Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Militares orgulhosos pelo troféu conquistado

Rosa Napoleão - 25 de Outubro, 2014

Na cerimónia de homenagem e recepção às campeãs africanas o responsável disse ser um feito almejado desde 2004 é fruto da aposta em novos talentos

Fotografia: Santos Pedro

O esforço e dedicação das atletas e do próprio clube são apontados como a base para a conquista do título alcançado pelo 1º de Agosto, na Taça dos Clubes Campeões Africanos, em andebol sénior feminino.

A afirmação foi proferida pelo presidente de direcção do clube militar, Carlos Hendrick, na última quinta-feira, durante a cerimónia de homenagem às campeãs africanas, que decorreu no Pavilhão Victorino Cunha.

Durante a cerimónia, Carlos Hendrick, referiu que a presente conquista foi fruto de um trabalho intenso das atletas e da direcção do clube, que iniciou em 2004.

“Parabéns às nossas atletas que conseguiram este ano conquistar a Taça dos Clubes Africanos. Quero que saibam que a maior parte destas atletas foram genuinamente formadas no nosso clubes. O futuro do 1º de Agosto está no esforço e dedicação das atletas. Vamos continuar a trabalhar nos escalões de formação, nas infra-estruturas e não só, para nos afirmarmos quer a nível doméstico, quer além fronteiras”.

Entretanto, a presidente das mulheres parlamentares, Cândida Celeste, salientou a importância das  campeãs africanas em continuarem a trabalhar em prol do desenvolvimento do clube e do país.

Cândida Celeste  falava em representação das mulheres no acto de homenagem às campeãs africanas, disse ser necessário a continuidade do trabalho para que este tipo de conquista não páre por aqui. “Estamos felizes pelo título alcançado, são mulheres incasáveis que trabalham para o engrandecimento do país. Encorajo-vos  a continuarem com o vosso trabalho e que tragam sempre estas alegrias aos adeptos e ao povo angolano”.

CAMPEÃS RECEBIDAS
EM FESTA EM LUANDA

A equipa sénior feminina de andebol do 1º de Agosto foi  quinta-feira recebida em apoteose, em Luanda, depois da conquista, sábado, do primeiro título africano de clubes, após vencer na final o Petro de Luanda, por 27-25.

Num ambiente de festa, várias pessoas, entre dirigentes do clube militar, adeptos da agremiação, assim como familiares e amigos, empunhando bandeiras, camisolas e cachecóis da equipa das Forças Armadas Angolanas, acorreram ao Aeroporto Internacional “4 de Fevereiro” para receberem as medalhistas angolanas.

Na ocasião, ao som de algumas músicas populares, que foram tocadas por uma pequena banda que também marcou presença no aeroporto, as campeãs receberam  os parabéns e foram encorajadas pelos adeptos, para  continuarem a representar condignamente a agremiação militar.

Depois do aeroporto, as campeãs africanas seguiram em passeata automóvel e de motorizada para o pavilhão Victorino Cunha, na baixa de Luanda,  para a cerimónia oficial de homenagem pela conquista do título inédito no andebol africano.


Reconhecimento
Nair dedica conquista do título aos adeptos


A meia distância do 1º de Agosto, Nair de Almeida, dedicou quinta-feira, em Luanda, o primeiro título conquistado a nível do campeonato africano de clube, a todos os adeptos, amantes e simpatizantes do clube militar.

À  margem da cerimónia de homenagem pela conquista do campeonato, organizada pela direcção da agremiação, a internacional disse à imprensa  tratar-se de um feito atingido,  fruto do apoio físico e moral de todos aficionados e elogia  o referido evento, frisando que o mesmo permiti compartilhar o momento histórico dos rubros e negros, com familiares, amigos e o país. Salientou que independentemente de terem enfrentado enormes dificuldades durante a competição, o grupo esteve sempre consciente do objectivo a atingir, por isso, conseguiu contrariar o favoritismo dos adversários e arrebatar o primeiro troféu a este nível, depois de dez anos de muito trabalho árduo.

Por outro lado, disse que o país mostrou ser a potência da modalidade no continente em feminino, ao ocupar os três lugares do top, com o Petro de Luanda, segundo classificado e o Progresso  Sambizanga no terceiro posto.

As militares sagraram-se campeãs africanas de clubes, fruto da vitória sobre o  Petro de Luanda, por 27-25, na final.