Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marc Mrquez vence em Brno

07 de Agosto, 2017

Marc Mrquez sai de Brno com vantagem folgada sobre Maverick Viales

Fotografia: AFP

A estratégia parecia errada, mas foi a perfeita. A chuva tumultuou a escolha de pneus em Brno, mas foi Marc Márquez quem lançou mão da táctica mais certeira. Apostado na pluviosidade, o número 93 calçou a RC213V com um pneu de chuva macio atrás, o que se mostrou um erro ainda nos minutos iniciais, quando o tricampeão da MotoGP foi engolido pelo pelotão. Sem opções, o titular da Honda foi aos boxes buscar a moto reserva, devidamente preparada com os slicks, o que lhe rendeu uma incrível vantagem em relação aos demais.

Mais alinhado com as condições de pista, Marc Márquez impôs um ritmo forte e ganhou mais e mais posições a medida que os demais pararam. Na abertura da quinta volta, Marc Márquez estava de volta a liderança com mais de 10s de vantagem sobre os demais. Dani Pedrosa também não tardou a correr aos boxes pelos slicks e instalou-se em segundo ainda cedo. Dani lutou para cortar a vantagem de Márquez.

VANTAGEM TRIPLICA
 O GP da Tcheca não causou uma reviravolta na tabela de classificação da MotoGP, mas deu um bom respiro a Marc Márquez na liderança do Mundial de Pilotos. O titular da Honda largou em Brno com cinco pontos de vantagem para Maverick Viñales, o segundo classificado, mas vai para a Áustria margem triplicada.

Impecável na estratégia no circuito Masaryk, Márquez chegou aos 154 pontos e agora tem 14 a mais que Viñales. Andrea Dovizioso, por outro lado, continua em terceiro, mais com 21 pontos de atraso para o líder. Quarto colocado na corrida de Brno, Valentino Rossi mantém a sua posição na tabela de classificação, apenas um ponto atrás do número 4 da Ducati.

Quinto, Dani Pedrosa aparece nove pontos atrás do número 46. Johann Zarco ocupa o sexto posto na classificação, à frente de Jonas Folger. Danilo Petrucci é o oitavo, com Cal Crutchlow e Jorge Lorenzo completam o top-10.

MUNDIAL
DE CONSTRUTORES

 
Na disputa entre Construtores, a Yamaha continua na liderança com 200 pontos, mas agora com apenas nove de vantagem sobre a Honda. A Ducati tem o terceiro lugar, à frente da Aprilia, que tomou a quarta posição da Suzuki por uma diferença de dois pontos. A estreante KTM é a última classificada.

MUNDIAL DE EQUIPAS
Na disputa entre Equipas, a Honda virou o jogo para cima da Yamaha. Com a dobradinha de Brno, a fabricante da asa dourada chegou aos 277 pontos, cinco a mais que a rival nipónica. 73 pontos atrás da equipa de Hamamatsu, a Ducati é a terceira classificada, à frente de Tech3, Pramac, LCR, Aspar, Marc VDS e Avintia. Assim como aconteceu na disputa de Construtores, a Aprilia passou a Suzuki na classificação por uma diferença de um ponto e tem a décima posição na tabela.

MOTO2
Tom Luthi faz largada perfeita

Tom Luthi teve a corrida que pediu aos céus. Na corrida interrompida pela chuva, o suíço fez uma largada perfeita na segunda parte da disputa e venceu de forma maiúscula em Brno para reavivar as suas pretensões de título.
A corrida em Brno teve duas partes: antes e depois da chuva. Inicialmente, os pilotos largaram com pneus slicks, mas a volta da chuva em meados da oitava volta forçou a paralisação com a bandeira vermelha. A direcção de prova decidiu retomar a disputa para seis voltas, com a grelha formada pelas posições da sétima volta, o último completo. Assim, Mattia Pasini largou de novo na pole, à frente de Franco Morbidelli e Miguel Oliveira.
Na relargada, Luthi foi impecável e saltou para a liderança ainda nos primeiros metros depois de sair em sétimo, com Álex Márquez e Oliveira a colocar-se atrás pouco depois. Morbidelli, por outro lado, sofreu um importante revés.
Dominante em 2017, o italiano lutou pela vitória na primeira parte da disputa, mas teve de ser cuidadoso na segunda metade após receber uma série de toques nos metros iniciais e desceu para o oitavo. Ao contrário de Luthi e Márquez, Franco usou pneus novos de chuva e não teve aderência na traseira.
Luca Marini, por outro lado, teve um dia bom em Brno e recebeu a bandeirada em quarto, à frente de Xavi Vierge, Simone Corsi e Francesco Bagnaia.
A nona posição ficou com Remy Gardner, que tentou pegar Morbidelli no final. O estreante Joe Roberts recebeu a bandeirada em décimo.
Com o resultado, Luthi chegou aos 165 pontos e recortou a vantagem de Morbidelli no topo da tabela para apenas 17 pontos, metade do que o número 21 tinha inicialmente.

MOTO3
Mir resiste à pressão de Fenati

Joan Mir deu mais um golpe nas pretensões de título de Romano Fenati. Rivais na luta pela taça da Moto3, os dois tiveram ontem um confronto directo em Brno, mas foi o piloto da Kiefer quem levou a melhor. Pressionado fortemente por Fenati nas voltas finais, Mir manteve o foco e, impecável na volta final, conseguiu receber a bandeirada com 0s350 de vantagem sobre o número 5 ao fim das 19 voltas da disputa.
Numa corrida de recuperação impressionante, Arón Canet escalou do 17º lugar na grelha para a terceira posição e cruzou a linha de chegada com 1s5 de vantagem sobre Bo Bendsneyder, que lutou pela vitória boa parte do tempo em Brno.
Juanfran Guevara também lutou pelo topo do pódio, mas terminou na quinta posição, à frente de John McPhee e Marcos Ramírez. Tatsuki Suzuki aparece na sequência, seguido por Adam Norrodin.
Estreante no Mundial em 2017, Nakarin Atiratphuvapat teve a sua melhor actuação no ano e recebeu a bandeirada em décimo, 0s235 à frente de Andrea Migno. Na sua primeira corrida no Mundial, Dennis Foggia, que substitui o lesionado Darryn Binder, conquistou o 14º posto.
Com o resultado, Mir chegou aos 190 pontos e abriu 42 de vantagem para Fenati, o segundo colocado. Canet tem o terceiro posto na classificação do Mundial, à frente de McPhee e Martín.