Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Michael deixa a McLaren no fim do campeonato

24 de Outubro, 2014

Michael deixa a McLaren no fim do campeonato

Fotografia: AFP

O desejo do dirigente é voltar para a Austrália para viver com a sua família e, assim, encerrar a sua passagem pela Fórmula Um. A sua trajectória na categoria teve apenas três equipas, Jordan, Williams e McLaren e ele vai comparecer nas provas que restam para o encerramento do campeonato.

A tendência é que com a saída de Michael, uma reestruturação mais ampla na McLaren aconteça, embora a equipa tenha negado que vá liberar os directores Jonathan Neale e Tim Goss.

Em 2014, a equipa ocupa a quinta posição na classificação com 143 pontos, sendo  94 obtidos por Jenson Button e os outros 49 por Kevin Magnussen.


Futuro
Haas traça objectivo


O chefe da equipa Haas, Gene Haas, entende que as suas cinco primeiras temporadas vão ser  focadas na sobrevivência da escuderia na Fórmula 1.
A escuderia, sedeada na cidade norte-americana de Kannapolis, vai estrear em 2016 e tem como parceira técnica a Ferrari, que fornece o motor, as unidades de recuperação de energia, a caixa de câmbio e a assistência técnica.

 “Os primeiros cinco anos são apenas para sobreviver. Eu não tenho quaisquer expectativas de que nós estamos a ir para lá e ganhar campeonatos. Se pudermos ganhar uma corrida em cinco anos, era um grande sucesso”, disse à CNN.

O dirigente avaliou as situações de Marussia e Caterham, que correm risco de não estar em 2015 e  diz que vai tentar  não repetir o erro delas.

“Eu acho que o maior problema delas foi tentar chegar ao topo muito rápido. Nós queremos ter a certeza de que antes dos carros chegarem aos treinos em Janeiro de 2016, temos o chassis completamente montado até Novembro. Vamos gastar tempo para garantir que temos as peças certas, o equipamento de boxes correcto, a logística certa, os recipientes adequados. Todas as coisas certas que nos levam a fazer uma boa corrida”, concluiu