Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Militares vitoriosas na estreia

J?lio Gaiano, no Lobito - 06 de Janeiro, 2017

O 1º de Agosto teve ontem uma arrancada forte no Nacional juvenil que o Lobito acolhe

Fotografia: Arimateia Baptista

A formação feminina do Clube Desportivo 1º de Agosto venceu ontem o Atlético Petróleos do Namibe, por oito golos de diferença (26-16), naquela que constituiu o destaque da jornada inaugural da Série A do 37º campeonato nacional de andebol feminino que decorre na cidade do Lobito, desde o passado 4, do corrente.

As militares do rio-seco foram superiores em todos aspectos: físico, táctico e técnico. A par disso, evidenciaram-se na eficácia. A vitória por diferença de quatro golos (10-6) espelha perfeitamente aquilo que as duas equipas traduziram na quadra do jogo. Ou seja, diante da força das agostinhas assistiu-se a uma adversária que se apresentou tímida e insegura. Contra-atacava aos passos e pecou em demasia na finalização. Daí a derrota que sofreu por margem de oito golos.

Na outra partida, referente à 2ª jornada da Série B, o Nacional de Benguela suplantou o Desportivo O Maculusso, por 17-16. Com esta derrota, a formação luandina somou a sua segunda derrota consecutiva na prova. A primeira aconteceu na estreia diante do Núcleo do 1º de Agosto-Benguela, por 20-16.

Já na classe masculina, a Associação Atlético 4 de Abril de Saurimo começou da melhor maneira a prova ao derrotar a Escolinha do São João do Huambo, por 27 a 24 (Série A). Um triunfo que abre fortes indicadores para aquilo que será a sua campanha na prova da qual se pontifica como um dos principais candidatos à conquista do ceptro, em posse do Renascimento do Uíge.

No período vespertino (tarde) jogaram o Kapossoca - Atlético do Namibe (Série A) e Adecofil do Cuando Cubango - Vitória Seguros de Angola, VISA, (Série B). Já na classe feminina, jogaram a Académica do Lobito - Núcleo do 1º de Agosto-Benguela e Vila Matilde de Malange – Adecofil, ambos referentes à Série B.

Na classe masculina, tudo está dependente da hora da chegada das equipas no local da competição. Assim sendo, a realização das partidas: 4 de Abril de Saurimo x Escolinha do São João do Huambo e Kapossoca de Luanda x Atlético do Namibe, para a Série A, bem como a do Adecofil do Cuando Cubango x VISA de Luanda (Série B) foram adiadas.


AO LOBITO
Governante felicita atribuição dos “nacionais”


A vice-governadora provincial de Benguela, Laurinda Mbaka, assegurou que a escolha da cidade do Lobito para a realização da 37ª edição dos campeonatos nacionais de andebol juvenil masculino e feminino é fruto do reconhecimento do trabalho incansável e abnegado que se desenvolve na província, o que a torna numa das maiores fontes de produção de andebolistas para o país.

No seu discurso de cerimónia de abertura da competição que arrancou no passado 4 do corrente, a governante deixou claro que, ao candidatar-se para albergar evento dessa dimensão, às equipas benguelenses resta provar em campo que podem fazer melhor que os seus adversários. Recuperar o título perdido na edição passada e devolver a alegria a sua massa apoiante são os objectivos a atingir, não obstante as vicissitudes por que terão de fazer face ao longo da competição.

“Na condição de anfitriã, espero que as nossas equipas tenham a hombridade suficiente de provar em campo que estão melhores dotados e em condições de resgatar o título perdido na edição passada. Foi aqui neste pavilhão da CPPL que os benguelenses viram a taça seguir para Luanda, pelas mãos do 1º de Agosto. Espero que, desta vez, estejamos melhores preparados e consigamos resgatar o título que já nos pertenceu”, proferiu.

Laurinda Mbaka lamentou o facto de a província não se fazer representar na classe masculina. Na sua óptica, a presença de uma equipa daria outra força e emotividade na competição, sobretudo na parte dos rapazes que se sentiriam motivados e interessados em abraçar a modalidade. “Espero que esta ausência, as pessoas reflitam e buscam motivos para que, nos próximos dias, se avancem com implementação dos projectos de massificação do andebol nas escolas e núcleos espalhados na província adentro”.

No entender da governante há falta de dinheiro não deve servir de desculpas para se adiar a execução dos programas. “A província esteve sempre presente em todos os escalões e classes, por isso não faz sentido ficarmos de fora, numa competição de que somos anfitriões”, sublinhou.

APOIO

A “vice” Laurinda Mbaka aproveitou a deixa para manifestar o apoio do governo provincial, bem como da população benguelense pela presença da selecção sénior masculina de andebol no Campeonato Mundial de França. Fez voto que a sua actuação seja coroada de êxitos. Na sua óptica, o facto de lá estar constitui, para os angolanos, um ganho para o desporto nacional.

“Não pedimos título à selecção masculina, porém, desejamos que saibam representar o país e a Africa com a dignidade que sempre nos caracterizou. À distância, vamos segui-los e torcer pelos bons resultados. Os angolanos merecem tal proeza (…)”, desejou.

Num discurso bastante ovacionado pelo público presente no pavilhão gimnodesportivo engenheiro Miranda Guedes (CPPL), a Dr.ª Laurinda Mbaka desejou aos visitantes melhor conforto e óptima estada na cidade ferro-portuária e que desfrutem do melhor que a província tem para dar e vender (risos).

Os campeonatos nacionais de andebol juvenis que arrancaram na passada quarta-feira, 4, com um jogo de estreia – Núcleo do 1º de Agosto (20) x Desportivo O Maculusso (19) – têm o seu término aprazado para 15 de Janeiro.

Juventude e Desporto, Responsabilidade e Compromisso é o lema adoptada pela organização ao certame.