Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mendona Sport concede estgios no exterior

Paulo Caculo - 14 de Dezembro, 2015

O antigo ciclista angolano Bento Mendonça, actualmente a residir na Suíça, afirmou ontem em entrevista ao Jornal dos Desportos estar convencido de que os clubes nacionais vão ter maiores vantagens quando optarem por vestir as  equipas com material desportivo das marcas desportivas Erima e Jako.

O director-geral da Mendonça Sport, distribuidora oficial das marcas suíças, fez questão de assegurar que qualquer clube angolano nas diversas modalidades interessados em equipar-se com o material desportivo das marcas desportivas Jako e Erima, no caso de contratos a médio e longo prazos,  recebe como benefício estágios pré-competitivos em terras suíças, com despesas de alojamento, jogos - treinos e visitas turísticas
salvaguardadas, ficam a cargo dos clubes só os custos de passagens de ida e volta.

"Aproveitar para esclarecer, caso hajam dúvidas, que o projecto Mendonça Sport que já conta com três anos de existência, tem com objecto social principal, inovar no bem vestir dos desportistas nacionais". Gostava de realçar também, que de uma forma geral, as marcas desportivas Erima e Jako que representamos, em termos de qualidade nada ficam a dever as marcas conceituadas como a Nike, Adidas ou Puma", disse Bento Mendonça, e  confessou que a única diferença está na falta de conhecimento.

 "Acredito que a grande diferença é que a Erima e Jako são menos conhecidas em Angola, mais muito usadas na Europa, sobretudo em países como Alemanha, Bélgica, França e Itália, e só para citar alguns. Aproveito também para lançar o desafio aos clubes e Federações no sentido de experimentarem os nossos produtos, uma vez que temos  plena certeza que não iremos defraudar às vossas expectativas", acrescentou. 
 
Bento Mendonça, que se encontra a gozar férias em Luanda, fez questão de lançar um desafio a todos os clubes angolanos, desejosos de obterem material de qualidade, a experimentarem os produtos oferecidos pela Mendonça Sport."Não há nada a perder, só  há a ganhar. Quem tiver dúvidas que verifique o material que oferecemos, as equipas de Futsal da Rádio Nacional, TPA e Jornal de Angola no torneio comemorativo  de mais um aniversario da Grupo RNA.

E mais: não fornecemos apenas a camisola, calções e meias, o pacote de entrega para os clubes inclui também coletes de aquecimento e bolsas para as botas de futebol", finalizou o antigo ciclista do clube 'Os Persistentes'. 
PAULO CACULO

POLIDESPORTO
Angola assume
presidência da Zona V

Angola, por intermédio do Ministério da Juventude e Desportos, assume a presidência rotativa por dois anos da região 5 da União Africana, sucede ao Zimbabwe, o anúncio foi feito sábado, em Luanda. A decisão foi tomada durante a reunião de Conselho de Ministro da Região 5, que contou com a presença de todos países membros, designadamente  Angola, África do Sul, Botswana, Lesotho, Malawi, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Zâmbia e Zimbabwe.

Na ocasião, o novo presidente Gonçalves Muandumba, prometeu tudo fazer para implementar o melhor para a região, face ao compromisso de promover um desporto limpo que combata o doping. Destacou a estratégia que particulariza uma atenção especial a jovem mulher, aos deficientes e  a importância do desporto escolar.

Gonçalves Muandumba  agradeceu também ao antecessor, o zimbabueano Vetembuaba Veli, pelo apoio que  deu na preparação do magno evento regional da União Africana, assim como os ministros e outros membros. O encontro  contou com a presença de membros do governo angolano, deputados à assembleia nacional, presidentes de clubes e representantes,  teve como convidado especial o secretário de Estado das Relações Exteriores, Manuel Augusto, em representação do ministro George Chicoty.

REVELAÇÃO
Selecção Nacional
acusa falta de jogos

A antiga guarda-redes da Selecção Nacional de andebol, Maria Odete Tavares, afirmou  no sábado à Angop, em Luanda, que o sete nacional ressente-se da falta de jogos no mundial que decorre na Dinamarca.

Falando à margem da reunião do Conselho de Ministros da Região 5 da União Africana, realizada num dos hotéis da capital, a antiga capitã do combinado nacional explicou existirem poucas equipas de andebol feminino no país, com  agravante dos títulos serem disputados  entre 1º de Agosto e o Petro Atlético.   

Justificou que a falta de jogos das hendeca -campeãs africanas é visível pela ausência de alguma técnica habitual no conjunto, e também nos pormenores de jogos,  comparado ao nível e ao ritmo competitivo patenteado por outras concorrentes.

“Nós temos poucas equipas, isso diminui a possibilidade de fazermos grandes jogos, internamente. Como alternativa, temos de recorrer a estágios no exterior para fazer cinco ou seis partidas de qualidade, o que é pouco em relação às selecções europeias”, frisou a antiga atleta do 1º de Agosto.