Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

McLaren confirma Jenson Button

15 de Abril, 2017

Jenson Button vai formar a dupla com Stoffel Vandoorne na prova a ser disputada a 28 de Maio

Fotografia: AFP

O espanhol vai corre pela McLaren em parceria com a Andretti e a Honda.

\"Estou animado em fazer esse regresso à F-1 por uma corrida. Não podia pensar num lugar melhor. Em 2009, ganhei a corrida lá e é uma das minhas pistas favoritas. É um circuito complicado em que o piloto pode fazer a diferença. E mesmo que o carro não tenha começado bem a época, pode adaptar-se melhor a Monaco\", disse o inglês, que mora no Principado.

O inglês reitera que não tem a \"oportunidade realista\" de repetir a vitória de 2009, mas a equipa tem a oportunidade de marcar mais pontos, \"o que vai ser valioso para o Campeonato Mundial de Construtores\".

Em relação a Fernando, disse esperar que \"não apenas se adapte bem, como curta as 500 Milhas, pois vai ser uma óptima experiência\". O britânico afirmou que vai assistir à prova na TV.

Button era fortemente cotado desde o anúncio de Alonso por ser o substituto natural. O inglês está oficialmente ligado à McLaren, mas tirou um ano sabático em 2017. Foi substituído por Stoffel Vandoorne. Porém, o campeão de 2009 não tem qualquer experiência com o novo carro. É completamente diferente em relação ao anterior, o que colocou dúvidas sobre o seu regresso.

No Bahrein, onde a F-1 realiza sua terceira etapa neste final de semana, os rumores cresceram dando conta de que Button havia aceitado o convite. O inglês dispensou a oportunidade de se adaptar com o carro nos testes que vão ser realizados no circuito de Shakhir na próxima semana.
O chefe da McLaren, Eric Boullier, afirmou que o piloto considera o traçado barenita muito diferente de Monaco e não vê proveito em andar no teste. Ao invés disso, vai concentrar a sua preparação no simulador da equipa.

\"Com a experiência que tem, em 10 voltas em Monaco, vai andar no nível dos demais\", disse.

As opções da McLaren eram limitadas, uma vez que o piloto escolhido deveria ser portador de uma super-licença para competir na F-1. Entre os nomes estão  Sergey Sirotkin, Pierre Gasly e o piloto de desenvolvimento da equipa inglêsa Nyck de Vries, além do aposentado Mark Webber e de alguns pilotos da Indy, como Will Power, Alex Rossi, Simon Pagenaud, Helio Castroneves, Juan Pablo Montoya e Scott Dixon. Mas os testes na F-1 são muito mais restritos do que na Indy e seria bastante complicado trazer qualquer um destes pilotos, também por questões comerciais.


REVELAÇÃO
Hamilton apoia Alonso na Fórmula Indy


Tricampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton assegurou que não trocaria a Fórmula 1 por qualquer outra categoria do automobilismo. O britânico posicionou-se sobre a decisão de Fernando Alonso em não disputar o Grande Prémio de Monaco para correr as 500 milhas de Indianápolis, na Fórmula Indy. Apesar de não seguir os passos do espanhol, manifestou o seu apoio ao companheiro de paddock.

\"Não perderia nenhuma corrida da Fórmula 1; definitivamente vou continuar a disputar todas as corridas\", disse Hamilton em manifestação da sua preferência pela principal categoria do automobilismo mundial.

\"Alonso tem possibilidades de fazer uma grande corrida na Indy pela sua pilotagem e inteligência. É um dos melhores pilotos do mundo. Vai ser o melhor do paddock ali, mas não o mais experiente. Por isso, vai ser interessante vê-lo como vai sair-se sem essa experiência\", completou.

Lewis Hamilton também revelou qual categoria gostaria de disputar caso decidisse mudar de ares e esquecer a Fórmula 1: \"Gostaria de disputar a MotoGP e provavelmente uma corrida da Nascar, como a Daytona 500 talvez\".

Líder do campeonato ao lado de Sebastian Vettel, que também soma 43 pontos, Lewis Hamilton projecta vencer amanhã o Grande Prémio do Bahrein, ciente de que a Ferrari traz dificuldades para a Mercedes novamente. \"A Ferrari vai mostrar um bom ritmo. Têm sido rápidos e são bons em circuitos quentes\", finalizou.


FÓRMULA 1
Vettel voa
em Sakhir


Sebastian Vettel e Lewis Hamilton centralizam hoje as atenções das qualificativas do Grande Prémio de Bahrein, a terceira prova do calendário da época 2017, no circuito de Sakhir. Um dos pilotos pode ascender à liderança da tabela geral de forma isolada, depois da divisão do pódio principal nas duas primeiras jornadas. O alemão venceu em Melbourne e o inglês, em Xangai.

O desempenho dos monolugares de Vettel e de Hamilton, ontem, nas sessões de treinos livres, coloca a Mercedes no topo da grelha de partida. O tricampeão atravessa boa forma desportiva e explora ao máximo o carro prateado. Desde o início de Agosto de 2016, Lewis Hamilton domina as pole position. Nas duas primeiras jornadas da actual época, o britânico começou no topo da grelha.

