Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mercedes admite Alonso para lugar de Rosberg

07 de Dezembro, 2016

O chefe da equipa, Toto Wolff, reconheceu o interesse nos serviços do espanhol.

Fotografia: AFP

Após a chocante notícia da aposentação de Nico Rosberg, a Mercedes tem um fim de ano dos mais atribulados da sua história. A melhor equipa da Fórmula 1 nas três últimas épocas, precisa de um substituto para o campeão do mundo, e para isso, considera vários nomes.Um deles, é o  do bicampeão Fernando Alonso, da McLaren. O chefe da equipa, Toto Wolff, reconheceu o interesse nos serviços do espanhol.“Temos de considerar Fernando. É um piloto que respeito muito, combina o talento, a velocidade, a experiência. Tudo está lá. Mas tem contrato com a McLaren -Honda nesse momento, precisamos  de pesar todas as outras opções", disse Wolff, em entrevista à Sky.

CASO DE 2007
JOGA CONTRA

Enquanto, Alonso toca em todas as caixas que traz resultados, entende-se que existem dentro da Mercedes reservas sobre o seu nome. O potencial para um relacionamento conturbado com Lewis Hamilton é claro, após a época de 2007. A Mercedes ainda está consciente dos danos à sua reputação causados pelo envolvimento de Alonso no escândalo Spygate daquele ano, na McLaren. A equipa foi multada por 100 milhões de dólares norte-americanos.Embora, Alonso não fosse excluído, publicamente, acredita-se que os principais candidatos para o assento permaneçam à vista: o piloto júnior da Mercedes, Pascal Wehrlein, e Valtteri Bottas, que depende de um acordo da Williams com a Mercedes.

SEM NÚMERO DOIS

Uma coisa sobre a qual Toto Wolff está claro é que a equipa está à procura de alguém, que ande igualmente como Lewis Hamilton, ao invés de um piloto número dois, para que ande atrás do inglês.Na entrevista à Sky, Wolff acrescentou: "Vamos manter o nosso sistema. Sempre vamos ter o mesmo status para ambos os pilotos. Vamos dar-lhes as oportunidades iguais, o melhor que pudermos.Devemos isso aos fãs, e a nós mesmos. Não se pode ter uma ordem conhecida desde o início. Não é o que gostaríamos de ver acontecer".

RED BULL
Aston Martin
estende acordo


A fabricante britânica Aston Martin ampliou o contrato de patrocínio com a Red Bull, após o início da parceria no GP da Austrália deste ano. A colaboração significou além dos logos da Aston Martin nos carros da Red Bull, a equipa de Milton Keynes ajudou no desenvolvimento do AM-RB 001 hypercar, que vai continuar em 2017.

O presidente e CEO da Aston Martin, Andrew Palmer, disse: "O nosso relacionamento com a Red Bull Racing tem surtido efeito, pela Aston Martin, exactamente o que esperávamos que fizesse. Está a ajudar-nos a construir a nossa marca ao redor do mundo. Parcerias como esta são boas para os negócios, tanto em termos de inovação técnica, quanto em termos de reconhecimento da marca. Por isso, temos o prazer de continuar em 2017".

Christian Horner, chefe da Red Bull, acrescentou: "O extraordinário sucesso do AM RB-001 é um testemunho do espírito de colaboração em que foi forjada parceria. Estender a nossa relação com a Aston Martin para 2017 foi uma decisão simples e agradável".A Aston Martin vendeu todas as 150 versões de rua do AM-RB 001 hypercar, com apenas 25 versões de pista ainda à venda. A entrega deve ocorrer no início de 2019. Um protótipo deve ser testado no próximo ano.

MERCEDES
Carlos Slim
descarta Pérez


A vaga deixada por Nico Rosberg, que surpreendeu o mundo da Fórmula 1 ao anunciar a aposentação após conquistar o título da época'2016, ainda não foi preenchida. Sergio Pérez, actualmente na Force Índia, pode ser um dos nomes a ocupar o cockpit da Mercedes.

Carlos Slim descartou tal possibilidade. O empresário mexicano e principal patrocinador da carreira de Pérez garantiu que o piloto vai cumprir o contrato com a Force Índia na próxima época. "Não. Checo tem um compromisso com a Force Índia para o próximo ano,  esperamos que tenha uma boa época , novamente", disse Slim.

Sérgio Pérez foi o melhor piloto fora das três equipas grandes. Terminou o Campeonato Mundial de Pilotos em sétimo lugar, com 101 pontos,  ajudou a equipa indiana a terminar em quarto lugar no Mundial de Construtores.O mexicano chegou a ser cogitado na Renault, mas o lugar foi ocupado pelo ex-companheiro de Force Índia, Nico Hülkenberg. Entende-se que Pérez podia recusar a proposta da equipa francesa, que queria um contrato de três anos. O piloto vê a possibilidade de transferir-se para a Ferrari em 2018, para ser companheiro de Sebastian Vettel, caso Kimi Raikkonen deixe a equipa italiana.