Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

McLaren desiste dos testes

13 de Dezembro, 2013

Escuderias envolvidas na preparação da temporada 2014 de Fórmula 1

Fotografia: AFP

Apenas quatro equipas da Fórmula 1 participam no teste de pneus que a categoria vai promover entre os próximos dia 17 e 19, no circuito de Sakhir, no Bahrein, onde inicialmente estava prevista a presença de seis escuderias. McLaren e Force Indian confirmaram a desistência desta actividade que visa a temporada de 2014.

Na segunda-feira, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou que seis equipas tinham aceite o convite para testar os compostos que a Pirelli vai disponibilizar para o próximo ano, mas agora apenas a Red Bull, Mercedes, Ferrari e Toro Rosso estão confirmadas nestes trabalhos de fim de ano. Lotus, Sauber, Williams, Marussia e Caterham, outras equipas do grid, já tinham avisado anteriormente que não participavam neste teste promovido pela fornecedora única de pneus da F1.

Para justificar a sua desistência dos testes, a Force India disse, através de um porta-voz, que “o prazo era muito curto para o realizar, infelizmente”, tendo em vista o facto de que não conseguia deixar o seu carro pronto a tempo para este tipo de actividade. A McLaren ainda não apresentou oficialmente os seus motivos para não participar nestes três dias de testes.

A Ferrari, por sua vez, confirmou na quarta-feira que Pedro de la Rosa e Jules Bianchi, piloto da Marussia, foram escalados para guiar no Bahrein. O espanhol vai andar nos dois primeiros dias de testes, enquanto o francês assumr o cockpit do carro da equipa italiana no último dia. Ex-membro da academia de jovens pilotos da Ferrari, ele está livre para andar pela equipa nestes testes.

Muito criticada pelos problemas apresentados durante a última temporada da Fórmula 1, a Pirelli espera poder fornecer informações valiosas para as equipas que participarem nestes trabalhos no Bahrein. O primeiro teste colectivo de pré-época da F1 de 2014 ocorre no final de Janeiro, em Jerez de la Frontera, em Espanha.

Por seu turno, depois de ganhar quatro títulos consecutivos da Fórmula 1, alguns com bastante folga - foi o caso do último, que garantiu com três etapas de antecedência -, Sebastian Vettel criticou esta semana a nova regra da categoria, anunciada na segunda-feira, que determina o prémio a dobrar na última corrida da temporada de 2014. “Respeito as antigas tradições da F1 e não entendi esta nova regra”, afirmou o piloto alemão da Red Bull.

Em entrevista ao jornal alemão “Bild”, também o piloto de 26 anos disse que a nova regra da Fórmula 1 é “absurda”. De acordo com a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), a mudança na pontuação da última etapa do calendário (GP de Abu Dhabi, a 23 de Novembro) foi feita para “maximizar a atenção no campeonato até ao final da época.”

“Imagine-se que na última Bundesliga (Campeonato Alemão de Futebol) os jogos começassem a valer, de repente, o dobro de pontos”, comparou Vettel, na mesma entrevista. “Isto é um absurdo e pune aqueles que trabalharam no duro durante toda a época”, completou o tetracampeão de Fórmula 1 que, se essa nova regra já estivesse em vigor, tinha perdido o título que conquistou na temporada de 2012 para o espanhol Fernando Alonso (Ferrari).