Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

McLaren reprova no teste de impacto

20 de Janeiro, 2014

Em 2013 a McLaren amargou uma época sem pódios dos seus pilotos Jenson Button e Sérgio Pérez e encerrou o Mundial de Construtores apenas na quinta posição

Fotografia: AFP

A McLaren viveu em 2013 uma das suas piores épocas na Fórmula 1, mas o fim do ano não significou o cessar dos problemas para a equipa. O carro para o Mundial de 2014, MP4-29, não foi aprovado em todos os testes de impacto da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o que pode tirar a equipa dos primeiros treinos de pré-época, em Jerez de la Frontera, de acordo com a revista britânica Autosport.

O lançamento do MP4-29 está marcado para 24 de Janeiro, quatro dias antes do início das actividades no circuito espanhol. Após Jerez, as equipas da Fórmula 1 vão ao Bahrein, onde realizam as duas últimas sequências de testes antes do começo do Mundial de 2014, marcado por grandes mudanças no regulamento técnico da categoria.

"É normal que nesta época do ano as equipas tentem tudo para conseguir o melhor desempenho e os testes de impacto não são diferentes. A McLaren vai passar por todos os testes antes de ir para a pista", afirmou um porta-voz da equipa britânica à revista “Autosport”. Em 2013, a McLaren amargou uma época sem pódios dos seus pilotos, Jenson Button e Sérgio Pérez, e encerrou o Mundial de Construtores apenas na quinta posição, atrás de Red Bull, Mercedes, Ferrari e Lotus.

A equipa somou 122 pontos, 45 a mais do que a Force India, sexta posicionada, e 193 a menos do que a Lotus, terceira.Em 2014, a equipa já sofreu uma mudança na sua estrutura com o regersso de Ron Dennis ao cargo de director-executivo. O posto era ocupado por Martin Whitmarsh, também chefe de equipa e director de operações, desde 2012. Os pilotos da equipa no Mundial de F1 são Button e o dinamarquês Kevin Magnussen.

AMULETO DE SCHUMI

Uma "braceleta da sorte" pertencente a Michael Schumacher foi encontrada no último sábado no local, onde o ex-piloto sofreu o grave acidente de esqui que o mantém em coma induzido desde 29 de Dezembro. Uma equipa de busca encontrou o artefacto enterrado na neve, de acordo com a rádio francesa Bleu Isère.

A braceleta composta de contas de madeira tinha sido um presente da mulher de Schumacher, Corinne. O objecto estava enterrado entre os montes Chamois e Biche, nos Alpes franceses. O alemão é famoso por usar amuletos da sorte desde os tempos da Fórmula 1, como colares e pulseiras.

Segundo a última declaração da porta-voz de Schumacher, Sabine Kehm, na última sexta-feira, a condição de saúde do heptacampeão mundial está "estável, porém crítica". Ela também afirmou que a família do alemão está "muito satisfeita" com o trabalho da equipa médica do hospital da Universidade de Grenoble, onde está internado.

Schumacher bateu com a cabeça numa pedra após cair enquanto esquiava. O impacto rachou o seu capacete e causou danos cerebrais. O ex-piloto já passou por duas cirurgias à cabeça para retirada de hematomas e inchaços. Especialistas afirmaram que pode nunca mais acordar do coma ou ser uma pessoa completamente diferente caso desperte.