Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marc Márquez correu "muitos riscos"

23 de Maio, 2016

Temos de continuar a trabalhar na aceleração, porque estamos a perder as corridas nesse diapasão. Aqui, em Mugello, não há muita aceleração e safamo-nos

Fotografia: AFP

Marc Márquez travou um bom duelo com Jorge Lorenzo nas voltas finais do GP da Itália de MotoGP, mas foi superado na linha de chegada. Depois de muito caçar e insistir, o espanhol ficou com o segundo posto.

Após a corrida, Marc lembrou que teve dificuldades com a aceleração da RC213V durante todo o fim de semana, mas conseguiu superar o problema por conta das características de Mugello. O número 93 frisou que fez tudo que podia para vencer.

“Tivemos muitas dificuldades ao longo do fim de semana por causa da falta de aceleração e a velocidade máxima”, lembrou. O bicampeão assegurou: “Tentei o meu máximo, fiz a melhor corrida que podíamos. Tentei. Corri muitos riscos para tentar vencer a corrida, mas na última recta, o Jorge passou-me”, comentou.

Para inverter a história dos Grandes Prémios, o espanhol da Honda ressaltou: "Temos de continuar a trabalhar na aceleração, porque estamos a perder as corridas nesse diapasão. Aqui, em Mugello, não há muita aceleração e safamo-nos".

ANDREA IANNONE
DESAMPOTADO


Andrea Iannone saiu de Mugello com um pódio, mas o italiano queria mais. Depois de se destacar nos treinos livres, o piloto da Ducati acabou com um terceiro lugar na grelha. A primeira fila não era ruim, mas um pequeno problema na largada fez o número 29 perder várias posições e, consequentemente, diminuir as suas oportunidades de lutar pela vitória. No fim, fez uma prova de recuperação e acabou em terceiro lugar.  

Andrea Iannone, que confirmou a troca da Ducati pela Suzuki em 2017, disse estar desapontado com o desfecho da sexta etapa da época. E foi além: classificou a prova como um desastre. “Estou muito desapontado, porque, na largada, a embraiagem escorregou muito e a moto começou com uma grande empinada, que, para mim, é muito difícil controlar. Aí, todo o mundo me passou na primeira curva”, relatou.


O italiano resumiu a decepção numa frase: "Hoje, foi um desastre”. Andrea Iannone reconheceu o bom trabalho de recuperação realizado ao longo da prova e deixou muito claro que o grande objectivo é vencer, pois tem potencial para isso.

“Forcei bastante durante toda a corrida; fui muito rápido, tinha um feeling muito bom com os pneus. Nesta pista, os pneus funcionaram muito bem. Isso é muito bom, pois a Michelin melhora corrida após corrida, o que é muito importante para nós”, exaltou.Apesar de subir ao pódio, a decepção é grande: “Esse é um pódio difícil; o pódio na Itália é muito bom, mas tenho um grande potencial para lutar pela vitória”.