Hoje, para as qualificativas do GP de Bahrein, Sebastian Vettel deve repetir a proeza obtida na primeira sessão de treinos livres para lograr a pole position. Foi o mais veloz com o tempo de 1min32s697. O tetracampeão mundial colocou a Ferrari longe dos principais concorrentes.

Quem se aproximou do carro vermelho foi a Red Bull de Daniel Ricciardo. Inconformado com os resultados em casa (Melbourne) e Xangai, o australiano pretende redimir-se das \"derrotas\". A segunda posição dá-lhe confiança para aspirar um lugar no topo da grelha.

O \"Piloto do Dia\" comprovou a boa performance dos austríacos. Max Verstappen terminou a sessão da terceira jornada longe do líder: a 0s869. Hoje, o holandês pode apresentar a surpresa. A Força India de Sérgio Perez fechou a primeira sessão do dia em quarto lugar. A equipa indiana apresentou-se bem e pode voltar a enfrentar a Williams. Felipe Massa e Lance Stroll apresentaram-se furo abaixo da Force India.

Fernando Alonso levou a McLaren a oitavo lugar. Para fechar o topo dez, Romain Grosjean e Lewis Hamilton juntaram-se ao grupo.

A Mercedes não teve um bom dia. De pneus macios, no início do treino, a equipa actual campeã mundial não poupou os jogos de composto e adoptou uma outra estratégia para a primeira actividade no Bahrein. Hamilton ficou apenas com o décimo tempo, enquanto Valtteri Bottas encerrou a sessão em 14º lugar.

Kimi Raikkonen teve de abandonar o carro na pista, com um problema de super-aquecimento na região do tubo compressor. O finlandês não pôde voltar para o treino e encerrou na última posição.

GP DO BAHREIN
Daniel descarta pódio


A Red Bull ainda não demonstrou o mesmo poder de luta de Mercedes e da Ferrari como fez na última época. Enquanto as duas equipas lutam pelo topo, a RBR está um pouco abaixo. Amanhã vai ser realizado o Grande Prémio do Bahrein, a terceira prova do Mundial de 2017, mas as expectativas de Daniel Ricciardo não são das melhores.

Após abandonar o GP da Austrália, Daniel Ricciardo terminou na quarta posição em Xangai e ainda viu o seu companheiro de equipa, Max Verstappen, ganhar 13 posições e terminar no pódio. Mesmo assim, o australiano não acredita que possa fechar entre os três melhores, mas brincou que um cenário pior seria terminar atrás do parceiro.

\"Para estar no pódio, precisaríamos que a Mercedes e a Ferrari fizessem alguma graça. Mas duvido que isso aconteça. Provavelmente, eu termine em quinto lugar. Não quero parecer pessimista, mas não vejo nenhuma mudança. Vai ser o mesmo que na China. Se todos os favoritos estiverem na prova, vamos lutar pelo quinto lugar. A única coisa pior seria terminar em sexto, pois significaria que Max está um ponto à minha frente\", disse.

Ricciardo ainda comentou qual a principal dificuldade que a Red Bull está a enfrentar no campeonato, quando comparada às outras duas equipas. Na época de 2016, Daniel terminou na terceira posição, com 256 pontos conquistados.

\"Não temos downforce, não como a Mercedes e a Ferrari. Eles podem travar mais tarde e com mais velocidade. Não creio que a unidade de potência seja a nossa maior deficiência, mas sim a falta de downforce\", finalizou o piloto australiano.


CORRER NA INDY
Fernando Alonso elogia
novo chefe da McLaren


Fernando Alonso crê que não poderia participar das 500 milhas de Indianápolis se Ron Dennis ainda fosse o chefe da McLaren. Com a equipa agora sob o comando de Zak Brown, o espanhol ganhou a liberdade para experimentar uma nova categoria e vai fazer a estreia na Fórmula Indy logo em uma das provas mais tradicionais do automobilismo mundial.

\"Zak Brown é um homem que tem uma visão maior do que os outros chefes das equipas pelas quais passei. Vê o automobilismo de maneira diferente, enxerga a McLaren maior, não apenas concentrada na Fórmula 1. A McLaren ganhou as 24 horas de LeMans. É um verdadeiro piloto. É muito bom que a McLaren trouxe Zak a bordo no ano passado\", disse Alonso.

Após a decisão do espanhol em disputar as 500 milhas de Indianápolis, começa a surgir especulações referentes a uma possível entrada da McLaren na Fórmula Indy. Questionado se preferiria correr na categoria norte-americana mesmo se tivesse um carro competitivo na Fórmula 1, Fernando Alonso foi bem claro.

\"Se o carro fosse competitivo neste ano e tivéssemos 43 pontos ao lado dos outros (Hamilton e Vettel), não poderia abrir mão de 25 pontos que poderia ganhar numa corrida. As coisas seriam diferentes se fôssemos competitivos\", completou Alonso.