Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mercedes exagera a brincar

28 de Julho, 2015

Mesmo com a corrida ruim, a Mercedes domina o campeonato mundial, com 383 pontos contra 236 da rival mais próximo

Fotografia: AFP

O domínio da Mercedes na Fórmula 1 é apontado como uma das causas que afugentam os potenciais patrocinadores das equipas menores. Para dar um ar diferente à competição e atrair outro público, nos bastidores funcionam acordos de cavaleiros. A revelação da estratégia foi feita depois do Grande Prémio da Hungria.O chefe de equipa campeã, Toto Wolff, revelou que manteve uma conversa em jeito de brincadeira, antes da prova húngara, com o patrão comercial da F1, Bernie Ecclestone, que o “ordenou”: “Não ganhe essa corrida. É importante para a F1”.

O britânico não podia prever o que ia acontecer na prova: as Mercedes largaram mal e perderam a liderança para as Ferrari. Lewis Hamilton teve um dia irreconhecível ao sair da pista na primeira volta e manteve-se a meio em disputa com Daniel Ricciardo até à punição. Nico Rosberg travou despique com o mesmo australiano nas voltas finais e terminou dois lugares depois de Hamilton: oitavo.

Depois do final da corrida, vencida por Sebastian Vettel, Bernie Ecclestone voltou a procurar Wolff e disse-lhe em tom de brincadeira: “Agora, vocês estão a exagerar”.Mesmo com a corrida ruim, a Mercedes domina o campeonato mundial, com 383 pontos contra 236 da rival mais próxima, a Ferrari. No campeonato de pilotos, Lewis Hamilton lidera com 21 pontos de vantagem sobre Nico Rosberg, enquanto Vettel é o terceiro, com 42 pontos de desvantagem para o inglês.

LEWIS HAMILTON
PEDE DESCULPAS

Lewis Hamilton teve um dia para esquecer, na Hungria. O inglês largou mal, foi superado pelas Ferrari e pelo companheiro Nico Rosberg. Saiu da pista na primeira volta e depois de  recuperar, embateu em Daniel Ricciardo na parte final da prova, quando era quarto classificado. O gesto mereceu-lhe uma punição e terminou em sexto.À imprensa, o campeão em título assegurou que “as Ferrari partiram bem e foi uma tarde difícil”, antes de questionar: “Que dia foi esse?”.

Lewis Hamilton ressaltou que foi a “pior prova”; “incrivelmente bizarro” e desconhece se foi “falta de concentração”. No final, questionou se valeu a pena a obtenção dos pontos.O piloto inglês aumentou a vantagem de 17 para 21 pontos sobre o colega de equipa, mesmo com corrida ruim, a nove provas do final. Com semblante de culpado, assegurou que não pensou na situação do campeonato. Contudo, teceu uma palavra de apreço aos adeptos e à direcção da esquadra alemã: “tenho de pedir desculpas à equipa”.

ROSBERG PERDE
OPORTUNIDADE

Nico Rosberg mostrou-se resignado e lamentou ter perdido a oportunidade de encostar ao companheiro de Mercedes, Lewis Hamilton, no campeonato. O alemão teve uma colisão com Daniel Ricciardo e terminou em oitavo, enquanto o actual campeão do mundo ainda conseguiu salvar um sexto lugar.“As coisas estavam a ir muito bem até a volta 64. Depois disso, as coisas saíram do controlo”, reconheceu Nico Rosberg, para de seguida referir-se ao toque com Daniel Ricciardo.

“O desporto é duro às vezes, foi difícil perdemos todos aqueles pontos. Mas a vida é assim”, teceu.Nico Rosberg estava na segunda posição, quando o australiano arriscou uma manobra na primeira curva. Inicialmente, o alemão conseguiu manter-se àfrente, mas a asa dianteira da Red Bull tocou no pneu traseiro e furou. Nico teve de dar a volta inteira com o pneu furado antes de trocá-lo e perdeu muito tempo até cair para o oitavo lugar.

“Senti que aquela curva fosse minha, depois dele ter forçado demais e passado directo; mantive a minha linha, mas a asa dianteira do carro dele estava lá e não recuou. Decidiram que não tem nenhum culpado, então é assim”, com referência à decisão dos comissários em não punir nenhum dos pilotos pelo incidente. A próxima etapa da Fórmula 1 vai ser realizada no dia 23 de Agosto, na Bélgica.