Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Maverick conquista mundial de moto 3

11 de Novembro, 2013

Maverick foi superior aos outros concorrentes e com facilidade venceu a última jornada da prova

Fotografia: AFP

O piloto espanhol Maverick Viñales (KTM) sagrou-se ontem campeão mundial de Moto3, depois de vencer em Valência a 18.ª e última prova desta especialidade do Mundial de motociclismo de velocidade. Numa corrida em que três pilotos podiam conquistar o título mundial, Viñales levou a melhor a outros dois espanhóis da KTM, Luis Salom, que entrava nesta corrida na liderança do campeonato, e Alex Rins, que partiu da “pole position” em Valência. O piloto português Miguel Oliveira (Mahindra), que tinha partido do 17.º lugar da grelha, terminou a corrida no 10.º lugar, terminando o Mundial em sexto, com 150 pontos.

"Este não foi seguramente uma boa temporada para nós. A moto é completamente nova o que significa começar tudo de novo. O resultado espelha as dificuldades que tivemos ao longo da época desportiva”, disse Miguel Oliveira no final da corrida. Oliveira, de apenas 18 anos, fez a sua melhor volta com o tempo de 1.40,979, mais de 1,5 segundos atrás do espanhol Alex Rins, que saiu na pole position. Luís Salom e Maverick Vinales completaram a primeira linha da grelha de partida. Salom sofreu um despiste na fase final da corrida e terminou em 14.º, finalizando o Mundial na terceira posição, com 310 pontos. Viñales ergueu o troféu com um total de 323 pontos, mais 12 que Rins, que acabou na terceira posição.

Fórmula-1
Raikkonen passa por cirurgia nas costas


O piloto finlandês Kimi Raikkonen não participa nos Grandes Prémios dos Estados Unidos e do Brasil de Fórmula 1, últimas duas etapas da temporada.A sofrer com muitas dores nas costas, vai passar por uma cirurgia para sanar o problema e chegar em boa forma na próxima temporada.Raikkonen encerrou a sua passagem pela equipa Lotus, já que em 2014 é companheiro de Fernando Alonso na Ferrari. O finlandês teve papel importante na ascensão da equipa nos últimos dois anos, mas o atraso no pagamento dos salários desta temporada acabou por contribuir para que o piloto regressasse à equipa italiana.

O finlandês cogitou publicamente nem disputar o Grande Prémio de Abu Dhabi, no último fim-de-semana, se a Lotus não demonstrasse intenção de pagar parte do que lhe é devido. Após acordo com os investidores da equipa, ele foi normalmente para a pista."Num mundo ideal, era bom terminar a temporada com a Lotus nos dois últimos Grandes Prémios. Devido às dores intensas que Kimi sente, infelizmente não é possível", afirmou o empresário do finlandês, Steve Robertson, ao site da revista britânica “Autosport”.Kimi sofreu fortes dores nas costas durante grande parte da temporada, mas tem enfrentado maiores problemas desde o GP de Singapura, no qual só aceitou participar depois de receber uma injecção de cortisona.

Em vez de viajar para os Estados Unidos com os colegas da F-1, o finlandês vai para Salzburgo, onde é submetido à cirurgia.Com a ausência de Kimi, a Lotus tem poucos dias para decidir o seu substituto no Grande Prémio dos Estados Unidos, em Austin. Reserva da equipa, o italiano Davide Valsecchi é o que tem mais probabilidades de ser escolhido para ocupar o posto do finlandês.

Antigo campeão
Andretti espera
crescimento da F1


O campeão mundial de Fórmula 1 em 1978, o americano Mario Andretti, acredita que o Grande Prémio dos Estados Unidos, em Austin, pode ser responsável pela popularização da categoria no mercado do país. A prova no Texas teve a primeira edição na temporada passada e na próxima semana realiza-se pela segunda vez.A corrida de 2012 quebrou um jejum de quatro anos da Fórmula 1 sem provas nos Estados Unidos e teve boa aceitação do público. Os ingressos do Circuito das Américas foram todos vendidos e a expectativa é que o evento tenha o mesmo nível de popularidade este ano.

"Este circuito obviamente está muito orgulhoso de representar a Fórmula 1 no Mundial e o Texas deve estar também. O apoio vai crescer sempre e agora a corrida tem uma casa sólida aqui", disse Mario Andretti ao site holandês GPUpdate.net, analisando a importância da corrida em Austin.O crescimento entre o público americano é um dos principais objectivos da F1, que em busca de novos mercados nos últimos anos realizou corridas em países de pouca tradição no automobilismo como a Coreia do Sul e a Índia. Em 2014, o calendário da categoria tem como novo evento o Grande Prémio da Rússia, além do retorno da etapa do México.