Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

McLaren continua em baixa

22 de Abril, 2014

Dupla da McLaren procura apoios técnicos para poder estar entre as equipas mais rápidas do campeonato do Mundo

Fotografia: AFP

A McLaren enfrentou mais um fim-de-semana difícil na China, no último domingo. Os seus dois pilotos voltaram a não marcar pontos na segunda corrida e a equipa está cada vez mais atrás no Mundial de Construtores. Após os dois carros terem abandonado o GP do Bahrein, é a primeira vez que isso acontece desde 2006, Jenson Button e o novato dinamarquês Kevin Magnussen terminaram nos decepcionantes 11º e 13º lugar no circuito de Xangai.

A McLaren, a segunda equipa de maior sucesso do desporto, liderou o Mundial de Construtores depois da estreia na época, na Austrália, quando Magnussen foi segundo e Button terceiro, mas agora está em quinto lugar na classificação geral. “Está difícil aquecer os pneus com pista molhada e também temos esse problema no seco”, disse Button, cuja equipa não vence uma corrida desde 2012 e passou o ano de 2013 inteiro sem subir ao pódio.

O campeão de 2009 assegurou que “o problema não se trata de troca constante de pneus”, mas o desgaste rápido. A situação “é difícil para todos da equipa e muito mais difícil para os pilotos que estão a conduzir”, pois precisam de aturar durante uma hora e meia. O colega de equipa, Magnussen, disse que o carro estava bom, mas apresenta problemas de aderência. A McLaren “precisa de muita força aerodinâmica”.

O director de corrida Eric Boullier disse que a equipa vai usar o intervalo de três semanas entre a China e a primeira corrida da época europeia, em Espanha, para resolver os problemas. O responsável reafirmou que o carro “não é competitivo o bastante”. O francês prometeu trabalhar “sem parar” até ao Grande Prémio de Espanha” num esforço para resolver os problemas do carro”, pois já estão identificados os sectores de intervenção que vão exigir a entrega de todos “dia e noite”.

Martin Whitmarsh pode sair da McLaren com um pagamento de dez milhões de dólares americanos (cerca de mil milhões de kwanzas). O ex-chefe da equipa foi deposto o mês passado, enquanto Eric Boullier vem da Lotus para ser o novo director de corridas e Ron Dennis volta para comandar a equipa de uma forma geral. O britânico não tem falado com a imprensa, enquanto negociava a sua rescisão de contrato.

“Martin é um amigo e algumas decisões que se tomam na vida não são fáceis, não me vou alongar sobre isso”, disse Dennis, em Março. O pacote de indemnização de Whitmarsh está a ser negociado, mas é “provável” que esteja em torno de dez milhões de dólares, conforme o jornal inglês “Daily Mail”. São mais de 400 mil dólares (cerca de 40 milhões de kwanzas) para cada um dos 24 anos que esteve na McLaren.