Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mateus é o primeiro Mestre

13 de Novembro, 2015

Primeiro Mestre Internacional angolano e da África subsaariana "bebeu" das experiências de Armindo Sousa e de Francisco Briffel

Fotografia: Mota Ambrósio

O xadrezista Manuel Mateus foi o primeiro angolano a ostentar o título de Mestre Internacional, após vitória, em Luanda, no Campeonato Zonal de África de 1987. Em 40 anos de existência da República de Angola, o país formou 12 Mestres Internacionais (MI) e os mais recentes foram Esperança Caxita, título obtido no Campeonato Africano de juniores da Argélia'2013, e David Silva, no Campeonato Africano de Juniores de Angola'2014.

O Mestre Internacional Manuel Mateus revelou que a grande marca histórica foi ter conseguido ser o primeiro angolano distinguido com o título.

"A minha conquista do título de Mestre Internacional foi o primeiro de Angola e da África subsaariana. Na altura, com 20 anos de idade, conquistei a norma de Mestre Internacional no Campeonato Zonal de África de 1987, realizado em Luanda. Participaram os melhores xadrezistas de África, com destaque para os egípcios e nigerianos. A conquista provocou um grande impacto no desenvolvimento do xadrez no país. O triunfo permitiu-me a conquista do troféu torre de ouro, prémio institucionalizado pela Sonangol, que premiava o melhor desportista do ano em Angola", confessou. 
 
A liberalização da prática do desporto foi uma política certa do Governo angolano.

"Foi num contexto, onde a modalidade estava num período de grande massificação. Tinha o apoio total do Estado angolano. A fonte de inspiração era o movimento em que o xadrez e o desporto no seu todo estava envolvido. Na altura, toda a juventude estava engajada. Foi uma grande explosão, no bom sentido, no desporto nacional, que se verificou nos anos oitenta. Hoje, podemos ainda beneficiar do trabalho de massificação realizado no referido período", enfatizou.Depois da independência nacional, o Estado angolano criou uma política de massificação  desportiva que permitiu todo o jovem angolano praticar até as "modalidades de elite"

"A abertura total provocou a implantação e generalização das modalidades chamadas de elites em todas as camadas da população. Foi um dos grandes ganhos da independência. Se não houvesse a independência nacional, talvez eu não pudesse praticar o xadrez", admitiu.

Os primeiros passos foram dados na escola primária, em 1978, na província de Malange, no âmbito do movimento desportivo em curso em todos os pontos do país.

"Em 1980, na província de Malange, conheci o Clube Desportivo da Maxinde, que tinha um Núcleo de xadrez muito bem organizado e que realizava muitos torneios. Ali, tomei contacto com os jogadores experientes, como Armindo de Sousa e Francisco Briffel, entre outros", começou por narrar.Manuel Mateus ressalta que o contacto com Armindo e Briffel "foi uma experiência marcante".

"A partir daquele dia, dei os primeiros passos para a aprendizagem na competição. Tomei contacto com os Grandes Mestres de xadrez mundiais, através da literatura disponível no Clube Maxinde e dos atletas consagrados", concluiu.

Manuel Mateus é o único atleta que conquistou três títulos consecutivos de campeão nacional absoluto: 1987, 1988 e 1989. Antes, sagrou-se campeão nacional de juniores de 1986.

Os 12 Mestres Internacionais nacionais registados pela Federação Internacional de Xadrez (Fide) são Manuel Mateus, Alexandre Nascimento, Nelson Ferreira, Armindo Sousa, Adérito Pedro, Eugénio Campos, Amorim Agnelo, Valdemiro Pina, Erikson Soares, Luciano Oliveira, Esperança Caxita e David Silva.