Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mascote Caissarinha desfila em Benguela

Júlio Gaiano, no Lobito - 15 de Julho, 2013

Símbolo da prova esteve na Província de Benguela

Fotografia: Jornal dos Desportos

A mascote do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins chegou a Benguela no passado fim-de-semana e deixou entusiasmado milhares de populares.A população de Benguela viveu um momento ímpar com o cenário que anunciava a realização do acontecimento em Setembro próximo, nas cidades de Luanda e Namibe.A Caissarinha, nome pelo qual é conhecida a mascote do mundial,foi levada às principais artérias das cidades de Benguela, do Lobito e da vila da Catumbela.

Nesta última as autoridades juntaram-se à caravana, tomaram parte do desfile que culminou na cidade do Lobito, concretamente, no pavilhão gimnodesportivo Engenheiro Miranda Guedes (CPPL).Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente da Associação Provincial de Patinagem de Benguela (APPB), Lourenço Sakuandela, manifestou o seu contentamento pelo facto da Caissarinha ter chegado à província.Foi gratificante ver muita gente nas ruas a acenar à mascote que rodou grande parte das principais ruas de Benguela, Catumbela e Lobito. Tivemos a colaboração das autoridades dos respectivos municípios e só isto demonstra que estamos no bom caminho e que a realização do mundial vai ser um sucesso”, comentou o presidente Lourenço Sakuandela.

O presidente da APPB reconheceu que existe alguma morosidade no que concerne à publicidade estática na província. Ainda assim, pediu um pouco de paciência aos benguelenses que há muito reclamam pela presença de materiais publicitários ligadas ao evento.“É uma reclamação justa, mas temos que ter em conta que há muito trabalho que se move neste sentido. Podem crer que nos próximos dias muita coisa vai acontecer em matéria de publicidade. Há uma comissão encarregue desta área e que está a trabalhar no sentido de distribuir todo o material nas províncias limítrofes àquelas que acolhem a prova”, revelou.

O JD soube de José Lourenço Sakuandela que dos referidos lotes de materiais publicitários constam t-shirts, bonés, esferográficas, porta-chaves, auto-colantes e revistas. Os outdoors, dísticos e panfletos a anunciar a realização do campeonato do Mundo são outros materiais que a comissão organizadora do 41º Campeonato Mundial de hóquei em patins procura fazer chegar à província de Benguela.

NO CIAM
Cohoquei fala hoje
com os jornalistas


O Comité Organizador do Campeonato do Mundo de hóquei em patins, Cohoquei, aborda hoje, às 10 horas, em Conferência de imprensa os preparativos da prova que o país acolhe nas cidades de Luanda e Namibe, de 20 a 28 de Setembro próximo.A conferência de imprensa tem lugar no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, na baixa da cidade de Luanda pode abordar todos os aspectos ligados à preparação que está a ser feita para a prova mundial, desde saúde, infra-estruturas, segurança e credenciamento dos profissionais da comunicação social.O sorteio do Campeonato do Mundo decorreu em Luanda no dia 27 de Junho. Angola figura no Grupo C, juntamente com Portugal, África do Sul e Chile.

Huíla
Paulo Silva acredita
no êxito da Selecção


O atirador angolano Paulo Silva está confiante numa campanha positiva e na consequente classificação inédita da Selecção Nacional de hóquei no 41º Campeonato do Mundo que se realiza no país de 20 a 28 de Setembro próximo nas cidades de Luanda e do Namibe.Paulo Silva aponta a maturidade competitiva do combinado nacional bem como o desempenho e os resultados positivos que tem obtido a nível das competições internacionais como indicadores que deixam antever a melhor classificação de sempre do país em campeonatos do mundo.Segundo Paulo Silva o facto da selecção angolana disputar a prova no seu país, conta com o apoio incondicional da nação inteira, eleva os índices de confiança do cinco nacional e deste modo catapultar o grupo para boas exibições e resultados positivos.

“A convicção é de que Angola vai dar o máximo de si para alcançar a melhor participação de sempre. Tem vindo a subir muito a nível da modalidade.Tem boas participações e resultados em provas internacionais em que participa e isto são bons indicadores. Penso que pelo facto de jogar em casa, com o apoio da nação inteira vai poder alcançar bons resultados. Pedir o título é muito, mas podemos figurar entre os quatro ou tês primeiros lugares”, expressou.Quanto aos benefícios da realização do magno evento desportivo no país, o atirador considerou que por se tratar de um acontecimento de dimensão mundial, projecta o nome e o prestígio do país na arena internacional.Indicou o surgimento de novas infra-estruturas desportivas, hoteleiras e rodoviárias para o país, como benefícios directos para o desporto angolano e para outros sectores.Por isso acrescentou que em função dos avanços que o país regista nos últimos tempos na modalidade, Angola pode registar maiores progressos após à realização da prova.Benigno Narciso- Lubango