Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marc Mrquez conquista pole position no GP da Austrlia

18 de Outubro, 2015

Marc Mrquez conquistou a pole-position

Fotografia: AFP

Pole-position para o GP da Austrália de MotoGP, Marc Márquez avaliou que o fim de semana está a correr realmente bem, mas nem por isso deixou de prever uma corrida difícil hoje. O Piloto da Honda alertou para desgaste de pneus em Phillip Island.

Marc Márquez conquistou a pole-position para o GP da Austrália de MotoGP. O espanhol cravou 1min28s364 a sua melhor volta no sábado e ficou com a posição de honra com uma vantagem de 0s316 para Andrea Iannone, o segundo colocado.

 Após o treino que definiu a grelha de partida em Phillip Island, Marc fez uma avaliação positiva do seu fim de semana até aqui e elogiou a actuação da sua equipa.

“Parece que neste fim de semana está tudo correndo realmente bem”, disse Márquez. “Nós estamos a trabalhar bem com a equipa.

Sempre demos os passos correctos, e isso talvez seja o mais difícil ao longo do fim de semana”, avaliou.

Mesmo satisfeito como trabalho feito até o momento, Márquez não espera facilidades na corrida de hoje e acredita que será fundamental gerir bem o desgaste dos pneus.

 “Neste fim de semana tudo está a correr bem, mas amanhã (hoje) vai ser uma corrida difícil, pois são muitas voltas. Acho que é será crucial controlar bem os pneus”, avaliou. “Nós vamos tentar melhorar durante o warm-up, mas o ritmo parece bom com o pneu desgastado”, completou.

VALENTINO ROSSE
ADMITE DIFICULDADES

Valentino Rossi não escondeu a frustração pela posição de largada no GP da Austrália. Sétimo na grelha de partida, o italiano reconheceu que não encontrou o melhor acerto para sua Yamaha.

Valentino Rossi conseguiu apenas o sétimo tempo no treino que definiu as posições de largada para o GP da Austrália, em Phillip Island. O líder do campeonato fechou o dia com a marca de 1min29s014, 0s650 mais lento em relação a Marc Márquez, o pole.

 Rossi reconheceu que não encontrou o melhor acerto para a sua Yamaha, por isso acabou na terceira fila. Atrás, inclusive, de Jorge Lorenzo, o único que pode impedir o décimo título do italiano no Mundial.

"Começar da terceira fila é sempre difícil, nós esperávamos um pouco mais. Hoje tentamos algumas coisas diferentes para melhorar a nossa velocidade, mas não encontramos uma boa solução", admitiu o líder da MotoGP.

 "Mantive uma coerência com os meus tempos de volta, mas eles não foram rápidos o suficiente, não chegamos prontos à qualificação. Consegui uma volta que não foi tão ruim, mas não foi o suficiente para iniciar mais na frente", acrescentou.

Por fim, o número 46 falou sobre o comportamento dos pneus. "A Bridgestone está preocupada com este circuito, especialmente considerando o passado, mas a aderência do novo asfalto é menor. Por esta razão acho que a vida útil do pneu não é um problema, é mais importante encontrar o equilíbrio certo da moto para reduzir o patinar das rodas", concluiu.


RALI
Pilotos podem
boicotar prova


Sébastien Ogier e Kris Meeke, entre outros pilotos do Mundial de Rali, consideram boicotar etapas que consideram menos que seguras - especialmente nocturnas - após o fracasso do testes na Austrália. Já passaram a possibilidade inclusive para o presidente da FIA, Jean Todt.

Os pilotos do WRC fizeram um teste à noite na Austrália durante o mês de Setembro. Quando os organizadores do rali australiano anunciaram que o mesmo exercício será repetido em 2016, os pilotos ficaram extremamente insatisfeitos. Tanto que consideram boicotar e ficar de fora dos eventos que consideram inseguro.
 O actual bicampeão mundial Sébastien Ogier insistiu numa reunião no início de Outubro entre equipas e o presidente da FIA, Jean Todt. Nela, foram expressados todos os medos em relação a um evento nocturno que teve péssimas condições neste ano. Segundo os pilotos, os problemas com a poeira impediram que a actividade ocorresse normalmente.

Kris Meeke foi um dos pilotos mais enérgicos. Gostou de falar com Todt - um veterano do rali -, mas manteve o boicote como uma carta na manga.
"Eu não vou começar a dizer quem vai e quem não vai participar num estágio ou o que pode acontecer. Seremos sensíveis, vamos nos juntar e trabalhar nisso. E falar com Jean Todt, como sempre, foi muito útil. Mas, se alguém pudesse me dar uma coisa só, só uma, que aquele estágio adicionou ao Rali da Austrália, eu ficaria interessado em ouvir", disse.

"E então, vou dar dez razões do motivo de ser estúpido. Escutei alguns argumentos ridículos na Austrália que me irritam - eles sabiam que seria cheio de poeira e nos mandaram de qualquer jeito. Se eles tentarem em 2016, acho que verão alguns rostos vermelhos", seguiu.
 Os chefes de equipa apoiaram Meeke. Jost Capito, da Volkswagen, por exemplo, afirmou que não vai deixar os pilotos da sua formação irem à acção se não houver segurança.

 "Se algo não é seguro, então não vou deixar nossos pilotos participarem. Para mim, o estágio da noite não adiciona nada a não ser risco. Os espectadores não vêem nada, a TV não mostra e não conseguimos mandar comunicados de imprensa em tempo. Não é algo contra etapas nocturnas, é a poeira no escuro - isso é irresponsável", argumentou.