Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

McLaren abre porta a Alonso

22 de Setembro, 2013

Piloto espanhol pode regressar à Mclaren a equipa que deixou no final de 2007 depois de muitos problemas

Fotografia: AFP

O director executivo da McLaren, Martin Whitmarsh, abriu as portas ao regresso de Fernando Alonso, numa declaração que causa espanto tendo em conta a forma como o espanhol deixou a equipa no final de 2007.

Interrogado pelo jornal britânico “Daily Mail” sobre se está interessado em contratar o piloto Alonso à Ferrari, Whitmarsh disparou: “Sim, claro, se pudesse.”

O “se” do chefe da McLaren pode referir-se ao facto do seu antecessor, Ron Dennis, não ter esquecido o papel do espanhol em 2007 no escândalo de espionagem à Ferrari e os problemas de relacionamento com o outro piloto, Lewis Hamilton.

Dennis ainda anda por Woking, dedicado agora aos carros de série da marca, mas a sua influência sobre a escuderia, enquanto sócio do McLaren Group, é enorme.

Depois, a McLaren tinha de pagar à Ferrari a multa milionária que deve estar inscrita no contrato do espanhol (até 2016), umbilicalmente ligado ao patrocínio do Santander, que lhe paga o salário anual de 30 milhões de euros.

Sobra a vontade de Alonso, que não gostou mesmo nada que a Ferrari tivesse contratado Kimi Räikkönen para 2014.
RECLAMAÇÃO
O finlandês Kimi Räikkönen ainda vai representar a Lotus no GP de Singapura, mas aproveitou a conferência de imprensa de antevisão à 13ª prova do calendário do Mundial de F1 para lançar um ataque à equipa que representa e justificar o porquê de ter assinado pela Ferrari para a próxima época.

“As razões têm a ver com dinheiro, saí porque não me pagavam o salário”, assegurou Räikkönen, que deixou um recado à sua actual equipa: “Há muitas coisas que a Lotus podia ter feito para que eu ficasse e tenho a certeza de que eles sabem isso. Mas estou muito contente pela decisão que tomei”, garantiu.


GP DE SINGAPURA

Vettel garante a “pole position”


O alemão Sebastian Vettel (Red Bull) conquistou a “pole position” para o Grande Prémio de Singapura. O brasileiro Felipe Massa (Ferrari) superou o espanhol Fernando Alonso, seu companheiro de equipa, no treino classificativo ontem realizado.

Apenas os dois primeiros colocados andaram na casa dos 1min42s. Enquanto Vettel registou 1min42s841, o também alemão Nico Rosberg (Mercedes) fez 1min42s932. O francês Romain Grosjean (Lotus), com o tempo de 1min43s058, completou o grupo dos três primeiros.

Superado pelo australiano Mark Webber (Red Bull) e pelo britânico Lewis Hamilton (McLaren), Massa garantiu a sexta posição do grid de largada. Desta forma, superou Alonso, ainda com esperanças de desalojar Vettel na luta pelo título, que ficou no sétimo lugar.

O Grande Prémio de Singapura marca a primeira exibição de Felipe Massa após a confirmação de que não vai estar na Ferrari na próxima época. Massa garantiu que vai dar prioridade ao seu próprio desempenho em vez de actuar como escudeiro de Fernando Alonso nas últimas corridas, o que desagradou a Luca di Montezemolo, presidente da equipa.

O britânico Jenson Button (McLaren) ficou na oitava posição do grid de largada, seguido pelo australiano Daniel Ricciardo (Toro Rosso). O mexicano Esteban Gutierrez (Sauber) completou o grupo dos dez primeiros colocados do treino classificativo.

A maior surpresa da tomada de tempos em Singapura foi o desempenho inferior ao esperado do finlandês Kimi Raikkonen (Lotus). Com fortes dores nas costas, o experiente piloto, substituto de Massa na Ferrari a partir de 2014, larga apenas no 13º posto.

A sete provas do final do campeonato, o alemão Sebastian Vettel tem uma vantagem de 53 pontos em relação ao espanhol Fernando Alonso.


Comissário de pista
morre atropelado


Um comissário de pista morreu ontem atropelado por uma moto no circuito de Sepang, dois anos após a morte do italiano Marco Simoncelli no mesmo circuito e duas semanas antes do Grande Prémio da Malásia.

Satish Suppiah, comissário de pista, foi atropelado durante um treino, no âmbito da Super Series da Malásia. “O comissário foi imediatamente assistido em pista pela nossa equipa médica e depois transportado ao hospital Putrajaya. Infelizmente, não resistiu aos ferimentos”, indicou um comunicado do Circuito de Sepang, que adianta que a polícia abriu um inquérito para esclarecer o acidente. O Grande Prémio da Malásia de motociclismo está marcado para 13 de Outubro.