Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Massa favorvel sada de Alonso da Ferrari

23 de Dezembro, 2014

Felipe Massa marcou menos pontos este ano do que no passado mas chegou a conquistar uma pole-position que o deixou mais feliz para continuar nos circuitos

Fotografia: AFP

O brasileiro Felipe Massa apoia a decisão de Fernando Alonso de deixar a Ferrari e regressar à McLaren em 2015. A relação entre o espanhol e a Ferrari já não era produtiva: enquanto os italianos não deram os melhores carros para o piloto desenvolver o seu trabalho, Alonso também não rendeu muito na equipa de Maranello na última época, de acordo com o brasileiro.

"Todo o mundo sabia que Alonso ia sair. A notícia não foi nenhuma bomba. Talvez a Ferrari não tenha dado o melhor carro que esperava, mas talvez também não tenha ajudado a Ferrari a crescer. Agora, talvez seja a hora dele mudar", disse Massa em entrevista à revista inglesa “Autosport”.
O piloto brasileiro defendeu a Ferrari entre 2006 e 2013.

Durante esse tempo, passou quatro épocas ao lado de Fernando Alonso antes de migrar para a Williams, no início deste ano. "Se vai ser pior ou melhor para a Ferrari, não sei. Fernando talvez seja o melhor piloto da grelha; não sabemos se vai ser o bastante para a Ferrari dar um passo adiante. Vamos precisar de esperar para ver. Mas de qualquer forma, desejo o melhor para a Ferrari", acrescentou.

A integração do brasileiro na Williams com resultados satisfatórios fez o bicampeão considerar ainda mais a saída da Ferrari. Coadjuvante ao lado de Alonso, Massa foi a mais pódios em 2014, na nova equipa. Embora tenha marcado menos pontos em relação a 2013, Massa chegou a conquistar uma pole-position.

"É isso que quero", disse o espanhol.  Em quatro anos, venceu 11 vezes, o mesmo número de Massa em oito anos, e foi vice-campeão em três ocasiões, sempre a cair diante de Sebastian Vettel, tetra-campeão pela Red Bull e que chega para substituí-lo na Ferrari em 2015.

MILHÕES DE EUROS
Banco alemão
processa Bernie

O todo-poderoso Bernie Ecclestone ainda não está livre das acções judiciais derivadas da acusação de suborno que respondeu este ano, mesmo depois de ter chegado a acordo com o tribunal da Alemanha. O chefão da F1 fez um acordo de 74,5 milhões de euros com a Justiça. Todavia, agora, é a vez do banco alemão BayernLB processar o empresário britânico e pedir uma indemnização de 345 milhões de euros por danos.

A compra das acções da F1 pertencentes ao banco pela CVC vai voltar a causar problemas legais a Bernie Ecclestone, segundo a agência noticiosa DPA. O BayernLB anunciou essa acção legal em Munique, rejeitando um acordo de 25 milhões de euros proposto por Bernie Ecclestone em Agosto passado.

“Exigimos 345 milhões de euros”, afirma um comunicado do banco germânico.  A instituição financeira diz que “quando a participação do banco na Fórmula 1 foi vendida em 2005 e 2006, o membro do Conselho de Administração era corrupto”.