Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mercedes e Ferrari prometem

ALTINO VIEIRA DIAS| - 07 de Março, 2019

Ingls Lewis Hamilton vai ter oposio na temporada de Frmula 1 de 2019 que arranca com GP da Austrlia

Fotografia: DR

Todos os olhos sobre o desporto de quatro rodas, estiveram nas últimas semanas nos testes de pré-temporada e estarão, no GP da Austrália, postos na Ferrari. Nos testes de pré-temporada, a equipa do Cavalinho Rampante lançou os seus candidatos, o alemão Sebastian Vettel e o monegasco Charles Leclerc ao título de 2019. Ambos fizeram uma excelente campanha.
A Ferrari está confiante que, em 2019, fará algo melhor em relação à 2018, com Matia Binotto (novo director técnico) a declarar que é a evolução e não a revolução, que irá permitir à equipa reduzir a distância em relação à Mercedes. Os membros da Ferrari estão motivados e muito empenhados na potencialização do motor, cada um dos elementos da equipa sabe exactamente o que tem que fazer. Nos dois últimos anos, houve melhorias e esperam um resultado bombástico em 2019.
Sebastian Vettel “parece” ter-se libertado da sua desastrosa campanha de 2018, pois liderou no dia de abertura dos testes com bons tempos. Ele acredita que estão igual ou melhor que a Mercedes, apesar de observar que a equipa ainda está a crescer e pode mesmo bater a Mercedes em 2019, se não cometer os erros do passado. Apesar da chegada do cotado Charles Leclerc, a equipa apoia o volúvel piloto alemão até o limite, pois mesmo com um curriculum incrível de quatro títulos mundiais, ele (Vettel) mantém-se tão sedento, como sempre, de \'poles\', pódios, vitórias e está devotado a alcançar as suas ambições e as da equipa. A equipa apoia incondicionalmente a ele e a Leclerc para travarem, definitivamente, a artilharia pesada da Mercedes e o seu principal franco-atirador, o inglês Lewis Hamilton.
Se pelo lado da Ferrari, Vettel parece ter-se libertado da sua campanha desastrosa de 2018, pelo lado da Mercedes, para 2019, existem enormes preocupações. É um ano crucial para o finlandês Valtteri Bottas. Ele precisa de ter bons resultados (vitórias) após o seu desastroso campeonato passado, onde ficou em quinto lugar na classificação final do campeonato, depois de ter sido superado pelo seu compatriota Kimi Raikkonen e pelo holandês Max Verstappen.
Com os resultados de 2017 e 2018, Bottas se tornou o pior piloto da Mercedes da era do motor híbrido desde 2014. Em 2019, Bottas espera mudar este quadro de estatísticas negativas e pode merecer os galões de protegido da equipa, se mostrar bem o seu valor contra o principal artilheiro, Lewis, cuja velocidade suprema e consistência já foi mais que provada. Parece mentira mas é verdade, Lewis não deixa de lutar até à sua última gota de suor cair, mesmo com os colegas de equipa, que o diga o alemão Nico Rosberg. Bottas já reconheceu que o ano passado não foi bom e, quando se reconhece o problema, muito rapidamente se avança para transformar os dias melhores no futuro. Então, ele pode bater Lewis este ano.
Na sua primeira temporada na Fórmula 1 em 2018, Charles Leclerc destruiu o companheiro de equipa Marco Ericsson, o que significa que ele não sabe o que é ser superado por um colega de equipa na Fórmula 1. Vettel  bateu a maior parte dos seus parceiros, mas Ricciardo impôs-lhe uma tremenda humilhação, quando ambos correram pela Red Bull em 2014, somando três vitórias contra nenhuma de Vettel. A pergunta mais usada que não se quer calar é: será que Charles Leclerc irá conseguir bater Vettel? Olha que este (Vettel) tem desafios importantes, como chegar aos números de títulos do argentino Jean Manuel Fangio e a desforra a Hamilton?
Já Bottas encara uma época com preocupação. O finlandês tem que mostrar força este ano, para evitar o resultado catastrófico de 2018, de ser o primeiro piloto da Mercedes a ter uma época sem vitórias na era híbrida da Fórmula 1. Para muitos, Bottas sabe que é na qualificação da \'pole\', que tem que superar primeiro Hamilton e depois os seus adversários, pois ele não pode ceder lugar ao seu colega e muito menos aos seus adversários, se quiser ser campeão. Embora Lewis Hamilton seja um colega difícil de ser batido, não é impossível; que o digam Jeson Button e Nico Rosberg. Conseguirá Bottas chocar o paddock da Fórmula 1, batendo Lewis Hamilton em 2019? A ver vamos.