Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Militares fracassam no Egipto

Melo Clemente - 31 de Dezembro, 2016

1º de Agosto apresentou performances muito abaixo do seu habitual na maior competição de basquetebol de clubes africanos

Fotografia: josé Soares

Contra todas as expectativas, a formação do 1º de Agosto voltou a fracassar na final da 31ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africano de basquetebol em seniores masculino, prova que decorreu de 07 a 16 do mês em curso, na cidade do Cairo, capital do Egipto e, vencida pela equipa caseira do Al Ahly que vergou na final o Recreativo do Libolo, por 68-66.

Depois de ter ocupado o quarto lugar da 30ª edição da referida competição, prova disputada no Pavilhão Arena do Kilamba, em Luanda, infra-estrutura erguida no âmbito da realização da 41ª edição do Campeonato do Mundo de Hóquei em patins, o Clube Central das Forças Armadas Angolanas, sob comando do técnico espanhol, Ricard Casas, não foi para além do oitavo lugar, num universo de dez equipas.

Com oito troféus arrebatados a nível da Taça dos Clubes Campeões Africano da "bola ao cesto", a equipa rubro e negra que viu reforçado a posição um (base), com a entrada do base dominicano naturalizado norte-americano, Emanuel Quezada, não foi capaz de superar a prestação da edição passada, para o desalento da sua massa associativa e principalmente a sua direcção que fez investimentos para à conquista do título da 31ª edição da Liga dos Clubes Campeões Africano.

Aliás, a contratação do Emanuel Quezada, antigo base do Atlético Petróleos de Luanda, foi o sinal mais do que evidente que a direcção do 1º de Agosto, liderada por Carlos Hendrick, havia apostado seriamente na conquista do anela continental.

Depois de ter começado com vitória a sua campanha na fase preliminar da Taça dos Clubes Campeões Africano da "bola ao cesto", a equipa do 1º de Agosto não foi capaz de manter o ciclo de triunfos na competição, tendo termino a prova no modesto oitavo lugar, classificação de contrasta em grande medida com o histórico do clube a nível das competições africanas.

O Clube Central das Forças Armadas Angolanas é nesta altura o conjunto mais titulado a nível do continente berço da humanidade, com oito troféus continentais, seguido pelo AS Forces Armées do Senegal, com três títulos conquistados.

Os pupilos de Ricard Casas venceram na estreia a similar do Nzui-Manto dos Camarões, por 86-78, num prélio onde a equipa angolana sentiu imensas dificuldades para chamar a si o triunfo.

Posteriormente, seguiram-se três derrotas consecutivas, diante das equipas do AS Salé de Marrocos, Kano Pillars da Nigéria e Club Africain da Tunísia, por 64-68, 79-83 e 75-88, terminando à fase preliminar da referida competição em quarto lugar, numa campanha já mais visto do 1º de Agosto.

Nos quartos-de-final, a formação do 1º de Agosto baqueou diante do Recreativo do Libolo, por 78-83, num jogo onde os militares não conseguiram mais uma vez vergar os libolenses, somando deste modo, o quarto desaire na presente época desportiva.

Já com os índices emocionais em baixa, a equipa militar voltou a perder, frente ao Club Africain da Tunísia, para as classificativas do quinto e oitavo lugares, por 68-83. E para não variar, os militares voltaram a baquear desta diante da modesta equipa do Beac Basketeball do Camarões, por 55-72, para as classificativas do sétimo ao oitavo lugares respectivamente.

A equipa militar marcou 505 pontos, em sete partidas disputadas, o que representa uma média de 72,1 pontos por cada partida. Os militares sofreram 555 pontos em sete jogos, conseguindo uma média de 79, 2 pontos sofridos por cada encontro.


Pódio
Libolo mantém classificação


Sob liderança do técnico espanhol Hugo López, a formação do Recreativo do Libolo ocupou o segundo lugar da tabela classificativa da 31ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africano de basquetebol em seniores masculino, mantendo a classificação da edição anterior.

Depois de ter eliminado nos quartos-de-final o Clube Central das Forças Armadas Angolanas, a quem venceu por 83-78, os representantes da vila de Calulo não conseguiram suplantar o Al Ahly do Egipto na grande final, perdendo por 66-68.
   
AL AHLY ERGUE TROFÉU
A equipa do Al Ahly do Egipto ergueu pela primeira vez no seu historial, o título da Taça do Clubes Campeões Africano de basquetebol em seniores masculino, competição que decorreu de 07 a 16 do mês em curso, na cidade do Cairo, capital do Egipto.

 A formação do Egipto que disputou a fase preliminar da 31ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africano da "bola ao cesto" inserido do Grupo A, tornou-se na quarta equipa egípcia a vencer o galardão africano, depois do Gezira do Egipto ter conquistado pela última vez o anel continental, isto em 1996.

A formação egípcia fez o pleno durante à fase preliminar da 31ª edição da Taça dos Clubes campeões Africano. O Al Ahly do Egipto bateu na ronda inaugural a modesta equipa Nzui-Manto, por 82-53. Depois seguiram os triunfos diante das equipas do Club Africain da Tunísia, 1º de Agosto e Kano Pillars da Nigéria, por 79-74, 68-64 e 92-76 respectivamente.

Nos quartos-de-final os egípcios apanharam um susto diante do Beac do Camarões, a quem venceram por escassos três pontos de diferença (63-60).

Nas meias-finais, o Al Ahly do Egipto vergou o Kano Pillars da Nigéria, por 71-65, ao passo que na final venceu de forma apertada o Recreativo do Libolo, por 68-66. M.C


Palmarés
Egípcios
fazem história


A formação do Al Ahly do Egipto conquistou pela primeira vez no seu historial, o título da Taça dos Clubes Campeões de basquetebol em seniores masculino, ao derrotar na final a similar do Recreativo do Libolo, por 68-66.

O ranking africano continua a ser liderado pelo 1º de Agosto, com oito troféus, seguido pelo AS Forces Armées do Senegal, com três anéis continentais.   

1966    (a prova foi anulada)
1972    Red Star de Bangui (RCA)
1973    Hit Trésor de Bangui (RCA)
1975    AS Forces Armées (Senegal)
1976    Hit Tresor de Bangui (RCA)
1979     AS Forces Armées (Senegal)
1981    AS Forces Armées (Senegal)
1983    AS Police (Senegal)
1985    Maxaquene (Moçambique)
1987    Alexandria (Egipto)
1989    Asec Mimosa (C. Marfim)
1991    Jeanne D'Arc (Senegal)
1992    Zamalek (Egipto)
1994    Gezira SC (Egipto)
1996    Gezira SC (Egipto)
1998    Mas de Fez (Marrocos)
2000     Asec Mimosa (C. Marfim)
2002    1º de Agosto (Angola)
2004    1º de Agosto (Angola)
2005    ABC (Costa do Marfim)
2006    Petro de Luanda (Angola)
2007    1º de Agosto (Angola)
2008    1º de Agosto (Angola)
2009    1º de Agosto (Angola)
2010    1º de Agosto (Angola)
2011    Etoile Sahal (Tunísia)
2012    1º de Agosto (Angola)
2013    1º de Agosto (Angola)
2014    Recreativo do Libolo
2015    Petro de Luanda
2016    Al Ahly do Egipto