Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marc Mrquez espreita pdio

10 de Abril, 2016

Marc Mrquez pode confirmar hoje, a partir das 20h10 (de Angola), a boa fase competitiva no Mundial de MotoGP, quando entrar na pista de Austin para o Grande Prmio das Amricas, nos Estados Unidos.

Fotografia: APF

Marc Márquez pode confirmar hoje, a partir das 20h10 (de Angola), a boa fase competitiva no Mundial de MotoGP, quando entrar na pista de Austin para o Grande Prémio das Américas, nos Estados Unidos. O piloto da Honda Repsol dominou as sessões de treinos livres, o que lhe garante obter a segunda vitória da presente época.

Motivado pela vitória em Termas de Rio Hondo, na Argentina, o espanhol mantém a boa forma ao cronometrar 2min04s953 na primeira sessão e baixar o tempo na segunda sessão em 2min04s034. A vantagem sobre os directos adversários é um indicativo que a Honda oferece garantias para lutar pelo título de construtores.
A aceleração da RC213V deixou de ser uma preocupação para o circuito de Austin. O que se suspeitava ser um problema real, passou a ser apenas uma suspeita vaga. Tudo está a correr bem para a equipa japonesa.

Ontem, em conferência de imprensa, Marc Márquez disse que estava "feliz" com as sessões de treinos, depois de avaliar todos os componentes inerentes à máquina e a pista.

"A maioria das curvas aqui (Austin) é em primeira velocidade e não perdemos muito; a aceleração não é um factor tão determinante aqui como noutros circuitos", revelou o segredo para uma boa corrida.

Mais do que fazer bons tempos, Márquez concentrou-se também em testes de novos componentes da sua RC213V. O actual líder do campeonato testou "novas aletas que efectivamente reduzem um pouco a instabilidade". Num dos momentos de treinos, Marc Márquez sofreu um acidente, em que saiu ileso, e revelou a causa: "Decidi travar um pouco mais tarde na última curva, num momento em que estava a andar bem. Descobri onde é o limite".

A descoberta de ponto de travagem também foi descoberta por outros pilotos. Andrea Iannone ficou a 0s706 mais lento que Márquez. O piloto da Ducati aparece com outras motivações para corrigir o erro cometido em Termas de Rio Hondo, onde tudo apontava para o pódio.

Mavericks Viñales elevou a Suzuki para altos voos. Depois de cair na Argentina, num momento em que lutava pela liderança, o jovem piloto está concentrado para evitar erros. Em Austin provou que está forte para chegar ao pódio. A 0s155 de Iannone, Viñales ficou com o terceiro melhor tempo de treinos.

Fora do pódio "virtual", Scoot Redding ficou com o quarto lugar a 0s004 de Mavericks Viñales. Atrás do rival da Pramac, Jorge Lorenzo ficou a 0s002 no quinto lugar. Valentino Rossi fez uma volta final óptima, mas não acertou nas parciais finais e ficou a 0s940 de Márquez.

Marc Márquez voltou a impor seu domínio em Austin e garantiu a liderança da segunda sessão de treinos da MotoGP. 0s706 mais lento, Andrea Iannone ficou em segundo, à frente de Maverick Viñales.

Com 2min05s190, Loris Baz garantiu o sétimo lugar à frente de Dani Pedrosa. Andrea Dovizioso e Cal Crutchlow completaram o rolo dos dez melhores.


GP AMÉRICAS
Lorenzo vaticina pontos nos EUA


Jorge Lorenzo não teve o fim de semana que gostaria na Argentina, por isso, chega em Austin para apagar as memórias do último fim de semana. O espanhol caiu ainda no início da prova em Termas de Rio Hondo e não pontuou na segunda etapa da época'2016 da MotoGP.

Às vésperas da corrida no Texas, o número 99 reconheceu que pensou que poderia pontuar bem na Argentina, mas agora precisa focar na recuperação na tabela antes de iniciar a fase Europeia do Mundial. "Depois de uma corrida bastante desastrada na Argentina, estou ansioso para correr em Austin. Pensei que podíamos somar alguns bons pontos em Termas de Río Hondo, mas, infelizmente, tivemos dificuldades durante todo o fim de semana e, no fim, na corrida também", disse Lorenzo.

