Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mercedes critica Vettel

27 de Junho, 2017

A cúpula também não hesitou em comentar o incidente envolvendo Sebastian Vettel e Lewis Hamilton

Fotografia: ANDREJ ISAKOVIC|APF

Toto Wolff e Niki Lauda falaram também sobre o comportamento de Sebastian Vettel em Baku no último domingo. O chefe da Mercedes foi mais comedido, mas disse que não vê mais a possibilidade de amizade entre os dois rivais. Já o tricampeão foi mais duro nas críticas.

A cúpula da Mercedes também não hesitou em comentar o incidente envolvendo Sebastian Vettel e Lewis Hamilton durante o GP do Azerbaijão. Enquanto Niki Lauda, o presidente não-executivo da marca alemã, foi duro nas críticas ao tetracampeão, o chefe da equipa prata, Toto Wollf, buscou um mais de serenidade. Porém, ambos concordaram que Hamilton não teve culpa alguma no que aconteceu.

Pouco antes da segunda relargada da prova, os dois adversários do campeonato se envolveram numa inusitada \"luta de trânsito\". Vettel se irritou quando Hamilton reduziu demais a velocidade e acabou batendo na traseira do Mercedes número 44. Não satisfeito, o alemão colocou a Ferrari lado a lado com o W08 do tricampeão e bateu novamente. Seb foi punido pela acção. Mas Lauda achou pouco.

\"Normalmente, Vettel é um cara muito decente. Não entendo o que aconteceu, se ele se assustou, se ficou louco. Precisa manter o controlo nessas situações. Vettel ficou bravo depois que bateu na traseira do carro de Lewis, mas isso também foi sua culpa.
E o que fez depois eu nunca vou entender.

Ele poderia ter colocado Lewis para fora da corrida, por isso não sei por que arriscou tanto\", disse o austríaco aos jornalistas depois da corrida.\"A punição deveria ter sido muito maior porque acredito que isso é o pior que alguém pode fazer. Se bate por um erro, até tudo bem, mas ali foi algo propositado\", completou o tricampeão. \"Lewis ainda vai bater em Sebastian algum dia, mas não no carro\", brincou Lauda, para retomar o tom sério.

\"Se eu fosse Lewis, certamente tentaria falar com Sebastian e entender o que aconteceu.\" Já Wolff foi mais comedido nas declarações e disse que prefere ouvir o tetracampeão antes de fazer qualquer julgamento. \"Não posso imaginar que tenha feito isso de propósito. Até gostaria de falar com ele pessoalmente antes de julgar. Se um piloto faz isso de propósito, então temos de pensar no tamanho da punição.

Ele é quatro vezes campeão do mundo e estamos dando exemplos do que está acontecendo\", falou o dirigente.Por fim, o chefe da Mercedes acha que Hamilton e Vettel não podem mesmo ser amigos. \"Creio que agora acabaram os elogios. Este desporto necessita de rivalidade, é um ingrediente para um grande campeonato. São guerreiros, estão lutando por vitórias e títulos, então não podem ser amigos\", concluiu.

Desabafo
Hamilton fala em descontrolo  emocional

Lewis Hamilton ainda não engoliu o comportamento de Sebastian Vettel no GP do Azerbaijão e não quer conversar com o rival. Para o britânico, falta controlo emocional ao adversário e as muitas mensagens de rádio de Vettel no passado são provas. Depois de chamar Sebastian Vettel para a briga e definir o comportamento do rival como "nojento" após o incidente entre ambos no GP do Azerbaijão no último domingo (25), Lewis Hamilton disse também que não se surpreende com a maneira como o ferrarista agiu, afirmando que falta controlo emocional ao tetracampeão.

O britânico argumentou que as mensagens de rádio de Seb nos últimos anos na F1 são provas de como o piloto se irrita durante as disputas.Pouco antes da segunda relargada da prova azeri, os dois adversários do campeonato se envolveram em inusitada 'briga de trânsito', enquanto estavam na primeira e na segunda posição da corrida. Vettel se irritou quando Hamilton reduziu demais a velocidade e acabou batendo na traseira do Mercedes. Não satisfeito, o alemão colocou a Ferrari lado a lado com o W08 do tricampeão e bateu novamente. Seb foi punido pela ação.

 "Se lembrarmos das coisas que ele disse no rádio no ano passado, vamos saber como ele pode ser", disse o britânico à emissora ESPN. "Isso serve para mostrar o quanto a pressão nos afeta, não importa o quão bom nos sejamos", completou. Porém, Hamilton não deseja conversar com Vettel sobre o que aconteceu em Baku.

"A conversa que vamos ter será na pista. E eu vou ganhar o campeonato da maneira correcta", garantiu.Apesar da batida com o rival, Hamilton conseguiu se manter na liderança da corrida, mas sofreu um novo revés. Depois da bandeira vermelha, a Mercedes não encaixou correctamente o encosto de cabeça de seu carro, e isso o obrigou a fazer uma parada extra nos boxes. Vettel também teve de pagar punição. Por isso, os dois foram removidos da briga pela vitória, que acabou nas mãos de Daniel Ricciardo.

Constatação
Daniel Ricciardo
isenta britânico
Lewis Hamilton

Daniel Ricciardo foi quem mais ganhou com todas as confusões que marcaram o GP do Azerbaijão e também não furtou a comentar a maior delas: o embate entre Sebastian Vettel e Lewis Hamilton. O australiano isentou o britânico de culpa e disse que o alemão, muitas vezes, “não pensa antes de agir”.

Vencedor do maluco GP do Azerbaijão neste domingo (26), Daniel Ricciardo também precisou falar sobre o maior momento da corrida: a reacção de Sebastian Vettel, que bateu em Lewis Hamilton propositadamente depois de entender que o britânico havia feito uma paragem pouco antes da segunda relargada da corrida. Para o australiano, que dividiu a equipa Red Bull com o tetracampeão em 2014, Sebastian "às vezes não pensa antes de agir".

 O piloto da Ferrari foi punido com uma Stop & Go de 10s por conta da manobra e, depois da prova, não poupou Hamilton, dizendo que “todo mundo viu. Não acho que ele quis causar um acidente, mas que ele fez um brake-test, fez. Eu tive prejuízo, ele teve prejuízo. Não é algo que se faça. A F1 é para adultos. Acho que vou conversar com ele e vamos resolver isso”.

"Provavelmente, Seb não pensa muito antes de agir. É claro que isso acontece, muitas vezes, por conta de sua paixão e vontade de vezes. Ele fica um pouco cego nessas situações", explicou o piloto. "Eu respeito muito Seb por sua coragem e amor pelo desporto, o que se transforma em uma grande paixão e, às vezes, agressão. Eu o respeito e gosto disso nele. Mas, como se viu na corrida e às vezes a gente vê nos rádios, ele simplesmente enlouquece.

Provavelmente, não sei bem como dizer, mas é talvez aquela coisa do calor do momento", explicou em entrevista à BBC. Por fim, Ricciardo entende que Hamilton não fez nada de errado. "Se Lewis desacelerou ou não, ele tem todo o direito de ditar o ritmo. Ele é o líder e era cedo demais para ele acelerar. Você não vai relargar na saída da curva 15. Seb provavelmente estava muito ansioso", encerrou.