Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marca em Doha conforma Neide Dias

Pedro Futa - 05 de Outubro, 2019

Neide Dias est zangada com comentadores de bancada

Fotografia: Edies Novembro

"Sinto-me regozijadapalavras são de Neide Dias, a única atleta de Angola que participou do Campeonato do Mundo de atletismo que decorre em Doha, Qatar. A meio-fu com a marca". As ndista do 1º de Agosto terminou em 12º lugar e último da prova de 1500 metros com a marca de 4min28s.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Neide Dias justificou que teve condicionamentos físicos na fase de preparação.
"No último mês de preparação estive condicionada. Tive algumas limitações físicas que se circunscreveram nos dois tendões de Aquilles que me obrigaram reduzir a intensidade de treino. A prova não foi a que esperava, pois o resultado o melhor possível", abordou.
A meio-fundista mostrou-se zangada com alguns meios de comunicação social que a criticaram pelo resultado sem saber as causas.
"Há muitos comentadores de bancada que só sabem criticar e não têm noção do que passei para chegar a Doha, palco do Campeonato Mundial. A Federação Angolana de Atletismo não disponibilizou verbas para a minha preparação. Viajei sozinha e assumi todas as despesas dentro das minhas possibilidades", desabafou.
Neide Dias reconhece o treinador Eduardo Henriques pelo apoio prestado em Luanda.
"Agradeço ao meu treinador por tudo quanto fez por mim. Se estivesse ao meu lado durante a preparação em Portugal e na competição, os resultados seriam diferentes", justificou.
Na alta competição, a presença da equipa técnica é imprescindível na preparação psicológica e física da atleta antes de cada prova. Sem um especialista por perto, Neide Dias estava entregue a sua sorte, segundo um especialista que pediu anonimato.
O presidente de direcção da Federação Angolana de Atletismo, Bernardo João, justificou que nenhum membro do seu pelouro viajou a Qatar para acompanhar a atleta por falta de dinheiro.
Neide Dias regressa a Luanda na próxima semana para acertar o vínculo contratual com o 1º de Agosto. A renovação vai depender do interesse do clube militar, pois a meio-fundista não vê razões de mudar de camisola.
"A minha continuidade na turma militar depende deles", disse.