Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Militares apagam chama petrolífera

Rosa Napole?o - 18 de Julho, 2017

Revalidação do título está mais próximo às campeãs nacionais

Fotografia: José Cola | Edições Novembro

A equipa sénior feminina do 1º de Agosto confirmou ontem os créditos de campeã e principal candidata ao título do 39º Campeonato Nacional de Andebol ao bater o Petro de Luanda por 26-18, quando ao intervalo já vencia por 14-11. Isabel Guialo, Mwasessa, Cassoma e a guarda-redes Marta Alberto estavam em sintonia e foram as principais obreiras  da vitória militar.

Entre os treinadores, Morten Saubak, da equipa militar, era um homem folgado, por ter o trabalho de casa bem feito e não dava tréguas a Vivaldo Eduardo que tudo fazia para contrariar o \"poder de fogo\" das militares.

O Petro de Luanda, terceiro classificado da edição passada, esforçava-se para exibir alguma lucidez defensiva, mas a carga das campeãs era muito pesada. Diante de casa cheia, as rivais bateram-se com a dignidade de duas melhores equipas do continente.

As militares, que venceram as \"aviadoras\" do ASA por 20-16, no jogo da quinta jornada, prosseguiram furiosas sempre no comando do placard. A escassos minutos do intervalo o quadro era de 7-11 a favor das militares.

A pivôt Albertina Cassoma estava em endiabrada. Finalizava certeiro os remates por cima do bloco defensivo das petrolíferas, após um contra-ataque rápido.  O resultado era de 13-9 e depois 11-14, que se arrastou até ao intervalo.

No reatamento, as meninas de Vivaldo Eduardo entraram diferentes e levaram o perigo à baliza militar. A intervenção da guarda-redes Marta Alberto foi fundamental. Os ataques protagonizados não surtiram efeitos desejados. No banco, Vivaldo Eduardo era um treinador inconformado.
Gesticulava a todo o momento.

A superioridade das agostinas estava claro: não permitiam às petrolíferas chegar a empate. O Petro de Luanda ensaiou jogadas organizadas e Magda Cazanga finalizava certeiras. O resultado passou para 13-16.

No Petro de Luandam, Azenaide Carlos era a jogadora a mais inconformada. Sempre que organizava as colegas era frequentemente impedida pela Albertina Cassoma, que também se evidenciava no plantel do 1º de Agosto.  No final, a partida registou 26-18.

Para a mesma jornada, estiveram em confronto as equipas do ASA e CPP Lobito. As aviadores deixaram os adeptos surpreendidos ao baterem a formação das terras do flamingo por 20-17. As lobitangas estavam bem no jogo, com melhores performances, mas a determinação, rapidez e concentração das aviadoras contribuíram para a vitória.

O jogo equilibrado da jornada aconteceu entre as equipas femininas da  Marinha de Guerra e o Progresso Sambizanga. Os sucessivos empates e alternância no placard com regularidade marcaram a disputa.  Apesar do equilíbrio, as pupilas de João Diogo (Marinha de Guerra) mostraram mais atitude em campo. O esforço valeu-lhes a vantagem no final de 24-23. 

MASCULINO

Noutro jogo do dia, o Interclube não deu folga à Organizações Joyce de Cabinda. Os polícias derrotaram os cabindenses por 37-16. A diferença de golos espelha a qualidade do jogo. Sem brilho. O Interclube, que ocupa o segundo lugar da tabela de classificação, liderou o jogo desde o principio ao fim.

A Marinha de Guerra e o Petro de Luanda tiveram desencontros no sistema táctico. Os marinheiros aproveitaram bem as fraquezas defensivas e ofensiva dos petrolíferos e  venceram a partida por 28-18. Ao intervalo, já vencia por 15-10.


Masculino
1º de Agosto e Marinha agitam Cidadela


Ao cair da tarde, os militares ajustam as contas com dívidas altas em cima da mesa na abertura da segunda volta. O 1º de Agosto defronta a Marinha de Guerra num jogo de abertura da sexta jornada da 39ª edição do Campeonato Nacional sénior masculino de andebol, que decorre na Cidadela Desportiva, em Luanda, para cumprir calendário.

A equipa do Gama, liderada tecnicamente por Felipe Cruz, é mais forte, tem os melhores atletas do país e está motivada para revalidar o título de campeão nacional.

Diante da Marinha de Guerra, a vitória é uma questão de horas.

Do outro lado da quadra, vai estar a equipa \"filiada\", que deve \"obedecer\" as ordens do Estado Maior. Os marinheiros da Base Central de Luanda estão desprovidos de atletas que fazem a diferença, mas dispõe de um colectivo muito forte. Sem a intervenção do \"superior hierárquico\", os marinheiros podem fazer a maior surpresa do dia e do campeonato.

Os adeptos do andebol podem contar com um grande jogo em expectativa. As duas equipas apresentam níveis competitivos diferenciados, mas com boa qualidade. A vitória do 1º de Agosto na primeira volta por 25-18 justifica o quanto foi equilibrado o jogo.

O 1º de Agosto aparece mais motivado depois de cilindrar na quarta jornada o Petro de Luanda por 26-20. A eficiência dos petrolíferos galvanizou a equipa de Felipe Cruz. Correcções foram feitas ontem para reduzir o maior golo da equipa adversária.

No segundo jogo do dia, o Petro de Luanda defronta, às 18h45, o Interclube, num jogo que se prevê muito equilíbrio. Depois da derrota ontem, os petrolíferos encontram os vice-campeões nacionais mais motivados, o que eleva a dose de responsabilidade. O factor psicológico é um dos \"inimigos\" a abater pela técnica dos tricolores.

Petro de Luanda e Interclube defrontaram-se na primeira volta com saldo positivo dos \"polícias\": 16-19. Os três golos de diferença ditaram a derrota num jogo equilibrado. Hoje, depois das correcções feitas, os petrolíferos pretendem sorrir no final e ditar a segunda derrota à equipa do Rocha Pinto.
ROSA PINTO