Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mercedes considera inaceitável toque de Nico Rosberg a Hamilton

26 de Agosto, 2014

O chefe da Mercedes, Toto Wolff classificou de “inaceitável” o toque de Nico Rosberg em Lewis Hamilton durante o GP da Bélgica de Fórmula 1, neste domingo. Preocupado e visivelmente insatisfeito com o episódio, o dirigente afirmou que colisões como esta “não vão mais acontecer” na equipa.
O incidente que voltou a aquecer o clima dentro da Mercedes e que irritou Wolff, aconteceu logo na segunda volta da corrida.

Rosberg acertou no carro do companheiro Lewis Hamilton ao tentar a ultrapassagem que lhe ia dar a primeira posição, perdida logo na largada. Na tentativa, porém, o alemão acertou e furou o pneu traseiro esquerdo do inglês. O toque praticamente acabou com a corrida de Hamilton, que caiu para o pelotão traseiro após parar nos boxes e não conseguiu fazer uma corrida de recuperação. Insatisfeito,  pediu para abandonar a prova ainda no início, diante da resistência da direção da Mercedes, que só autorizou a entrada nas boxes quando faltavam quatro voltas para o fim da prova.

Como consequência, a equipa teve apenas um piloto a  somar pontos no fim-de-semana no Mundial de Construtores, maior objectivo da equipa na temporada. Rosberg terminou a prova em segundo lugar e ampliou a vantagem sobre Hamilton no Mundial de Pilotos. Wolff mostrou-se  insatisfeito com o incidente não só por causa da perda de pontos, mas também porque o episódio infringiu as regras que ele estipulou para regular a disputa directa entre os dois pilotos.

“Temos uma política bem clara de deixar os pilotos entrarem na disputa nesta temporada, mas com uma regra: não causem incidentes entre si. Ver aquele tipo de contacto  tão cedo na corrida foi com nível inaceitável de risco”, criticou o chefe da Mercedes. “Vimos o pior dos cenários  acontecer, quando os pilotos tiveram o contacto e isso nos custou uma dobradinha no pódio hoje. Vimos que o nosso carro tinha o tipo de performance para a dobradinha”, declarou Wolff. “Isso não pode - e não vai acontecer novamente”, ressaltou.

O dirigente afirmou que a equipa vai se esforçar para  se concentrar na conquista do Mundial de Construtores nas próximas etapas. “Está claro que precisamos de reforçar o nosso foco em assegurar o título de Construtores ao garantir o potencial de ambos os carros nas próximas corridas. Temos que reagrupar para voltarmos mais fortes em Monza”.

Apesar da preocupação de Wolff, a Mercedes exige grande vantagem na liderança do Mundial de Construtores. Soma 411 pontos bem à frente dos 254 da Red Bull, a segunda classifiacada. A próxima etapa da Fórmula 1 vai ser disputada no dia 7 de Setembro, em Monza na Itália.