Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marque desmente acusação de doping

16 de Dezembro, 2013

Marque clarificou que o uso da betametasona se deveu a infiltração no joelho durante a Volta a Portugal disputada este ano

Fotografia: AFP

O ciclista espanhol Alejandro Marque garantiu no sábado, em conferência de imprensa, que não está a ser alvo de qualquer acusação de doping, que possa pôr em causa a conquista da última edição da Volta a Portugal. O atleta galego recebeu um pedido da União Ciclista Internacional (UCI), a solicitar os documentos que sustentassem a administração de betametasona durante a prova portuguesa, visto que um controlo antidoping acusou a presença dessa substância.

O jornal espanhol “El Pais” noticiou que Marque, de 32 anos, teve um controlo antidoping positivo durante a edição de 2013 da Volta a Portugal em bicicleta, acusando o recurso ao esteróide betametasona. Alejandro Marque explica que “é normal que tenham encontrado essa substância” no seu organismo, uma vez que ela foi administrada, mas de forma supervisionada e prescrita pelo médico.

“Tenho dez anos de carreira sem qualquer mancha. Sem nada que me possam apontar. Agora, espero que com isto as coisas não mudem. Não seria justo”, frisou o atleta. O espanhol explicou o porquê de ter usado o medicamento: “Durante a Volta a Portugal, tive de fazer infiltrações no joelho, mas foi tudo com prescrição médica. Tudo muito controlado e documentado. Tudo legal. Não tenho nada a esconder.

A notícia que saiu de que acusei positivo num controlo antidoping é mentira. A única coisa que houve foi um pedido de esclarecimento”. Alejandro Marque foi anunciado como reforço da equipa Movistar, após o triunfo na Volta a Portugal, mas a equipa espanhola já anunciou a desistência da contratação, devido a esta situação.

O ciclista garante que, até à data, é atleta da Movistar e não sabe de qualquer retrocesso no processo. “Até ao dia de hoje, sou atleta da Movistar. Não fui informado de nada, nem notificado de qualquer intenção. Por isso, quando chegar a altura, vou apresentar-me para trabalhar. Mas se, de facto, essas notícias forem verdade e a Movistar me despedir por causa disto, isso será uma grande injustiça, uma vez que não há motivo”, disse ainda o ciclista.