Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Maurren anuncia retirada

21 de Abril, 2015

Maggi era esperança do Brasil na conquista de medalhas nos Jogos Olímpicos

Fotografia: AFP

A brasileira Maurren Maggi, campeã olímpica do salto em comprimento em Pequim2008, anunciou domingo, que vai terminar a carreira no final do ano e que não vai estar presente nos Jogos Olímpicos Rio2016.

A saltadora brasileira, de 38 anos, disse que depois da  final da carreira, deve tornar-se comentadora de televisão.

Maggi venceu o ouro em Pequim com um salto de 7,04 metros e é a detentora do recorde sul-americano, com 7,26, conseguido em Bogotá, em 1999.
Além do título olímpico, a brasileira conseguiu a medalha de prata nos Mundiais de 2008, em Valência (Espanha), e a de bronze em 2003, em Birmigham (Inglaterra).

BOLT

O atleta jamaicano Usain Bolt, triplo campeão mundial e olímpico, conseguiu a sua primeira vitória do ano nos 100 metros, no desafio “Mano a Mano”, no Rio de Janeiro, com uma marca distante do seu recorde.

Vestido com as cores do Flamengo e com a pista molhada, Bolt cumpriu os 100 metros em 10,12 segundos, uma marca distante do seu recorde mundial de 9,58 segundos.

Com este registo, pior do que o que realizou no ano passado na mesma competição (10,04 segundos), Bolt situa-se provisoriamente no décimo lugar do “ranking” mundial do ano na distância, que é liderado pelo norte-americano Trayvon Bromell com 10,02 segundos.

Em segundo lugar na exibição do Rio de Janeiro ficou o norte-americano Ryan Bailey, medalha de prata nas estafetas 4x100 dos Jogos Olímpicos de 2012, com 10,24 segundos, com o brasileiro José Moreira a ser terceiro com 10,51.

O campeão mundial e olímpico dos 100, 200 e 4x100 metros estafetas em Pequim2008 e Londres2012 lamentou não ter conseguido um registo abaixo dos dez segundos.

“Não tive uma boa saída”, comentou Bolt quando terminou o “Mano a Mano”.