Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Militares revalidam "Nacionais"

Silva Cacuti - 26 de Junho, 2016

A Marinha fez a sua parte mas estava impossível alterar a tendência do jogo

Fotografia: José Cola

A capitã Ju, Natália Bernardo, Cristina Branco, Wuta Dombaxi, Liliana Venãncio, Luísa Kiala, Cristiane Mwasesa e Albertina Cassoma bem podiam estar a contar cenas de novela, ali do banco de suplentes, de onde assistiam as colegas a jogarem a final do 37ª edição do Campeonato Nacional sénior feminino de andebol que ontem encerrou aqui em Luanda, com a consagração do 1º de Agosto.

A equipa militar venceu por 31-20, já comandava o resultado ao intervalo, por 20-9.

Filipe Cruz e pupilas não precisavam esforçar-se para ganhar. Nem pareciam interessados em golear.

Já se previa o desfecho da partida, mas diante da honrada plateia, em que se destacava o presidente da Confederação Africana de Andebol, Mansoru Aremou, esperava-se por mais hombridade.

A Marinha fez a sua parte, lutou, como pode, mas estava impossível alterar a tendência do jogo.

No reatamento o 1º de Agosto abrandou, "sentou" as principais unidades e permitiu melhor equilíbrio no jogo. Com isso houve um "ressurgimento" da Marinha que conseguiu sofrer menos golos na segunda parte e marcar mais que na primeira parte do jogo.

No geral,  foi um jogo insosso, próprio de um cumprimento de calendário. Era final. As jogadoras não pareciam suar, tudo fazia-se entre amigas, com aparente excesso de fair play.

O 1º de Agosto revalidou o título e já vai com cinco conquistas. A Marinha teve a prata inédita, enquanto o Petro de Luanda, cerca de 30 anos depois, baixa para o bronze. O Progresso do Sambizanga ficou na quarta posição. No quinto lugar ficou a Casa do Pessoal do Porto do Lobito, o ASA em sexto e o Electro do Lobito em último.

Natália Bernardo sagrou-se melhor marcadora. O sete ideal foi integrado por Albertina Cassoma, Cristina Branco, Juliana Machado, Natália Bernardo, Magda Cazanga, Wuta Dombaxi, e Luísa Kiala.

INTERCLUBE
FALHA TÍTULO

Travar a avalanche ofensiva do 1º de Agosto por 15 minutos, os iniciais do segundo tempo, foi o que de melhor o Interclube mostrou no jogo da final do 37ª edição do Campeonato Nacional sénior masculino disputado de 14 a 25 de Junho, em Luanda. A equipa do Ministério do Interior acabou derrotada, 21-19, quando ao intervalo já perdia por 13-8.

A equipa do 1º de Agosto esteve desconcertada no reatamento da partida e deu aos polícias e seus adeptos esperanças quanto possível regresso ao lugar mais alto do pódio, que não alcança desde 1989. A equipamento Alexandre Machado implementou uma defesa variante, 6X0  ou 5X0X1 que inviabilizou o jogo que Frederico dos Santos trazia desde a primeira parte. O Inter chegou a vencer o parcial por 5-0 e alcançou 14-13 no marcador, quado o cronometro registrava 15 minutos.

Depois de um time out,  Frederico Santos, timoneiro agostino encontrou antídoto e estancou as façanhas do Interclube, na sua baliza. Geovani Muachissengue melhorou e estorvou grande parte das investidas para a sua baliza.

O Interclube despediu-se com aquele resultado da liderança do marcador e viu a festa agostina começar dentro da quadra e contagiar a assistência. Na terceira posição ficou a equipada Marinha de Guerra, o Petro de Luanda, em quarto lugar.

O Misto de Cabinda foi quinto classificado, enquanto o Progressomda Lunda Sul acabou na sexta posição. Sem qualquer vitória na prova, o Exército acabou na última posição.

Individualmente, Manuel Nascimento, da Marinha foi o melhor marcador com 61 golos e fez parte do sete ideal, com Gilberto Figueira, Adilson Maneco, Osvaldo Mulenessa, Jairoslav Aguiar, Mário Táti e José Rolo.
SC