, Márquez passou Lorenzo, que agora estava pressionado por Valentino. Uma vez na ponta, Marc começou a exibir seu bom ritmo e passou a abrir vantagem,  afastava-se das Yamaha. O #93 venceu em Sachsenring nas suas últimas cinco visitas.

 Com ritmo superior, Rossi passou a procurar um ponto para deixar Lorenzo para trás, mas o espanhol defendia a linha.  No sexto giro, Márquez cravou 1min21s610 e tomou para si o recorde da pista. Nesse ritmo o espanhol abriu 1s471 de vantagem para Lorenzo. Rossi seguia colocado, com Pedrosa a  aproximar-se.

 No mergulho de Sachsenring, Rossi passou Lorenzo e assumiu o segundo posto, deixou  o #99 para  defender-se de Pedrosa. Nesse ponto, Valentino tinha 1s737 de atraso para Márquez. Com esse resultado, Rossi saía de Sachsenring como líder do Mundial. Desde o início, o #46 deixou claro que não ia fazer nenhuma loucura para vencer, uma vez que o mais importante era fechar à frente de Jorge.

 Sem fôlego para acompanhar Rossi, Lorenzo  afastava-se do companheiro de equipa e era cada vez mais pressionado por Pedrosa.
 Na décima volta, Pedrosa passou Lorenzo na recta de Sachsenring, deixou para travar mais tarde na curva um. Não que Jorge tenha feito muito para  defender-se. Dani, aliás, é o piloto com mais vitórias no traçado Saxão.

 Depois de passar Lorenzo, Pedrosa começou a pressionar Rossi pelo segundo posto. O #46 não vinha reduzindo a vantagem para Márquez e Dani vinha mais rápido atrás.Mais atrás, Hiroshi Aoyama, que este fim de semana corre pela AB em substituição do lesionado Karel Abraham, caiu e abandonou a disputa. No 13º giro do GP da Alemanha, Márquez tinha 3s244 de vantagem para Rossi, que por sua vez, tinha apenas 0s132 de margem para Pedrosa. Lorenzo, por sua vez, já vinha 1s381 atrás do #26. Iannone tinha o quinto posto, com Smith, Crutchlow, Dovizioso, Hernández e Petrucci fechando o top-10.