Sob forte pressão de Marc Márquez, Lorenzo encontrou um álibi para justificar uma possível derrota. "O Circuito das Américas não é uma das minhas pistas favoritas e nem da Yamaha. Precisamos tentar entender o mais rápido possível o circuito com a nova electrónica e os pneus", indicou.


RITMO DA SUZUKI
Viñales enaltece
 trabalho da equipa

Maverick Viñales esteve bem nas sessões de treinos em Austin e terminou o dia com a terceira melhor marca. O piloto da Suzuki anotou 2min04s895 e ficou a 0s861 de Marc Márquez, o mais veloz no circuito das Américas. Viñales, que aparece como candidato a substituto de Jorge Lorenzo caso o número 99 assine com a Ducati, vem de uma grande exibição na Argentina.

O número 25 enalteceu o desenvolvimento do trabalho e aposta numa evolução maior hoje.
"Fizemos um bom trabalho, muitas melhorias ao longo das sessões e, mais importante, fiz o meu melhor tempo com pneus usados, o que significa que estou muito confiante com o ritmo", explicou Viñales.

A confiança do espanhol da Suzuki está nos sectores 1 e 2, onde é mais "técnico e rápido e encaixam-se nas características da GSX-RR". " "Ainda sinto falta de mais estabilidade nas travagens fortes e esta é a razão pela qual estou a perder tempo nos sectores 3 e 4. Mas estamos conscientes dos problemas e isso nos vai permitir encontrar soluções eficazes", acrescentou.

Mavericks Viñales lembra que os demais pilotos devem crescer de produção na corrida de produção.


DUCATI
Andrea Iannone foca recuperação


A transferência de Jorge Lorenzo para a Ducati ganhou força de especulações nos últimos dias. A imprensa espanhola dá como certa a troca de equipa do número 99 para a equipa italiana na próxima época.

Oficialmente, ninguém confirma nada, mas nos bastidores cogita-se que o prazo estabelecido pela Yamaha para Lorenzo manifestar-se esgota na próxima semana. Assim, o anúncio pela Ducati poderia ser feito no fim de semana do Grande Prémio da Espanha, em Jerez, que acontece entre os dias 22 e 24 do corrente.

Antes do início dos treinos em Austin, onde acontece a terceira etapa do mundial, o assunto Lorenzo/Ducati foi levantado mais uma vez. Andrea Iannone, um dos pilotos da Ducati, precisou posicionar-se. De acordo com o número 29, o seu foco no momento está apenas em reverter esse início difícil em 2016 e não passa pela sua cabeça a possível mudança de ares de Lorenzo.

Iannone foi um dos nomes do Grande Prémio da Argentina ao cair nos metros finais e levar junto o seu companheiro de equipa Andrea Dovizioso. Com a trapalhada, o piloto italiano tirou as duas motos da Ducati do pódio e criou um certo clima na equipa vermelha.

Quando indagado se esse início ruim de época (caiu nas duas primeiras corridas) poderia afectar o seu futuro na Ducati, Iannone respondeu: "espero que não".
O piloto continuou: "No momento, não estou a pensar no futuro. Para mim, o futuro é agora. Depois destas duas corridas, é muito importante para mim terminar as corridas bem, numa posição muito boa. Temos um grande potencial para lutar com os melhores pilotos e as melhores motos. Esta é a minha prioridade no momento".

Andrea Iannone está em Austin, nos Estados Unidos, disposto a apagar a má impressão deixada depois de cair na última volta do Grande Prémio da Argentina e levar junto o companheiro de equipa. Na sessão de treinos, o piloto da Ducati mostrou poder de recuperação, esteve bem e terminou o dia com a segunda melhor marca: 2min04s740 e 0s706 de atraso para Marc Márquez.

Apesar de estar feliz com segundo melhor tempo, Iannone falou que pode melhorar o desempenho da sua Ducati.
"Obviamente, ainda temos algumas situações para analisar em detalhes. Por exemplo, temos de melhorar um pouco na curva 3, onde estou a perder três ou quatro décimos, mas, no geral, estou bem feliz", comentou Iannone, que disse ter a sensação "incrível" com a sua equipa.