Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Matias contra Comissão

03 de Janeiro, 2017

Castro acrescentou que não vai ter a competência para representar o país no exterior.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O presidente da Federação Angolana de Ténis, Matias Castro, considera prejudicial a decisão da Direcção Nacional para a Política do Desporto do Ministério da Juventude e Desportos por adiar as eleições gerais.

O responsável fez este pronunciamento em conferência de imprensa, no sábado, que serviu para fazer o balanço de 2016. Matias Castro discordou da criação de uma Comissão Administrativa na Federação Angolana. Para o presidente cessante, não há motivos nem fundamento para inviabilizar as eleições, porque possuem dados e condições que permitem a realização.

“Ao inviabilizar as eleições está-se a prejudicar as conquistas alcançadas no último mandato da Federação e que foram fruto de muitos sacrifícios”, disse. Matias Castro referiu que os compromissos internacionais e projectos em curso, como o circuito da Zona V vai ter lugar em Janeiro na Namíbia, e o Africano de sénior na Tunísia, em Fevereiro, não podem ser executados pela Comissão Administrativa por imperativos da legislação internacional.

“Com a imposição da criação da Comissão Administrativa, lembramos que muitas actividades não vão ser realizadas em 2017”, justificou. Castro acrescentou que não vai ter a competência para representar o país no exterior.