Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mercedes acredita ser mais forte na Malásia

18 de Março, 2015

Responsáveis da Mercedes podem apresentar melhorias na prova da Malásia a segunda prova do calendário desta época

Fotografia: AFP

Detentora de um amplo domínio na Fórmula 1 no ano passado e neste começo de época, com a dobradinha no Grande Prémio da Austrália, domingo, a Mercedes espera vir a ser ainda mais forte dentro de 15 dias na Malásia, conforme declarações do chefe da equipa alemã, Toto Wolff.

“Temos potencial para sermos ainda mais competitivos. Estamos a fazer um bom trabalho quanto a aerodinâmica e também na parte da unidade de potência, e a integração foi boa. A equipa está sincronizada, passamos muito tempo a alinhar  durante a pré-época”, disse Wolff.O chefe da Mercedes admitiu que o fim de semana em Melbourne foi muito bom. A equipa repetiu a dobradinha do Mundial de pilotos de 2014, com o britânico Lewis Hamilton à frente e o alemão Nico Rosberg em segundo lugar.

“Este foi um fim de semana perfeito. Um carro impecável, os pilotos também impecáveis, e então tivemos uma dobradinha. Não podemos esperar que seja assim sempre”, ponderou.Toto disse ainda que o carro da Mercedes não é superior aos de Williams e Ferrari em termos de velocidade máxima, mas na carga aerodinâmica em curvas de alta velocidade.

MASSA EXIGE
 Embora tivesse conquistado o quarto lugar na Austrália, na primeira corrida do ano, Felipe Massa  mantém-se desconfiado com relação ao desempenho dos motores da Williams. Tendo ficado fora do pódio em mais de um segundo atrás das Mercedes em Melbourne, o brasileiro comentou que a diferença com relação à equipa inglesa não pode estar só no desempenho dos chassis.

Depois de se posicionar atrás de Sebastian Vettel, devido à paragem nas boxes, que foi determinante para a classificação geral do GP da Austrália, Massa notou evolução no motor, mas pediu por um aprimoramento. “Tenho a certeza que houve melhorias e temos de continuar a pressionar por isso.

Com certeza, a diferença é grande demais. Eu realmente espero que tenhamos o mesmo motor, não vejo razão para que isso não aconteça”, disse Massa, ciente de que a Williams é cliente da Mercedes em termos de engenharia mecânica.“Porque a Mercedes ia querer ajudar a Ferrari? O que eu sei é que precisamos de ter o melhor que eles nos podem  dar e vamos trabalhar para isso. Se nós não temos o mesmo motor - algo que não posso confirmar 100 por cento porque é difícil dizer -, então temos de lutar para ter, porque não é boa essa diferença”, completou o brasileiro em jeito de protesto.

Depois de somar 12 pontos devido  o quarto lugar na Austrália, e não superar por pouco o adversário Vettel, que conquistou o pódio na sua primeira corrida pela Ferrari, Massa questionou a evolução da escuderia italiana da qual fez parte. “Quem terminou em quinto? A Sauber. É uma equipa que não investe tanto, mas melhoraram muito. De onde vieram no ano passado, quando não tinham nem dinheiro para aplicar no carro”, falou. “O ano passado terminamos a andar mais rápido que eles, agora eles estão igual, talvez um pouco melhores”, prosseguiu.